Notícias

Análises

31 de maio de 2014

Torneio Mario Kart 7: Vencedores


Após vários dias de competição terminou o nosso torneio de Mario Kart 7. A todos os que aderiram à nossa comunidade um muito obrigado pela vossa participação, e em especial muitos parabéns aos vencedores!

Aos felizes premiados, por favor aguardem pelo nosso contacto através do e-mail que nos indicaram através da inscrição. Para relembrar, os prémios são:

1.º lugar: 1 Comando Wii Remote Plus Peach;
— Vencedor: João Paulo (927 pontos)

2.º lugar: 1 Cartão eShop no valor de 15 euros e 1 Código eShop Super Mario Kart (Wii U); 
— Vencedor: Rafael (890 pontos)

3.º lugar: 1 Código Mario & Donkey Kong: Minis on the Move (Nintendo 3DS) e 1 Porta-chaves Bala Bill;
— Vencedor: Miguel (301 pontos)
Ler Mais >

30 de maio de 2014

MCM London Comic Con, por Marco Silva


Um artigo de estreia aqui no blog e logo sobre uma das maiores Comic Cons da Europa, espero sinceramente conseguir fazer com que se sintam como se lá estivessem mesmo e também semeie em vocês a vontade de ver com os vossos próprios olhos esta conferência aqui em Londres.

Então aqui fica uma pequena descrição genérica para quem não conhece a London MCM Comic Con, esta ocorre 2 vezes por ano (uma no fim de Maio e outra no fim de Outubro), tem vindo a ser organizada no ExCeL London (que para quem não conhece pode ser comparado a uma FIL mas maior) e decorre durante 3 dias (Sexta, Sábado e Domingo).


Partilhamos convosco a experiência que é estar nesta edição da MCM Comic Con de Londres. Ora em primeiro lugar tal com foi nos anos anteriores, o simples tamanho da conferência é incrível 400m2, o número de participantes ronda os 80,000, factos que fazem o MCM Comic Com incrível de visitar. A conferência tem 2 palcos principais e 3 secundários, e ainda mais 3 áreas de assinaturas de Comics, ou Memorobilia. Depois existe ainda uma zona para sessões fotográficas com personalidades de séries e comics, uma zona de gaming com torneios de vários jogos (tanto videojogos como jogos de tabuleiro), a tradicional zona de alimentação com diferentes bancas de comida japonesa, e claro inúmeras lojas com toda a merchandise que se possam imaginar.


Como devem estar a adivinhar, com o número de participantes e dado o tipo de conferência que se trata, uma coisa que é mesmo de esperar encontrar em grande quantidade, há cosplay amador por todo o lado. Simplesmente andar pelos corredores da conferência, ou mesmo sem comprar bilhete estar cá fora na entrada vale a pena só por esse facto. O cosplay nesta conferência está mesmo noutra liga, tanto pela quantidade como pela qualidade e pela forma como os grupos se organizam. Existem vários grupos que normalmente se juntam todo no último dia na parte de fora do recinto não só para fazer fotos de grupo e conviver, mas também para fazer algumas encenações entre diferentes personagens, nos grupos de series de anime podemos de vez em quando encontrar pequenas brincadeiras a representar batalhas das series, de alguns jogos e filmes acontece o mesmo, o que torna andar simplesmente a passear cá fora uma forma bem divertida de passar o dia, mesmo sem estarmos em cosplay. Tivemos a sorte de encontrar um grupo de cosplayer the Legend of Zelda com cosplays brutais que foram mesmo muito simpáticos em posar para umas fotos. Também encontramos grupos de Naruto, Assassins Creed, Attack On Titan, Spartans, entre muitos outros.


Falando agora da parte interior do recinto, mais em concreto a zona de gaming, para todos de nós que somos fans de videojogos esta zona e um pequeno paraíso, imaginem a oportunidade de estar a jogar demos de jogos que vão sair apenas daqui a 6-8 meses. A Nintendo marca presença muito forte nesta conferência, sendo o único fabricante com uma zona dedicada (e por sinal bastante grande), também marcam presença estúdios como Warner Bros. Games, Konami, Namco Bandai Games, Square Enix, 2K Games, Capcom, entre outros. Este ano a Nintendo fez uma surpresa muito boa para os seus visitantes, não só tinha um ecrã gigante para os participantes poderem jogar Mario Kart 8, com cadeiras de corrida muito giras e varias consolas a volta desta zona com o jogo para o poderem testar num ambiente não tão público (infelizmente toda esta zona esta interdita a câmaras fotográficas ou de filmar, pelo que não temos fotografias que possamos partilhar convosco…). No lado oposto a esta fantástica zona de Mario Kart a Nintendo colocou uma loja com os artigos que podem ser comprados a partir da loja online da Nintendo UK, o que numa conferência destas é fantástico, principalmente pois estavam presentes todas as estátuas que existem na loja (infelizmente as estátuas encontravam-se só para exposição e não podiam ser adquiridas na própria conferência, mas já foi bom para podermos ver ao vivo estas peças fantásticas de memorbilia e ficarmos a desejar pegar no telemóvel, entrar na loja online e fazer a encomenda logo ali na hora)


