Notícias

Análises

21 de junho de 2016

Super Meat Boy

Análise por Patrício Santos

Por entre milhares de jogos indie à nossa disposição, só alguns se destacaram como grandes jogos imperdíveis, e um deles foi Super Meat Boy. Um jogo originalmente lançado para PC, este "pedaço de carne" conseguiu surpreender a indústria com a sua qualidade imensa, e após alguns anos acaba por nos chegar à eShop da Nintendo.

Um jogo de plataformas que testa a nossa agilidade, Super Meat Boy consegue ter uma dificuldade alta e ainda assim divertir qualquer tipo de jogador seja ele experiente ou não no género. A jogabilidade é básica, para além do d-pad/analógico para movimentar o nosso herói, usamos apenas dois botões que nos servem para correr e saltar, e com isso temos de nos desenrascar pelos níveis do jogo, mas podemos e devemos contar com a capacidade de saltar contra as paredes e fazer parkour para atingir outras plataformas e assim chegar ao destino. Se se assustaram com a ideia de ter de praticar tais manobras, não fiquem assim pois a jogabilidade deste jogo é uma das melhores que alguma vez pude experimentar na minha vida, porque é viciante, simples e divertida, e funciona corretamente, ao contrário de jogos que nos fazem perder a paciência. Super Meat Boy faz-nos voltar ao jogo vezes sem conta sem que nos irritemos muito, e essa é a sua magia.


Quanto a história e objetivos de Super Meat Boy, são bastante simples, tal como sucede em Super Mario. O nosso herói terá de ultrapassar obstáculos como serras, monstros que nos trincam, e uma outra data de armadilhas para desfazer o nosso herói com um único golpe ou toque, e assim sendo vão precisar de todas as habilidades para se esquivarem de tais armadilhas a fim de chegarem ao destino de cada um destes níveis, o qual é, encontrar a Bandage Girl, namorada do nosso Meat Boy que foi raptada por Dr. Fetus, um vilão muito rude, mal educado e que transpira maldade por todos os poros. Podem contar com 6 capítulos e um número imenso de níveis em cada um deles. No fim de cada um destes capítulos vão encontrar um boss final, onde ser-vos-à exigida eficácia para os derrotar.

A originalidade está presente nos cenários, e além disso cada vez que entram num novo capítulo podem contar com uma cut-scene simples mas animadora que nos conta a história do jogo de forma hilariante e colorida. Para acrescentar, esta versão Wii U apresenta-se totalmente em Português, o que é sempre bastante agradável lermos os menus na língua lusa. Sem esquecer de referir que a banda sonora de Super Meat Boy não é cansativa mesmo após horas e horas de jogo, tanto nas cut-scenes como durante o gameplay, a música é um verdadeiro sucesso.


Super Meat Boy acaba por demonstrar que existe qualidade nos jogos indie, que se houver dedicação no trabalho destes pequeno estúdios, também é possível eles terem um lugar na indústria, e Super Meat Boy foi capaz de apresentar aos gamers essas qualidades, podemos considerar um jogo completamente memorável, mesmo após mortes e mortes com alguns pequenos momentos frustrantes, este não é um jogo que vos vai fazer desligar a consola mas sim pelo contrário, manter-vos agarrados ao ecrã até finalizarem esta pérola.

Nota: Esta análise foi efectuada com base em código final da versão para a Wii U, gentilmente cedida pela Nintendo.