Notícias

Análises

12 de julho de 2017

Antevisão: Greedy Guns


"Tens de experimentar o Greedy Guns!" Uma frase recorrente nos eventos de videojogos em Portugal, uma que ouvi algumas vezes até ficar a conhecer o jogo e que, desde então, passei também a dizer. Declaração de interesses: gostei tanto do que vi, que contribuí para o financiamento via Kickstarter e, graças a isso, tenho agora acesso à versão beta do jogo cujo lançamento está previsto para 1 de setembro.

Greedy Guns é um "metroidvania" que cruza inspirações em Metroid com títulos como Metal Slug, Gunstar Heroes e Contra. O jogo foi desenvolvido ao longo de 4 anos pela Tio Atum, uma equipa de 3 developers portugueses a viver em Lisboa, e está agora em vias de chegar às mãos dos jogadores de todo o mundo através da plataforma Steam. Mesmo estando numa versão pré-lançamento, o jogo já se encontra bastante sólido com poucas afinações a fazer.


Os mercenários contratados pela HOLO CORP são enviados para um misterioso planeta em busca de artefactos e DNA alienígena, tudo em troca de dinheiro. Muito dinheiro. No entanto, os aliens não estão para facilitar e irão atacar qualquer humano que lhes apareça à frente. O jogo, que pode ser jogado a solo ou em co-op para dois jogadores, mistura exploração e acção em boas medidas, com áreas secretas para descobrir, uma boa dose de backtracking e extensos corredores de alienígenas para aniquilar.

A jogabilidade é bastante gratificante, sendo possível disparar em qualquer direção independentemente do movimento do personagem. Por vezes ficamos completamente rodeados de inimigos a disparar por todos os lados, mas o truque é ter sangue frio e nunca largar o gatilho! Uma coisa que aprecio bastante no jogo e me cativou desde o início é o estilo artístico. Os cenários são bastante bonitos e comunicam facilmente a sua navegação, deixando dicas subtis de eventuais segredos que possam esconder. Os fãs de Metroid irão adorar descobrir este mundo!


Ao jogar normalmente, estima-se uma longevidade de entre 8 a 10 horas de jogo, podendo esta tempo estender-se para quem gosta de vasculhar todos os cantos do mapa à procura de segredos ou não quer deixar um único alien vivo no seu caminho! Já os criadores têm o seu recorde de "speedrun" em cerca de 4h e 40 minutos - fica o desafio para os speedrunners.

Totalmente feito em Portugal, Greedy Guns tem tudo para se tornar não só um jogo de referência no panorama de videojogos nacionais mas também um sucesso internacional. Questionada sobre a possibilidade de trazer o jogo às consolas, a Tio Atum manifestou interesse em adaptá-lo para Xbox One, PlayStation 4 e Nintendo Switch. Segundo a equipa, "todas merecem um jogo gostoso como o Greedy Guns", no entanto é algo em que só poderão sequer pensar depois do lançamento do jogo no Steam.

Greedy Guns ficará disponível no Steam a 1 de Setembro. Interessados poderão já adicioná-lo à wishlist aqui: http://bit.ly/2rKVBEI.