Ainda falando sobre a componente de gaming ficamos um pouco desiludidos com o facto de em todo o espaço que a Nintendo tinha não existia um espaço mesmo dedicado a Streetpass, teria sido muito giro e ajudaria se calhar as pessoas a juntarem-se mais em torno do espaço da Nintendo. Efetivamente as pessoas com 3DS acabavam por se ver sentadas no chão nos corredores ou nas zonas de alimentação, mas estavam dispersas e não existia uma interação que se notasse muito. O número de streetpasses que detetamos também foi menor este ano do que no ano passado, a rondar a ordem dos 100 por dia, poderá ser por termos andado constantemente a circular e como todas as outras pessoas dispersas e com um recinto tão vasto que possamos ter tido mais sorte no ano passado, seja como for teria sido muito interessante existir uma área de streetpass na zona da Nintendo para juntar todos os amantes da 3DS nesse espaço, fica a nossa sugestão para a próxima edição.

Outra componente fantástica da conferência são os eventos nos diferentes palcos, existindo apresentações e painéis de discussão compostos por personalidades famosas como Phil LaMarr e Greg Cipes, ou sessões onde podemos ficar a conhecer as nossas series preferidas um pouco melhor, como é o caso da sessão com Tamara Taylor (Bones), ou a sessão com Meghan Ory e Beverley Elliott (Era um vez), ou a da Lyndsy Fonseca (Nikita), todos falam sobre como é fazer a série e respondem a perguntas dos fans. Também existem painéis dedicados a Anime, Banda Desenhada, Desenvolvimento de Videojogos e muito mais. E como não podia deixar de ser os cosplayers também sobem ao palco para mostrar os seus fatos e fazer os seus skits, o que e sempre fantástico de ver.


Como um todo a conferência é fantástica, cheia de entretenimento e conteúdos para todos os gostos, seja no mundo do cinema/séries, anime/manga, gaming, tudo tem o seu espaço e esse espaço é sempre enorme e recheado. Uma conferência destas deixa uma marca enorme na memória de qualquer fã e vale mesmo a pena a experiencia. Fica a nota para a próxima edição que irá decorrer nos dias 24, 24 e 26 de Outubro, no mesmo local.

Podem ver algumas destas fotos em maior detalhe na página do Facebook do Meus Jogos DS.
Ler Mais >

Especial de Corrida: Rainbow Road Adventures, por Shiryu

Ilustração: JoelChan
Para celebrar o lançamento mundial de Mario Kart 8, o Meus Jogos DS tem o prazer de apresentar Rainbow Road Adventures, o álbum de tributo à série Mario Kart criado pelo incansável Shiryu, que os nossos leitores já conhecerão de outros trabalhos, incluindo o especial dedicado a Fire Emblem em 2013.

O álbum inclui covers das músicas relativas às Rainbow Roads de vários jogos da série, em versões orquestrais, eletrónicas e até mesmo em chiptune! O download é gratuito e pode ser feito aqui [link], mas se quiserem apoiar o trabalho do artista podem adquirir a versão HQ em formato lossless na sua página do Bandcamp.

Vejam aqui o trailer de apresentação:


E não se esqueçam de visitar a página Shiryu Music no Facebook! Esperamos que as músicas sejam do vosso agrado... e tenham boas corridas!
Ler Mais >

29 de maio de 2014

Adaptador de comandos Game Cube para a Wii U anunciado!


Completamente de surpresa foi revelado um adaptador para a Wii U para poder usar os comandos de Game Cube! O anúncio surge num vídeo promocional para o torneio de Super Smash Bros. que vai decorrer na próxima E3.

 
Isto são excelentes notícias para todos os que gostam de jogar Smash Bros. no clássico comando da Game Cube, pois já estão habituados e é um bom companheiro de luta há mais de uma década. Falta saber se este adaptador irá criar alguma conversão de modo a transformar o comando num Classic Controller, pois funcionando desse modo são também excelentes notícias para quem preferir usar o comando da Game Cube nas partidas de Mario Kart! Resta saber se veremos outros comandos à venda para lá do que foi revelado com o logotipo do Smash Bros., e tal como os Wii Remote Plus ter um leque de cores à escolha.

Só resta saber se temos de esperar pelo lançamento de Smash Bros. no fim do ano para ter o adaptador e comandos à venda nas lojas. Ou também se o serviço de consola virtual da Game Cube estará nos planos da próxima E3? Fiquem com o trailer do torneio e posterior anúncio deste adaptador!

Ler Mais >

Mario Kart 8: parceria com a Mercedes e lançamento de Mario Kart TV


O lançamento oficial de Mario Kart 8 é já amanhã, embora várias lojas já o tenham à venda o que levou a corrida de fora dos ecrãs para dentro dos centros comerciais, e como resultado as corridas online já estão a aquecer! Uma das principais características deste novo jogo é a partilha dos nossos melhores momentos através do Mario Kart TV, o que poderá encher as redes sociais com vídeos do YouTube das nossas corridas.

