Notícias

Análises

22 de março de 2016

Angry Video Game Nerd Adventures


Também apelidado de AVGN Adventures, este alucinante título é inspirado na popular série de YouTube com o mesmo nome. Desenvolvido pela FreakZone Games e tornado disponível para o público a 30 de Setembro de 2013 no Steam, AVGN rapidamente se tornou num dos seus jogos mais cobiçados. Embora o jogo tenha sido disponibilizado para outras plataformas desde então, esta análise vai cingir-se precisamente à versão PC (Steam).

   

Criação de James Rolfe, o Nerd é a personagem principal de um jogo que é maioritariamente um de plataformas, embora ocasionalmente mude para se tornar num Shooter horizontal.

AVGN Adventures é um daqueles jogos nos quais a história propriamente dita não é o mais relevante. Bastante básica, o enredo do jogo é reminiscente de séries televisivas como Captain N ou jogos como Cheetahmen, nos quais as personagens se viam arrastadas por uma força misteriosa para o interior de uma televisão. Apesar de não ser o único a ser arrastado para este "Game World" o irascível Nerd é a única personagem disponível de início, pelo que é a ele que lhe cabe a tarefa de se resgatar e aos seus deste estranho mundo.

O Nerd, cuja animação está muito bem conseguida (se bem que a dos inimigos não lhe fica atrás), tem como arma principal o Zapper da NES com o qual poderemos destruir grande parte dos inimigos do jogo. O Nerd tem ainda o Scope, uma versão bastante mais poderosa do Zapper, que pode ser adquirida no decurso dos níveis. Contudo o seu vasto poder tem um senão. Assim que o Nerd é atingido, a rama reverte para o Zapper...

   

Para além disto, o Nerd tem ainda à sua disposição um conjunto de sub-weapons, três para ser mais exacto. Um Mecha-Jesus, que quando invocado arrasa com todos os inimigos presentes no ecrã. O Glitch Gremlin, que como o próprio nome indica causa glitches no jogo, literalmente paralisando tudo menos o Nerd por breves segundos. Por fim temos o inútil calhau o qual que serve de muitíssimo pouco... A energia do protagonista é representada e consequentemente restabelecida pelas icónicas garrafas de cerveja que eram uma das imagens de marca da série de You Tube propriamente dita.

O ponto mais importante em AVGN é a sua jogabilidade. Esta exige habituação, até porque muitos acharam o controlo do salto do Nerd algo que "floaty". Contudo quanto mais jogarmos, mais domínio teremos sobre a personagem. Controlar o salto é meio caminho andado para vencer um jogo que é bastante difícil. Na realidade os controlos são bastante simples, sobretudo se optarmos por jogar AVGN com um comando da Xbox 360 em vez de o fazer com o teclado. Um botão para saltar, outro para atacar e um para usar os itens. O direcional controla o movimento do Nerd e o Start pausa e reinicia o jogo. Existe também um botão para se fazer a troca de personagens, contudo isso exige que desbloqueemos os restantes protagonistas. Mais tradicional não poderia ser.

   

Com três níveis de dificuldade disponíveis, AVGN é um daqueles títulos que consegue ser frustrante mesmo se for jogado em Easy. O modo mais fácil garante-nos menos inimigos e vidas infinitas, sendo que esta última acaba por funcionar como um incentivo sobretudo para jogadores cuja paciência se esteja a esgotar, devido às muitas cheap deaths...

É na dificuldade de AVGN que vemos surgir outro dos pontos-chave para concluí-lo. Memorização. Esta é fundamental, não apenas nos níveis em si, mas nos próprios Bosses, os quais uma vez descoberto o padrão se tornam bastante fáceis de bater. É certo que existem alguns inimigos cujo padrão é aleatório (ex: Morcegos), mas são caso raro. A maioria dos inimigos tem uma I.A. bastante básica e a já referida memorização dos seus hábitos garante-nos muitas das vezes uma passagem segura. Curiosamente a dificuldade maior do jogo está no layout insano de muitos dos seus níveis, com as infames caixas caveira a serem o derradeiro e mortífero empecilho. Com oito níveis disponíveis de inicio (o último é desbloqueado após a conclusão de todos os oito), é bem notória a influência de antigos jogos da NES como Castlevania e Megaman na sua construção. Muitas das armadilhas e mesmo a forma como certas plataformas estão dispostas trazem à memória de muitos jogadores da 8 Bits da Nintendo esses velhinhos títulos.


Pela música e pelos cenários, este jogo bem que poderia ter sido lançado em finais dos anos 90. Em suma, AVGN Adventures é um jogo difícil, mas não injusto, bastante adequado a todos aqueles que procuram um bom desafio. Para os seguidores da série este título constitui um must-have. Para além disso, AVGN tem muitíssimo replay value, pois existem inúmeras personagens ocultas prontas a serem desbloquedas e cuja jogabilidade é bastante diferente da de Nerd e inúmeros easter eggs. Um jogo bastante obsceno é certo, mas hilariante. Também disponível numa consola Nintendo perto de si.
Nota: esta análise foi efectuada com base numa cópia do jogo para PC comprada pelo autor do artigo  e elaborada em colaboração com o blog Art'in (http://culturaeartepop.blogspot.pt/).