Notícias

Análises

20 de outubro de 2017

Gran Turismo Sport


Há 20 anos, surgia Gran Turismo na PlayStation original. Um jogo que não só marcaria uma geração, viria revolucionar completamente o conceito de simulador de corridas. Quatro anos depois do lançamento da PlayStation 4, "The Real Driving Simulator" está de volta e estreia-se na plataforma com uma nova abordagem ao conceito de simulador. Eis Gran Turismo Sport, que vem fazer da simulação uma parte do dia-a-dia dos jogadores.

Há que começar por esclarecer isto: GT Sport, como é conhecido, foi concebido de forma a estar sempre online. Existem modos para jogar offline, sim, mas o núcleo duro da experiência está no multijogador. Todos os dias, serão apresentadas as corridas diárias, que será possível repetir quantas vezes se quiser. Além disso, serão disponibilizadas múltiplas competições, certificadas até pela FIA (Fédération Internationale de l'Automobile) para mostrar o quão sério isto pode ser. O jogo online estará em constante mudança, incentivando visitas diárias e até mantendo um registo dessa atividade. Mais do que um jogo de corridas, GT Sport pretende ser um estilo de vida, um desporto.


Praticar um desporto implica treino. Começá-lo implica uma aprendizagem. GT Sport sabe-o bem e, por isso mesmo, criou toda uma "Escola de Condução" onde é possível aprender a conduzir. Desde arrancar e travar nos momentos certos, aprender a dominar as curvas mais complicadas, até ao comportamento a ter na presença de outros jogadores. A ética de condução é fundamental para este título, sendo obrigatório assistir a dois vídeos sobre o tema antes de partir para as corridas. No fundo, é uma questão de fair play: não ir contra outros jogadores, conduzir de forma limpa e vencer apenas pela melhor condução.

A Escola de Condução é óptima para aprender os controlos básicos e avançados do jogo. É também importante conhecer as viaturas que se pretende levar à competição. É neste aspecto que melhor sentimos o quão realista o jogo pretende ser, pois a mesma curva poderá exigir abordagens bastante distintas conforme o carro em questão. Há uma preocupação com a acessibilidade, com modos de controlos, tanto para iniciados, como para jogadores intermédios e experientes. Estes últimos terão de controlar tudo manualmente como se estivessem mesmo ao volante de um carro real. Não é brincadeira, pois a Polyphony Digital investiu os últimos 4 anos em afinar ao máximo os controlos de cada carro, com pilotos profissionais envolvidos no processo de testes de desenvolvimento.


Gran Turismo sempre primou pelo realismo, não só ao nível da condução mas também dos visuais, com avanços notórios a cada nova geração de consolas. GT Sport apresenta um grande salto a nível gráfico, com modelos de carros extremamente detalhados e cenários fotorrealistas. O mais impressionante é a nível de iluminação, que tira partido do modo HDR da PS4 para uma das melhores imitações da realidade desta geração. O jogo foi concebido para aproveitar as capacidades da PS4 Pro, oferecendo imagem melhorada mesmo em ecrãs HDTV. Além disso, existe um modo dedicado ao PSVR, mas não foi possível experimentá-lo para esta análise.

A opção VR é apenas uma de várias disponíveis no modo Arcade, que inclui a tradicional opção de corrida rápida contra a AI, contrarrelógio e até o multijogador a dois em split-screen. Mas entre isto e a "campanha" que é a Escola de Condução, o jogo parece escasso em conteúdo. Não há uma campanha tradicional com campeonatos em diversas categorias ou modo de carreira. Há, sim, um modo online robusto onde o jogador pode diariamente avançar na carreira. A carreira é o online e, por isso, os modos offline não são mais do que um treino para a carreira. Uma opção de design arriscada, sem dúvida, que poderá alienar muitos jogadores, mas também apelar a novos adeptos.


Olhando para o panorama do mercado de videojogos, poderá muito bem ter sido uma decisão acertada. Gran Turismo tem uma fanbase gigantesca e disposta a competir online. Então, porque não desenvolver o jogo em torno dessa componente? Estão aqui plantadas as sementes para um grande eSport, neste caso um dedicado aos amantes do desporto automóvel, criados por uma equipa que partilha a mesma paixão. Isto é notório quando acedemos ao de paisagem, onde podemos tirar fotografias com os carros da nossa garagem em diversos cenários - incluindo várias paisagens de portugal. Podemos posicionar os carros como bem nos apetecer, controlar a exposição e tirar uma fotografia extremamente realista. É impressionante! As fotos podem depois ser partilhadas numa espécie de rede social interna do jogo, onde é possível ver e partilhar as obras de outros jogadores.

O amor pela indústria não se fica por aqui. É possível visitar os stands virtuais das várias marcas representadas neste simulador, aceder aos detalhes de cada carro e ler sobre as suas especificações enquanto se observa os modelos 3D em pormenor. Mais! Os museus das marcas vêm recheados com a sua história, imensas fotografias acompanhadas de uma legenda informativa, sendo possível, por exemplo, ver toda a evolução da Porsche ao longo do tempo. Muito, muito interessante!


Gran Turismo Sport não é para todos, nem para todos os que gostam de jogos de carros. Quem procura uma experiência robusta em offline irá ter uma grande desilusão. GT Sport tem, sim, uma visão concreta daquilo que pretende ser: o simulador de corridas mais realista possível para a geração dos eSports. E nesse aspecto, dificilmente teriam conseguido fazer melhor.

Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a PlayStation 4, gentilmente cedido pela SIEE.