O Mario Kart TV já está online e disponível nos nossos computadores e telemóveis através do site https://mariokart.tv/, uma página onde facilmente podemos ver os nossos vídeos sem ser necessário ligar a Wii U ou procurar na nossa conta no YouTube, e de mesmo modo podemos ver os vídeos dos nossos amigos, ou até de vários jogadores em todo o mundo.

Mas a surpresa do dia está numa parceria entre a Nintendo e a Mercedes-Benz, marca mundialmente reconhecida  no setor automóvel, que para promover o novo GLA da Mercedes será lançado através de DLC um kart em Mario Kart 8 com o desenho desse novo carro. No entanto o lançamento deste conteúdo está apenas confirmado para este verão no Japão (por enquanto?). Para tal foi lançado um trailer onde podemos ver um Mario bastante… sério.


Para os jogadores estas podem ser muito boas notícias, atendendo que são muitos os que pedem conteúdos adicionais por download, desde arenas para o modo batalha, mais personagens (entre elas alguns que estiveram presentes em jogos anteriores) ou até mesmo novas pistas. Esta notícia vem anunciar, de algum modo, os DLCs que até agora a Nintendo tem negado estarem planeados para o jogo. Por outro lado este pode ser apenas um golpe de publicidade que pode nem chegar cá.
Ler Mais >

27 de maio de 2014

Antevisão: O que é a vida em Tomodachi Life?


Tomodachi Life é o título do próximo grande lançamento para a Nintendo 3DS, um jogo que tem gerado imensa curiosidade e não escapou a uma boa dose de polémicas após o anúncio da sua chegada ao Ocidente. Depois de um grande sucesso no Japão com o título de Tomodachi Collection: New Life e aproveitando a popularidade que Animal Crossing: New Leaf teve em todo o mundo, a Nintendo apostou em localizar curioso jogo onde os personagens Mii de amigos, familiares e quem mais se quiser interagem de formas inesperadas. Mas por mais que se veja imagens, vídeos, ou até mesmo o vídeo de apresentação "Tomodachi Life Direct", é difícil perceber de que se trata o jogo sem o experimentar.

A palavra "Tomodachi" significa "amigo" em japonês, pelo que será mais fácil interpretar o conceito do jogo através do título original como uma "coleção de amigos". O mundo do jogo é uma ilha, que pertence ao jogador e será inicialmente habitada por um personagem Mii que o represente. A partir desse momento, para todos os efeitos, é o jogador que passa a ser considerado o "lookalike" do Mii em questão, e assim será visto pelos restantes personagens que habitarem a ilha. Há uma distinção clara de identidade entre o Mii e o Humano, sendo que o personagem tem os seus próprios gostos e vontades e age de forma autónoma.

O passo seguinte é acrescentar novos personagens, com a possibilidade de indicar quais representam familiares do Humano e quais não estão relacionados. A cada novo Mii, é possível definir as características de voz e a sua personalidade, que irá influenciar o comportamento na ilha e a forma como se relacionam com os restantes personagens. É possível adicionar qualquer Mii, embora a experiência seja mais interessante quando se tratam de pessoas conhecidas, ou então celebridades ou personagens fictícias de quem se tenha uma noção da personalidade. É na interação entre os personagens e a forma como eles se relacionam que está a grande diversão do jogo, podendo estes namorar, desenvolver triângulos amorosos ou até casar e ter filhos, ou então zangar-se e até cortar relacionamentos.


A melhor forma de descrever este jogo é como uma espécie de reality show onde escolhemos os participantes. A partir do momento em que vivem na ilha, o papel do Humano consiste em cuidar dos seus Miis de forma semelhante a um "tamagotchi" ou o Nintendogs, dando-lhes de comer e resolvendo os seus problemas do dia-a-dia. Conforme o tempo vai passando, os personagens vão manifestando as suas vontades em termos de relacionamentos, perguntando se é boa ideia tentar estabelecer amizade com certo personagem, por exemplo. O jogador pode dizer que não mas, mesmo que concorde com a ideia, é possível que eles não se entendam. O mesmo acontece com as ligações amorosas, em que o jogador tem apenas o poder de influenciar certas decisões mas não pode sugerir ou forçar um relacionamento. Quando dois Miis se querem casar, por exemplo, a alternativa é deixá-los com uma enorme depressão. Mas quando se apoia o relacionamento, existe na mesma a possibilidade de tudo correr mal.

O ponto mais importante a ter em conta quando se considera a possibilidade de jogar Tomodachi Life é que este não é um jogo como Animal Crossing ou The Sims, na medida em que não representa um mundo idealizado pelo jogador e que até o seu próprio personagem tem uma vida própria. Existe na mesma uma forte componente de personalização, desde a escolha dos personagens às roupas que irão utilizar, mas todas estas componentes são acessórias ao grande elemento central: o drama. Dois amigos podem zangar-se por causa de um urso de peluche, desconhecidos na vida real podem casar dentro do jogo... a vida em Tomodachi Life é tudo menos o que se pode esperar, quase tão imprevisível como a vida real.

