Notícias

Análises

3 de julho de 2015

5 razões pelas quais deves jogar Splatoon (mesmo que não sejas "hardcore")

A Ana é uma leitora e amiga do Meus Jogos DS que não se considera uma "hardcore gamer" e recentemente descobriu o Splatoon. O resultado? Está a gostar tanto que decidiu partilhar connosco e os nossos leitores aquelas que considera serem as principais razões para jogar Splatoon, mesmo quando se tem pouca experiência com jogos!

Imagem: Manree Sketch
5 razões pelas quais deves jogar Splatoon se não costumas jogar
Por Ana Alexandre

Primeiro deixem-me apresentar-me: chamo-me Ana, sou jogadora casual de WoW e desde os 3 anos que jogo em consolas Nintendo (NES, Game Boy Colour, Nintendo DSi, Nintendo 3DS, WiiU). Apesar disso, tenho tendência a ser uma péssima jogadora em tudo o que implique destruir coisas no espaço de tempo mais curto possível. Ou conduzir karts sem os deixar sair da estrada na primeira curva apertada. Sou aquilo a que habitualmente se chama "casual player", não gosto que os jogos sejam demasiado complexos porque aquilo que eu quero fazer é divertir-me e não stressar. Nunca me verão a tentar desviar 100 vezes de raios no Final Fantasy, porque mais depressa parto a consola do que tento 100 vezes.

Por outro lado, estou a ficar viciada em Splatoon. E para toda a gente que é como eu, ficam aqui 5 razões pelas quais deviam mesmo dar uma oportunidade ao jogo:


1. não exige nada de ti - tanto se pode optar por fazer jogos sozinho como jogar online. E uma partida online é coisa para te roubar 5 minutos no máximo. Se é para uma pessoa se entreter um bocadinho enquanto está à espera de outra coisa qualquer, este é um jogo a ter em conta. Por outro lado, ficam já avisados que a "outra coisa qualquer" vai provavelmente sofrer um atraso de meia hora, porque as batalhas são viciantes e raramente faço só uma, mesmo quando é suposto fazer só uma.

2. é fácil - quando vi que ia jogar com e contra pessoas de nível 17, pensei que me ia dar mesmo muito mal. Na verdade, em cerca de 3 batalhas consegui ficar em primeiro lugar na minha equipa, com gente bem acima do meu nível atrás de mim. A verdade é que existem muitos modos de jogar Splatoon online, e o meu passa por avidamente pintar ao máximo toda a área mais próxima, que geralmente é esquecida por jogadores mais avançados cujo grande objectivo é ir conquistando a área inimiga. E isto, para começar, é uma óptima maneira de uma pessoa se divertir e de não ficar stressada porque está constantemente a ser explodida por inimigos sem conseguir fazer nada de útil. Coisa que geralmente me faz ficar de trombas e querer atirar o comando à cabeça de alguém e desistir do jogo porque "não estou a fazer nada, mais vale não jogar".


3. é divertido - há algo de extremamente divertido em pintar toda uma área de jogo enquanto ocasionalmente se fazem explodir inimigos. E algo extremamente bom no facto de, mesmo que os teus colegas de equipa te queiram insultar, não o poderem fazer. Por isso podemos simplesmente fingir que estamos todos a trabalhar de forma coerente e toda a gente gosta de nós, enquanto pegamos no rolo e espalhamos tinta verde néon por um skate park.

4. é um jogo novo - as razões anteriores aplicam-se a um sem-número de jogos, incluindo o Mario Kart. Mas há ali um grande MAS: caixas e caixas de versões anteriores do jogo, que foram avidamente jogadas por todas as pessoas contra quem estás a tentar jogar e que fazem com que fiques em 12º lugar constantemente. No Splatoon não existe este problema, porque o jogo acabou de sair. Por muito que os jogadores mais experientes tenham maior facilidade em adaptar-se a novos jogos, andamos todos a descobrir como a coisa funciona e quais os modos de jogo/armas/power-ups que funcionam melhor connosco. E isso é entusiasmante para quem tem tendência a ser o novato, porque por uma vez conseguimos opinar dentro de um círculo de amigos que está a jogar.


5. o 3D não é difícil de perceber e é uma boa maneira de treinar - sou péssima com jogos 3D - estou a falar do ponto de vista de alguém que desistiu do Captain Toad: Treasure Tracker. E apesar de, no início, ter tido algumas dificuldades a determinar as definições ideais para mim, assim que percebi o que funcionava, elas simplesmente funcionam. Ok, às vezes ainda vou contra umas paredes e uns cantos e demoro mais 1 segundo a sair de lá do que devia, mas ninguém morre (nem mesmo a minha personagem, porque ninguém vai para os cantos). Mas a questão é que não é difícil desde que se perca algum tempo a mudar definições até elas estarem o mais perto possível do ideal.

Conclusão: joguem, mesmo que tendencialmente não sejam grande coisa nestes jogos. Há todo um mundo de lulas adolescentes à vossa espera.