Notícias

Análises

3 de novembro de 2016

Noah´s Cradle


Publicado pela CIRCLE Entertainment e desenvolvido pela Silver Star Japan, Noah's Cradle é uma das mais recentes novidades da eShop da Nintendo 3DS. Um misto de simulador de voo com shooter, ao estilo de jogos como Afterburner II, tem uma história que despertará memórias em diversos fãs da série de Sci-fi de 2004, Battlestar Galactica, tal é a inspiração que retira para o argumento.

A história coloca-nos como um dos defensores da frota terráquea que dá o nome ao jogo. Esta é tudo o que resta da outrora numerosa e próspera raça humana, agora em busca de um novo planeta habitável. O dito planeta é descoberto para gáudio da tripulação. A salvação parece estar à vista, não fosse o mesmo ser habitado por indígenas extremamente hostis. É neste clima de guerra que o jogador é inserido, com o planeta a ser dividido em áreas que são precisas conquistar (com excepção da primeira que serve para efeitos do já comum tutorial).


A forma de o fazer passa por aniquilar um número específico de naves inimigas, usando a nossa própria aeronave, equipada com diferentes armas, desde as Gatling Guns, que garantem fogo rápido, embora consideravelmente mais fraco, até aos Missile, extremamente destrutivos, passando ainda pelos relactivamente inúteis Lasers. Também disponível, sobretudo para efeitos defensivos e de contra-ataque temos o Shield e o Drone, respectivamente. Se o primeiro consiste num escudo protector, o segundo é basicamente um pequeno aparelho que visa auxiliar-nos ofensivamente.

Temos três tipos de aeronaves disponíveis, sendo que a diferença principal entre elas consiste no número de armas que podem carregar. A maior pode ter até seis slots, enquanto que a mais pequena fica-se pelas quatro. Ao entrar em cada área o jogador é brindado com um conjunto de missões para realizar. Sendo bem sucedido, será recompensado com mais capitais que poderá usar para comprar melhor equipamento e customizar a nave à vontade, podendo mesmo vender bens de que já não necessite. De salientar que este é um jogo que incentiva o jogador a poupar as suas munições, que são finitas, "punindo-o" mesmo no caso de vitória com deduções ao capital ganho. O mesmo é feito no caso de sermos atingidos muitas vezes no decurso da acção, pelo que convém dominarmos as manobras evasivas o quanto antes. Eventualmente e conseguindo completar todas as missões iniciais, o jogador terá que abater um enorme gerador inimigo de forma a conquistar a dita área e puder avançar de vez para a próxima.


Em Noah's Cradle, os inimigos alternam entre o extremamente fácil e o absurdamente difícil, com certas naves especiais a serem particularmente problemáticas, no entanto não é nada que seja inultrapassável. Tirando as chamadas naves especiais, que não mais são que inimigos com cores mais garridas, os restantes adversários são todos bastante similares. Mesmo assim, existem muitas maneiras de ser derrotado. O jogo chegará ao fim sempre que sairmos dos limites do cenário, não tivermos mais munições ou pura e simplesmente virmos a barra de energia da nossa nave reduzida a zero.

A música deste título não é de todo memorável e os cenários pecam pela inexistência de detalhe e pela repetição. O jogador menos experiente no que a simuladores de voo diz respeito, pode ter alguma dificuldade em se adaptar aos controlos, nomeadamente a acertar nas naves inimigas, pelo que o recurso ao lock on, presente no jogo, é recomendável numa fase inicial.


Em suma, Noah's Cradle não é de todo o mais épico dos jogos, nem o mais desafiante ou visualmente impressionante a gracejarem a eShop da 3DS. Na verdade existem propostas bastante melhores para a consola, dentro do género e em formato digital, como é o caso da série Ace of Combat ou Pilot Wings.
Nota: Esta análise foi efetuada com base em código final do jogo, gentilmente cedido pela Circle Entertainment.