Enquanto Animal Crossing se tornou popular pela ideia de partilhar com os amigos a evolução do próprio personagem, neste título a diversão está em partilhar com os amigos o que lhes aconteceu dentro do jogo. A componente social acontece principalmente fora do jogo, quando se partilha imagens com os amigos (é possível tirar screenshots dos dois ecrãs a qualquer momento) e se revela coisas como "ficaste o melhor amigo do presidente da Nintendo", "acabaste de te casar com a Beyoncé" ou, talvez a melhor de todas: "vais ser pai... no meu Tomodachi Life!".


Por outro lado, este jogo também não exige a mesma dedicação de títulos como Animal Crossing, onde ficar bastante tempo sem jogar penaliza bastante o jogador. O jogo requer algum tempo na sua fase inicial, ao adicionar personagens, definir as vozes, atribuir personalidades e resolver os primeiros problemas e criar amizades. Depois disso, é perfeitamente adequado a um estilo de jogo ocasional, ficando ao critério do jogador decidir quando quer ver o que se passa com os seus personagens. A jogabilidade é extremamente simples e facilita o processo: visitar o apartamento de um Mii, interagir com ele, passar ao seguinte. E se este processo parece rotineiro, o jogo contrapõe com uma situação inesperada capaz de arrancar uma gargalhada e alguns screenshots, prolongando assim a motivação do jogador em lá voltar para saber o que aconteceu entretanto.

Tomodachi Life é um jogo bastante diferente dos restantes jogos "sociais" e que mistura vários elementos já vistos noutros títulos e até de outros géneros, mas que traz também outros elementos inovadores. O facto de não incluir modo multijogador (embora exista uma utilização interessante do StreetPass) faz com que a experiência social seja ainda mais importante, algo que a Nintendo reconheceu ao incluir um prático atalho para o serviço de partilha de imagens nas redes sociais. É também um título divertido para mostrar aos amigos, que geralmente acabam por também querer fazer parte da experiência e ter um Mii a viver na ilha.

Com data de lançamento prevista para 6 de junho, este jogo promete oferecer a cada jogador o seu próprio mundo interativo, como se tratasse em parte de um reality show, mas também de um "tamagotchi" onde se cuida dos Miis, um espetáculo de variedades recheado de comédia e dramas inesperados. Um jogo onde é possível criar uma banda, escrever a letra das músicas e vê-los a cantar, mas também um jogo onde um personagem pode sonhar que é uma sardinha apaixonada por um queijo. É bizarro, é inesperado e muitas vezes hilariante. E em breve poderá tomar de assalto o Ocidente com a curiosidade que desperta naqueles que rodeiam os jogadores.

Para aguçar o apetite, segue-se uma galeria de capturas de ecrã retiradas das cópias para análise do jogo no Meus Jogos DS.


Ler Mais >

26 de maio de 2014

Especial de Corrida: Mario Kart 7


A cada nova consola da Nintendo uma das perguntas que corre na cabeça de muitos os seus compradores é "quando é que vou jogar Mario Kart nisto?", pois é uma série que tem marcado presença em (quase) todas as consolas da Nintendo. Com o lançamento da 3DS mantinha-se essa pergunta bem viva, com um extra: como seria jogar Mario Kart em 3D?

Depois do lançamento da 3DS não foi preciso esperar muito e Mario Kart 7 foi lançado no mesmo ano de 2011, um jogo que deixou para trás as sessões em grupo em redor de um só ecrã para as partidas onde um jogador tinha à disposição dois ecrãs. Mario Kart 7 surge como uma sequela de Mario Kart DS, com alguns truques que aprendeu em Mario Kart Wii. Trouxe consigo algumas novidades que tornaram as pistas ainda mais frenéticas, levando os nossos personagens aos ares e a correr debaixo de água. Para uma leitura detalhada sobre o jogo podem ver a nossa análise a Mario Kart 7, mas agora vamos apenas refletir sobre em que aspetos continua a marcar este jogo nos tempos que correm, agora que Mario Kart 8 está prestes a ser lançado.

Quando comparado com o seu antecessor, descem para 8 o número de corredores na pista, e mesmo o número de personagens disponíveis desceu para 17, com estreias como a Abelha-Rainha, a Lagartola, o Mario Metálico e o Lakitu, agora como corredor, e pela primeira vez Masquito como personagem possível de escolher. Um leque de possibilidades que podia ser bastante reduzido, mas salvo pelo sistema de costumização de veículos, que veio criar inúmeras combinações para responder a um maior número de modos de condução diferentes. Desaparecem as motas, mas a combinação de chassis, rodas e parapente veio criar combinações únicas onde dificilmente encontramos alguém com o nosso veículo.

Foi um jogo que marcou muitas sessões de jogo locais, não só pelo seu sistema multijogador simples e sólido, mas devido ao sistema de Download Play que inclui nas corridas mesmo aqueles que não têm uma cópia do jogo. Esses jogadores podem apenas conduzir com um Masquito (com uma de diversas cores) no veículo pré-definido, mas ao contrário de Mario Kart DS todas as pistas estão disponíveis, de modo a oferecer o jogo completo, fora alguns detalhes. Dentro do online ainda existem imensas pessoas com quem correr, com um online bastante sólido e um sistema de comunidades acessível, mas a diversão está, sem dúvida, nas sessões locais onde corremos diretamente contra os nossos amigos.

