Notícias

Análises

21 de julho de 2016

Terraria

Análise por Patrício Santos

Após o lançamento em várias plataformas, Terraria “aterra” na Nintendo Wii U em formato físico e digital. Um jogo tanto deliciou os jogadores, mas neste caso, numa versão de meter inveja a todas as outras. Para os mais distraídos, este é um jogo indie em 2D que conta com escavações, lutas e construções, onde o jogador conta com uma liberdade imensa que irá agarrar tudo e todos ao GamePad. O seu objetivo é simples, cavar em busca de recursos para sustentar a nossa personagem, mas para se ter noção da dimensão deste jogo temos de ir por partes.

O jogo inicia com a escolha de tamanho do mundo. Podem optar por um pequeno, médio ou grande, daí passam por criar a vossa personagem de raiz e a escolha parece infinita, desde a cor do cabelo ao seu visual, algo deveras impressionante, juntamente com alguns itens para iniciarem a vossa aventura.

Sendo um jogo em que temos de procurar recursos para criar uma estrutura, temos de começar com aquilo que temos à mão. Árvores por exemplo são o material ideal que nos salta à vista para a criação da nossa primeira casa, e é aqui que a versão Wii U brilha, pois para tal vamos ter o GamePad, onde podemos ter um controlo total da situação visto que usaremos a caneta stylus, e assim sendo, desenhamos o que nos vier à imaginação. Mas não fiquem descansados, pois os inimigos estarão presentes para derrubar as vossas construções sejam eles olhos flutuantes ou zombies, e estes inimigos não terão quaisquer problemas para destruir o vosso “castelo de areia”, por isso é preciso estarem atentos na defesa e, para tal, vão poder usar uma variedade de magias, armaduras e todo o tipo de material para vossa defesa.


Dependendo do território e do horário, ou seja, de dia ou de noite, os inimigos podem ser severos, e poucos vão saber como proceder nestes casos. Neste aspeto, o jogo podia dar dicas de como defender contra certos inimigos e quais os materiais mais eficazes em cada um dos terrenos onde vocês têm as vossas estruturas. O mais engraçado é o facto de poderem cavar bem ao fundo da terra, e quanto mais cavarem mais materiais raros irão encontrar. No entanto, preparem-se porque a tarefa não é fácil pois vão encontrar inimigos bem no fundo e a luz é escassa, logo terão de usar tochas para iluminarem os caminhos.

Podem também contar com bosses no jogo e itens especiais para decorarem a vossa casa após os derrotarem. Mais especial ainda é o modo mulitplayer, no qual podem visitar os mundos dos vossos amigos, e aí terão a possibilidade de se ajudarem uns aos outros ou simplesmente destruírem as suas estruturas, a escolha é vossa. Um dos pontos positivos e exclusivos presentes nesta versão é o facto de poderem juntar amigos e jogar no modo local.


Enquanto existir criatividade, Terraria não terá um fim, por isso enquanto jogarem vão ter sempre objetivos e além disso o mundo tornar-se-á mais perigoso a cada dia que passa contando com várias ameaças. Se tiverem a oportunidade de jogar um pouco que seja de Terraria, preparem-se para carregar o GamePad vezes sem conta e as horas vão certamente passar de forma louca que não vão dar por ela.

Para finalizar, se ainda não adquiriram Terraria mesmo tendo outras plataformas, a versão Wii U é decididamente a melhor opção em todos os aspetos, por isso peguem nas pás, armas e na vossa mente criativa para entrarem no mundo de Terraria e ficarem colados à TV durante horas a fio.

Nota: Esta análise foi escrita com base em código final do jogo para a Wii U, gentilmente cedido pela Nintendo