Notícias

Análises

1 de fevereiro de 2017

Poochy and Yoshi's Woolly World

Análise por Patrício Santos

Após dois anos do lançamento original na Nintendo Wii U, Yoshi regressa a este mundo colorido e fofo inteiramente feito de lã, desta vez com novo conteúdo e em formato portátil. Nesta nova versão do já encantador Yoshi’s Wooly World, vamos reviver a aventura fantástica do famoso dinossauro verde da Nintendo, caminhando por mundos totalmente coloridos e com um design incrível. Uma aventura que será certamente ainda mais agradável para quem não jogou anteriormente, pois terá o prazer de a jogar pela primeira vez e conhecer o nosso querido Yoshi feito de lã! Caso queiram saber mais acerca da versão doméstica do jogo podem ler aqui a nossa análise da versão Wii U.

O jogo inicia tal como a versão Wii U, mas ligeiramente diferente devido às limitações da consola portátil, invés da Craft Island ser redonda, deparamo-nos com uma Craft Island em linha reta. No entanto, a estória mantém-se do jogo original, onde o clã dos Yoshi’s relaxa e vive pacificamente até surgir o impiedoso Kamek a fazer das suas, descosendo todos os Yoshi’s presentes na ilha e transformando-os em novelos, restando só aquele que nós controlamos. Assim iniciamos a nossa aventura de forma a salvar os amigos dinossauros.

   

Tal como acontece na versão Wii U, ao iniciar o jogo temos a oportunidade de escolher se queremos jogar no modo clássico, ou seja, o normal, ou o modo Mellow, que basicamente é o modo fácil do jogo e que nos permite voar pelos níveis. Além disso, nesta versão teremos disponíveis três Poochy. Para quem desconhece, os Poochy são cães também eles feitos de lã e que estarão constantemente a ajudar-nos, estejamos em apuros ou não. O trabalho deles é procurar por linhas e indicar-nos os segredos mais recônditos do jogo, o que facilita claramente a vida ao jogador caso este não esteja muito disposto em explorar os níveis a fundo, contando assim com os pequenos cães a apoiar-nos a toda hora, uma novidade desta versão do jogo. Já no modo clássico teremos de ser nós próprios a preocupar-nos com a exploração e a busca incessante dos segredos que cada um dos níveis contém. Como é óbvio, os primeiros níveis terão sempre uma dificuldade reduzida quando comparado com os níveis finais, por isso podem contar com um jogo em que o desafio vai crescendo à medida que avançamos pelos mundos.

Quanto ao novo conteúdo disponível, para além de no modo Mellow termos o apoio dos Poochy, podem contar com um Yoshi Theatre, onde todos os dias podemos assistir a uma curtíssima metragem entre Yoshi e o nosso fiel amigo Poochy, e posso garantir que as animações são completamente incríveis, belíssimo trabalho de produção – a equipa que realizou está de parabéns. Continuando com estas pequenas sessões de cinema, elas são desbloqueadas diariamente, por isso após assistirem a uma, só terão a possibilidade de ver a próxima no dia seguinte, o que fará com que joguem diariamente Poochy & Yoshi’s Wooly World. No final de cada curta animação surge uma questão, se respondermos corretamente à questão obtemos missangas como recompensa. Por fim, no que toca ao conteúdo novo nesta versão, temos também o Yoshi Hut onde podemos mudar as cores e design do nosso Yoshi com os novelos que encontramos pelos níveis fora ou usando como na Wii U um amiibo, personalizando assim o nosso Yoshi. Sendo esta a versão portátil, não podia faltar a função StreetPass para a partilha destes Yoshi’s entre as consolas 3DS. No Poochy Hut temos várias missões extras para serem jogadas com o cão Poochy, que serão desbloqueadas enquanto progredimos na estória principal do jogo e concluímos algumas das missões presentes nesta casota do Poochy.

   

Falando acerca do grafismo, é natural que não seja tão encantador e charmoso como na Wii U onde podemos contar com um visual HD incrível, no entanto mantém-se a fluidez do jogo original, o que me agradou imenso, mesmo a sua jogabilidade, que está no ponto exato, impossível alguém se queixar de uma jogabilidade tão refinada para um jogo de plataformas. Desta vez têm a possibilidade de escolher usar o giroscópio ou então o tradicional sistema de lançar os novelos de lã aos inimigos, apesar de eu preferir o sistema tradicional, sendo este modo uma novidade, fiz questão de usar o giroscópio, e posso dizer que este funciona de maneira impecável. O efeito do 3D no jogo pouca diferença faz, ainda por cima trata-se de um jogo que veio duma consola doméstica e a necessidade de criar algo propositado para que o efeito 3D fosse relevante seria desnecessário. Mesmo que joguem com ou sem o 3D ativo, tudo se mantém de forma visualmente bonita e colorida. Será apenas uma questão pessoal caso queiram ver alguns pormenores em 3D, o que sinceramente não fez muita diferença.

Algo que é importante referir é a sua banda sonora, embora seja a mesma que está presente na versão anterior, em Poochy & Yoshi’s Wooly World ela continua maravilhosa e encantadora, tal como sempre fomos habituados por parte da Nintendo. Umas melhores que outras como é evidente, mas a magia está lá, assim que começamos um nível esboçamos um sorriso de felicidade só de ouvir uma música que nos faz transmitir uma pacificidade inigualável, e nos dá um prazer ainda maior de jogar enquanto assobiamos apaixonados pela sua melodia.


Concluindo, Poochy & Yoshy’s Wooly World é a versão definitiva do jogo. Conta com mais conteúdo, é uma versão que podem jogar em qualquer lado a qualquer hora, e mantém a qualidade do original. O único senão desta versão é mesmo o grafismo que é claramente inferior ao HD vivo que nos é apresentado num plasma/LCD. No entanto, se nunca jogaram o original, posso e devo recomendar esta versão, isto porque o jogo mantém toda a diversão e ainda adiciona conteúdo fresco, além disso é decididamente um dos melhores jogos de plataformas que podem adicionar já na vossa biblioteca da Nintendo 3DS.
Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo para a Nintendo 3DS, gentilmente cedido pela Nintendo.