Olhando para trás as novidades como o parapente e as corridas subaquáticas parecem pouco aproveitadas, criando novas situações nunca antes vistas na série ou até mesmo novas partes em pistas clássicas, mas sem conseguir criar momentos realmente únicos. Há no entanto um novo sentimento, o de correr a 60 frames por segundo em 3D, criando uma nova sensação de velocidade nunca antes obtida, um marco bastante positivo atendendo as dimensões reduzidas de um ecrã de portátil. Foi esta sensação que serviu de inspiração para outra novidade, a câmara na primeira pessoa, que serviu mais de algo extra do que realmente útil, e tal como os controlos por giroscópio foi rapidamente colocado de parte pelos jogadores.

É um jogo de sucesso, o segundo jogo que mais vendeu para a 3DS, sendo apenas ultrapassado por Pokémon X/Y e mantendo-se à frente de Super Mario 3D Land e New Super Mario Bros. 2, e Mario Kart 7 vem comprovar mais uma vez a força desta série. Tornou-se um jogo quase que obrigatório para quem tem uma 3DS, ideal para boas sessões de jogo locais ou online onde há sempre adversários garantidos, e mesmo após o lançamento de Mario Kart 8 não irão faltar boas sessões de jogo na versão portátil, que continua a acompanhar milhões de 3DS em todo o mundo.
Ler Mais >

23 de maio de 2014

Ike junta-se a Super Smash Bros.

Ike está de regresso a Super Smash Bros., um personagem que marcou bem a sua presença devido à sua força e ataques de fogo devastadores. Como um dos personagens principais de Fire Emblem junta-se a Marth para representar uma das séries mais antigas da Nintendo, que conta com uma boa legião de fãs.


O seu visual mudou relativamente e deixou para trás o equipamento que usou em Fire Emblem: Radiant Dawn, usando agora o aspeto que tem em Path of Radiance, onde se apresenta mais velho e também com mais marcas de guerra. Possivelmente irá também usar novos truques no novo Smash Bros., mas o mais provável é manter os seus ataques intactos com poucas alterações.

Entusiasmados com o regresso de Ike, ou preferiam que fosse substituído por Chrom de Fire Emblem: Awakening? Ainda estão por revelar personagens, e quem sabe, não será anunciado um novo personagem de Fire Emblem?
Ler Mais >

22 de maio de 2014

Joga Mario Kart 8 antes do lançamento


Temos boas notícias para quem está ansioso por meter as mãos em Mario Kart 8 e não consegue esperar mais uma semana. Se vives em Lisboa poderás experimentar o jogo, completo, já no dia 24 de maio na FNAC do Colombo, participar em partidas multijogador e ainda ganhar brindes!

Poderás experimentar todas as 32 pistas, os vários personagens e todos os itens do jogo, entre eles as novas armas de combate como a Flor Bumerangue, a Planta Piranha, Superbuzina e o Super 8, uma excelente oportunidade para testar o sistema anti-gravidade e ainda competir localmente contra outros jogadores. Também disponíveis vão estar consolas Nintendo 3DS com Mario Kart 7 para partidas portáteis, por isso levem as vossas consolas juntamente com a vossa cópia do jogo, de modo a tirar teimas sobre quem é o mais rápido e também para ter novos StreetPass!


Estão todos convidados a jogar o novo Mario Kart 8 e participar numa competição saudável, ou talvez despertar o pior que há em nós, na eventualidade de estar perto da meta e ser atacado por todos os lados (algo que possivelmente já aconteceu a todos).
Ler Mais >

21 de maio de 2014

Partilha Tomodachi Life com dois amigos!


Tomodachi Life será lançando a 6 de junho mas já tem um evento social marcado para convidarem os vossos amigos a entrarem no seu peculiar universo. Quem comprar o jogo recebe 2 Códigos de Download que contém a demo Versão de boas-vindas, podendo assim oferecer aos seus amigos.

Nesta versão é possível criar até 3 personagens Mii, cada um com a sua personalidade e voz, para depois explorar o jogo onde podem decorar os quartos dos seus personagens, alimenta-los, dar-lhes roupas e acessórios e ainda assistir a vários eventos. Quem terminar esta demo e ficar preso ao mundo de Tomodachi Life, e comprar a versão completa do jogo, poderá transportar todos os seus Mii para o jogo completo, continuando assim com as suas vidas. Como bónus é também desbloqueado um raro fato de panda para usar nessa versão.
Aproxima-se o lançamento do universo peculiar de Tomodachi Life, onde nós somos apenas diretores da vida das várias personagens que vamos criando ou recebendo dos nossos amigos. Não falta muito para ver os nossos amigos a partilharem as diferentes peripécias dos seus Miis nas suas ilhas!
Ler Mais >

19 de maio de 2014

Especial de Corrida: Mario Kart Wii


Com a chegada da Wii em 2006 a Nintendo trouxe ao mundo uma consola que mudou bastante o paradigma dos video-jogos na sala de estar, onde as sessões de jogo começaram a tornar-se também eventos familiares onde eram vários os que se juntavam em frente ao ecrã para participar. Os motores começaram a aquecer na E3 de 2007 com o anúncio de Mario Kart Wii, quando ainda os jogadores tinham partidas renhidas em Mario Kart DS.

