Notícias

Análises

31 de março de 2016

Miitomo (1.0.0)


Cerca de duas semanas depois do lançamento no Japão, chega hoje a mais 15 países a primeira aplicação da Nintendo para dispositivos móveis. Portugal não é um desses países, não estando ainda anunciada uma data de lançamento para a aplicação nem se irá ser localizada em Português. Isto não nos impediu de experimentar a versão japonesa da aplicação, uma vez que esta já foi originalmente lançada com suporte para a língua inglesa.

O Miitomo é uma app para dispositivos Android e iOS que permite criar um personagem Mii como avatar do jogador e personalizá-lo com bastante pormenor, incluindo a sua voz e as características de personalidade. Quem quiser, poderá importar o seu personagem já criado na Wii U ou Nintendo 3DS através de um QR Code, ou até utilizar um Mii do Tomodachi Life através do mesmo método. Assim que o Mii ganha vida no telemóvel, ele irá começar a fazer perguntas sobre os gostos, interesses e atividades da sua versão na vida real, ou seja, o jogador (utilizador?). As perguntas variam bastante, podendo ir desde trivialidades do dia-a-dia a memórias de infância, sendo umas mais sérias do que outras. A resposta é sempre facultativa e nenhum Mii se incomoda se o humano não quiser partilhar alguma informação.


A piada da aplicação começa quando se começa a adicionar amigos, que podem ser adicionados através das contas pessoais do Facebook e do Twitter. A partir daí, os personagens Mii tratam de se conhecer e visitar as casas uns dos outros, acabando assim por trocar informação entre os amigos. Ao ouvir uma resposta, é possível dar um coração ("like") à mesma ou então deixar um comentário que pode ser uma fala ou uma foto. Por vezes, quando o Mii de um amigo vem visitar, pode fazer algumas perguntas que ficam "apenas entre nós", ou seja, a resposta e restantes comentários são privadas entre os dois utilizadores.

Toda a comunicação é assíncrona, não havendo chat em tempo real nem a possibilidade de fazer uma publicação espontânea. O início de conversação é sempre feito por um Mii que faz uma pergunta. No entanto, é possível voltar a submeter respostas a perguntas feitas anteriormente, como "o que estavas a fazer agora?" para dar início a novas conversas. E assim se criou uma rede social bastante diferente do habitual, que faz lembrar as conversas dos Mii em Tomodachi Life, mas agora com conteúdos escritos pelos amigos. Da minha experiência com a aplicação, a interação com personagens de amigos reais é muito mais interessante do que com pessoas desconhecidas que adicionei para ter maior volume de interações. De facto, mesmo tendo testado a aplicação com poucos amigos mas de quem sou bastante próximo, encontrei algumas respostas muito interessantes que deram origem a conversas espontâneas, sobre temas que normalmente não são abordados nas redes sociais ou não surgiriam num chat convencional. Era um dos objetivos da Nintendo com esta app e, nessa medida, foi um sucesso. Já com desconhecidos, acaba por nos ser indiferente saber como correu o seu primeiro encontro ou se têm alguma farda preferida.

Sendo este o núcleo duro da aplicação, o Miitomo oferece ainda a possibilidade de personalizar os Mii com várias roupas que podem ser compradas na loja ou adquiridas em máquinas de "pachinko", utilizando as Miitomo coins. E é aqui que entra a monetização do jogo: as coins podem ser adquiridas de múltiplas formas a interagir com a aplicação, mas também com dinheiro verdadeiro na Play/Apple Store. O dinheiro que o jogo oferece é mais do que suficiente para se adquirir várias peças de roupa e atualizar o Mii com bastante frequência, pelo que não há grande razão nesta versão inicial para se gastar dinheiro real com a aplicação. Sempre que se troca a roupa do personagem, o Miitomo propõe que se tire uma foto para mostrar o outfit aos amigos. E assim chegamos à melhor funcionalidade da aplicação!

  
  

O Miifoto é um editor de fotos para os Mii que permite criar praticamente qualquer imagem que se pretenda, utilizando até fotos guardadas na memória do telemóvel. É possível juntar até 5 personagens numa só foto, alterar as poses e as expressões faciais, mudar o fundo e acrescentar vários stickers. É um editor muito completo como as melhores apps do género e pode ser utilizado para criar fotos de perfil, comentários para as respostas dos amigos e até imitar memes da internet... o limite é a imaginação do utilizador. O melhor de tudo é que as imagens podem muito facilmente ser partilhadas fora da aplicação, incluindo várias opções para partilhar em redes sociais.

Finalmente, a parte que não tive oportunidade de testar é a relativa à Nintendo Account, uma vez que a aplicação não está disponível em Portugal. Embora seja totalmente opcional, vincular uma conta ao Miitomo traz bastantes vantagens incluindo um grande número de "missões" que permitem ganhar pontos para o serviço My Nintendo. Além disso, os dados da aplicação passam a ser gravados na cloud, permitindo ter o Miitomo sincronizado em vários dispositivos e recuperar a informação no caso de desinstalar a app e voltar a descarregar mais tarde.


O Miitomo é o primeiro contacto da Nintendo com dispositivos móveis mas, no seu lançamento, pode-se dizer que foi um sucesso a nível de funcionalidades e interação. Tem alguns problemas, principalmente vários ecrãs de loading e um desgaste elevado da bateria (os gráficos sao completamente 3D e com uma qualidade impressionante), mas é uma aplicação bastante divertida e que se pode tornar viciante quando utilizada por vários amigos. A longo prazo pode perder a sensação de novidade, mas ao fim de duas semanas continuo a utilizar diariamente mesmo que por períodos mais curtos de tempo. Como qualquer rede social, tudo depende dos amigos adicionados e da sua frequência de utilização. E assim começa a aventura da Nintendo nos dispositivos móveis. Por cá, resta-nos aguardar que seja lançada em Portugal.

Nota: esta análise foi efectuada com base em código da versão 1.0.0 do Miitomo para Android, originalmente lançada no Japão.