Notícias

Análises

6 de abril de 2015

Passatempo "Mini Review" Nintendo DS - Vencedores


No mês passado, lançamos o repto aos nossos leitores: dizer-nos quais foram os seus jogos favoritos da Nintendo DS e escrever uma pequena review ao seu jogo de eleição. O volume de participações superou bastante as nossas expetativas, recebemos imensas participações e de grande qualidade! Não foi fácil, no meio de textos apaixonados, divertidos ou técnicos, selecionar as nossas participações favoritas até chegarmos a um consenso. Da parte do Meus Jogos DS, um sincero agradecimento a todos os que participaram! Dito isto, seguem-se então as 3 mini reviews vencedoras dos nossos leitores.

3 - Solatorobo, por Válter Santos

Não sendo especialmente fã de 'furries' ou de 'mechs' o "Solatorobo" conquistou-me em pleno. É o sucessor espiritual do ""Tail Concerto"" da PS1, um jogo que me foi muito querido, e que durante 12 anos eu e a industria dos videojogos esquecemos por completo. A magia de Solatorobo está no universo e na sua história. É impossível não levar a sério um plot tão completo, com boas personagens, e que tem o seu pacing como um dos aspectos mais fortes. Para além disso, tanto os gráficos como a gameplay são um marco muito especial na Nintendo DS (uma vez que o jogo aparece só no final da vida da consola).

2 - 999: 9 Hours, 9 Persons, 9 Doors, por Daniel Gomes

Atmosfera intocável, história única e execução brilhante. 999 prima por todos estes aspectos e mais alguns, sendo sem dúvida uma proposta ímpar no extenso catálogo da Nintendo DS. Para além do elenco de personagens memorável que nos apresenta, o jogo possui também uma forte componente de resolução de puzzles que ajudam a quebrar a monotonia de uma aventura que se prende fundamentalmente à leitura. Com uma componente sonora de despertar a tensão em qualquer um, não encontrarão melhor forma de passar os vossos serões, colados ao ecrã e a salivar por desvendar todos os mistérios que rodeiam o Nonary Game.

1 - Hotel Dusk: Room 215, por José Fernandes

Uma obra que experienciei por acaso, e que poderá ser digna de destaque por diversos aspectos: pelo seu estilo visual, recorrendo ao "rotoscoping" para uma animação fluída e com um estilo desenhado impecável, ou então pela forma de segurar a DS, como se de um livro se tratasse. Mas o que me deixa apaixonado por este jogo é algo mais. Nunca antes, e quiçá desde então mas teria de pensar um pouco mais, presenciei um jogo tão bem escrito. Mais do que um enredo consistente e coeso, o que me maravilha é o diálogo, a forma como as personagens de relacionam e mostram um pouco de si em cada interação. Aquela noite que lá passei, tantas vezes vivida, foi capaz de algo que, com o passar dos anos, cada vez se torna mais difícil - quebrar a barreira jogador/jogo e levar-me a viver e a conviver num hotel abandonado, no meio de nenhures. E que bela noite foi.


Os vencedores serão contactados por e-mail. Parabéns aos vencedores!