Esse anúncio veio com dois fortes pilares que acompanharam o jogo durante a sua vida: as sessões de jogo online, agora sendo também possível jogar no modo Battle através da internet, e o volante Wii Wheel, um simples periférico onde encaixava-mos o Wii Remote e através dos controlos por movimento seria possível simular uma condução real. O seu objetivo não era o de criar uma sensação de condução mais realista, mas sim atrair os jogadores menos experientes através de um modo de controlo semelhante às restantes experiências que a Wii veio trazer a novos jogadores.

Muitos jogadores mais veteranos viram-se tentados em usar este novo sistema de controlo, que em grande parte era bastante acessível. O jogo ofereceu bastantes modos de controlo para além do controlo com a Wii Wheel, desde os mais tradicionais comandos da Game Cube ou o Classic Controller, a uma mistura dos controlos clássicos e movimentos através da combinação Wii Remote e Nunchuck. O jogador podia ainda escolher um modo de condução Manual, em que tinha um controlo total sobre o seu veículo, ou Automática onde os drifts eram feitos automaticamente.

Foi um jogo repleto de novidades e uma forte evolução na série, tendo introduzindo vários elementos que se mantiveram nos jogos seguintes. A primeira estreia foi a introdução das motas que contavam com uma mecânica algo diferente das dos tradicionais karts: com elas era possível cortar as curvas por dentro para ganhar alguma vantagem e também usar a técnica do cavalinho para ganhar algum boost nas retas. Por outro lado os karts mantiveram-se idênticos, tendo como vantagem uma maior estabilidade que as motas e um boost superior. Numa pseudo batalha entre motas e karts, as motas acabaram por ser mais utilizadas, não só por serem uma novidade mas porque se mostraram mais rápidas que os karts.

Outra das novidades foi a introdução dos Tricks, pequenas acrobacias possíveis após saltar de uma rampa que nos dava um boost bastante útil para ganhar alguma vantagem. Vantagem que muitas vezes era reduzida devido aos itens sempre presentes

Depois das partidas na Nintendo DS estamos de volta às sessões num só ecrã, onde até quatro jogadores dividiam o ecrã e podiam participar em loucas corridas em alta velocidade, repletas de itens que facilmente provocavam o caos, frustração para uns e alegria para outros, uma receita que colocou vezes sem conta a amizade de muitos em risco, ou até mesmo o motivo para várias rixas familiares. Estas sessões muitas vezes duravam horas, devido às 32 pistas existentes (16 novas e outras 16 clássicas) e sentiu-se um maior frenesim nas corridas com o aumento do número de personagens na corrida para 12, implicando também uma maior quantidade de itens a percorrer o alcatrão, entre outros terrenos.
Quando as partidas locais não eram possíveis podíamos a qualquer momento saltar para o online, este bastante melhorado quando comparado com o jogo anterior, pois não só a ligação era mais estável como as alterações na mecânica de drift eliminou a existência do Snaking, tornando assim as corridas mais justas. Mas o melhor destas partidas online foi a possibilidade de o fazer com 2 jogadores na mesma consola, sem problemas de latência e um frame-rate fixo. O mais curioso deste sistema foi assistir várias vezes a jogadores com o nome "Dad" e até mesmo "Mom", o que garantiu que pais e filhos partilhavam partidas online. Quer sozinhos ou acompanhados era muito fácil entrar rapidamente em partidas contra amigos e desconhecidos.

Como um bom jogo de corrida tivemos ainda os Time-Trials onde podíamos competir conta os melhores tempos dos nossos amigos, de jogadores de todo o mundo ou até contra os melhores tempos da equipa de desenvolvimento do jogo. Obter um melhor tempo numa determinada pista tornou-se uma competição indireta com os nossos amigos, uma luta pessoal que se tornou bastante frequente neste jogo.

Com 25 personagens disponíveis este foi o jogo que teve o maior número de condutores disponíveis, estes dos universos de Super Mario, Donkey Kong, marcando ainda presença o Mii, um dos símbolos da Wii. Estes personagens encontram-se divididos em 3 categorias: Light, Medium e Large, cada um deles com veículos próprios para o seu tamanho, veículos com atributos diversos para haver sempre uma combinação que se aproximasse do nosso método de jogo. O tamanho do Mii era determinado pelas dimensões do mesmo e, por este motivo, foram muitos os que alteraram as dimensões do seu Mii, ou ainda criar versões "Bebé" dos mesmos.

Também não seria Mario Kart sem as loucas pistas que nos leva a vários mundos do universo de Super Mario, com pistas que vão desde as mais simples como o Luigi Circuit, um agradável passeio ao pôr-do-sol em Daisy's Circuit, uma correria pelas lojas do Coconut Mall, ou pistas mais loucas como os saltos constantes em Mushroom Gorge, a autêntica montanha russa que é o Wario's Gold Mine, uma corrida pelas árvores da Maple Treeway ou ainda enfrentar o trânsito em Moonview Highway. O derradeiro desafio foi, sem dúvida, a Rainbow Road, esta que ainda é considerada a mais difícil de toda a série (mesmo com o lançamento de Mario Kart 8).

Dentro das pistas retro estão de volta várias favoritas de jogos das consolas anteriores, sendo bastante agradável re-visitar níveis como o Waluigi Stadium da Game Cube, a Delfino Square da DS, o Ghost Valley 2 da SNES ou até o Bowser's Castle da Nintendo 64. Há um bom equilíbrio entre as pistas novas e as antigas e, embora algumas pistas partilhem o mesmo tema, a sensação é bastante diferente. De volta está ainda o Battle Mode, com 5 novas arenas e 5 retro, onde podemos enfrentar os nossos amigos em batalhas por moedas ou a rebentar os balões dos adversários. Existe ainda uma arena escondida, temática de Super Mario Galaxy, acessível apenas através de torneios especiais através da internet.

15 anos depois do lançamento de Super Mario Kart surge um novo jogo que, não só marcou a série e comprovou que a comunidade de Mario Kart ainda era bastante forte e competitiva, como trouxe novos jogadores às pistas. Entrar em corridas online tornou-se um evento mundial todos os dias, não só por ser muito prático entrar logo em competição mas também pelo gosto em correr contra outras pessoas, e não o computador.

O sucesso de Mario Kart Wii é inegável, sendo o jogo da série que melhor vendeu até hoje, que ainda em 2013 ultrapassaram 1 milhão de vendas. Foi o responsável por inúmeras sessões de jogo, quer depois de um dia de trabalho como durante longas tarde de domingo, reunindo amigos e familiares em conjunto. Criou rivalidades, motivos de discussão diversos, mas juntou todos em frente a um único ecrã, numa era onde o hábito se tornou cada um olhar para o seu próprio e pequeno ecrã.

Ler Mais >

16 de maio de 2014

Torneio Mario Kart 7



Aproxima-se o lançamento de Mario Kart 8 e os nossos motores já estão a aquecer, mas até lá porque não preparar as nossas técnicas de corrida através de um torneio de Mario Kart 7? A convite da Nintendo Portugal, o Meus Jogos DS lança um pequeno torneio e, para tornar as coisas mais interessantes, os vencedores receberão prémios!

Este torneio começa agora e irá decorrer até ao dia 30 de maio às 23:59 horas, e para tal temos uma comunidade preparada para vocês. Para participar só precisam de:
  • preencher formulário em baixo com o vosso nome ou alcunha e contacto e-mail (só estão aptos a receber os prémios se tiverem os vossos dados neste documento);
  • aceder à comunidade Meus Jogos DS em Mario Kart 7 através do código 50-3499-2739-2073;
  • ser residente em Portugal, de forma a poder receber os prémios pelo correio
  • no caso dos códigos de download, estes funcionam apenas em consolas europeias;
  • participar e acumular pontos, pois ganhará quem mais pontos tiver;

Para aceder às comunidades basta entrar no modo Multijogador Online, escolher Comunidades e introduzir o código aqui presente. Contamos com a vossa presença!

Os prémios são os seguintes:
  • 1.º lugar: 1 Comando Wii Remote Plus Peach;
  • 2.º lugar: 1 Cartão eShop no valor de 15 euros e 1 Código eShop Super Mario Kart (Wii U);
  • 3.º lugar: 1 Código Mario & Donkey Kong: Minis on the Move (Nintendo 3DS) e 1 Porta-chaves Bala Bill;
Todas as pistas e personagens são permitidas neste torneio, só precisam mesmo de participar! Os resultados do torneio serão anunciados após a conclusão do mesmo!  

Atualização: por motivos técnicos relativamente às comunidades de Mario Kart 7, apenas serão premiados os 3 primeiros classificados. Pedimos imensa desculpa por quaisquer incómodos causados!
Ler Mais >

15 de maio de 2014

Mario Kart 8


De todas as séries protagonizadas pelo Super Mario além dos seus jogos de plataformas, nenhuma é mais popular do que a série Mario Kart. O seu historial conta já com 7 títulos extremamente bem sucedidos e conhecidos pela pura diversão que oferecem a jogar tanto a solo como com outros jogadores. A série regressa agora na Wii U com Mario Kart 8, pela primeira vez em alta definição e a promessa de uma jogabilidade ainda mais emocionante com novas pistas, itens e personagens.

A grande novidade deste jogo é a mecânica antigravidade: percursos nas pistas que atraem os veículos e permitem corridas nas paredes de alguns cenários, loopings e até mesmo pistas suspensas que se contorcem no ar. O melhor exemplo desta mecânica é a pista "Circuito do Mario", desenhada como uma Fita de Möbius onde se perde a noção de qual é o lado de "cima" e o de "baixo". Se esta é uma questão principalmente estética que permite criar visuais surpreendentes, também abriu portas a uma maior originalidade das pistas. Ao correr em modo antigravidade, a câmara acompanha o veículo com uma ligeira inclinação que não perturba a jogabilidade mas deixa perceber que não se está a correr na orientação imposta pelas leis da física.

À parte de questões estéticas, o modo antigravidade seria praticamente o mesmo que jogar num percurso plano. Por este motivo, acrescentaram a estes segmentos uma mecânica nova de rodopio turbo, que ocorre quando dois corredores colidem entre si ou quando um colide com certos obstáculos, rodopiando e ganhando um aumento temporário de velocidade. Desta forma, as secções antigravíticas das pistas acabam por introduzir mais variedade na jogabilidade, além das secções subaquáticas e aéreas (com parapente) que foram adicionadas em Mario Kart 7 na Nintendo 3DS.


Mario Kart 8 traz um grande salto qualitativo em relação aos jogos anteriores da série, mas também em relação aos restantes jogos da Wii U. Sem menosprezar excelentes esforços na consola como Pikmin 3 ou Super Mario 3D World, os gráficos de Mario Kart 8 são realmente deslumbrantes, explorando ao máximo as capacidades da consola para nos trazer cenários fantásticos e uma sensação de velocidade impressionante, tudo sem baixar dos 60fps, mesmo quando se está numa sessão a 2 jogadores em split-screen com replicação da imagem no GamePad. O frame rate só muda quando se encontram 3 ou 4 jogadores em simultâneo na consola, ficando estável nos 30fps nestas situações.

Se o grafismo é impressionante, não é menos notável a banda sonora do jogo, que se tornou instantaneamente a melhor de toda a série não só pelo facto de ser gravada ao vivo, mas também pelas composições vivas e empolgantes. Muitos temas clássicos estão de volta, graças aos campeonatos retro, mas são os novos temas que merecem destaque graças a músicas como a do Castelo do Bowser (que se baseia no novo tema do vilão em Super Mario 3D World) ou das Cataratas do Masquito, sem esquecer a viciante melodia do Circuito Elétrico.

Gráficos e banda sonora aliam-se ao fantástico design das pistas para fazer o melhor Mario Kart de sempre. Neste jogo, os personagens do universo Mario vão percorrer um parque aquático, subir e descer cataratas vertiginosas, atravessar um aeroporto e até correr no espaço, mas também regressar a pistas memoráveis como o Relógio Tiquetaque de Mario Kart DS, a Autoestrada Musical de Mario Kart 7 ou a mítica Estrada Arco-Íris de Mario Kart 64, agora com um cenário bastante melhorado e uma excelente versão da sua inesquecível banda sonora.


Este é também o jogo com a maior seleção de personagens até hoje, embora não necessariamente a melhor. O catálogo de 30 personagens tem bastantes heróis e vilões para todos os gostos, incluindo os sete Koopalings que têm surgido em vários jogos desde Super Mario Bros. 3 na NES. No entanto, sente-se que há pouca variedade quando 5 personagens são versões "bebé" de outros já existentes e outros 2 são versões metalizadas, mas ficaram de fora alguns carismáticos como o Bowser Jr., Dry Bones ou até mesmo o Coelharápio e Meowser que surgiram em títulos recentes do universo Mario. Cada personagem tem diferentes caraterísticas, embora se dividam de forma genérica entre os leves, médios e pesados, podendo depois selecionar-se qualquer dos veículos existentes no jogo e ainda personalizar com a escolha das rodas e do parapente.

A escolha do personagem e personalização do veículo são componentes importantes da jogabilidade, sendo possível visualizar as estatísticas durante a seleção para entrar em corrida no estilo de jogo mais adequado ao jogador. Além dos karts mais convencionais e outros com desenhos mais criativos, existem também as motas (introduzidas em Mario Kart Wii) com um estilo de controlo diferente e as Moto 4 mais adaptadas ao jogo fora da pista. De forma geral, qualquer veículo oferece a mesma competitividade, desde que associado ao personagem e equipamento certos. Descobrir a melhor combinação para cada jogador é também uma parte da jogabilidade e um desafiado oferecido por Mario Kart 8 aos mais competitivos.

Os tradicionais modos de jogo estão de volta, como o Grande Prémio, Contrarrelógio (Time Trial), Corrida VS e Batalha. No entanto, desta vez o menu principal divide-se entre "Um Jogador", "Multijogador Local" e Online: 1/2 Jogadores. Tirando o modo contrarrelógio, todas as opções de jogo estão disponíveis para um ou mais jogadores, sendo que o Grande Prémio pode ser jogado por até 4 jogadores para tentar obter as taças de ouro e desbloquear personagens e outros conteúdos. Quem quiser simplesmente desbloquear conteúdos, no entanto, terá mais sorte ao fazê-lo a solo, visto que a AI do jogo é normalmente menos competitiva do que outros jogadores experientes, sendo em geral um jogo mais fácil do que Mario Kart Wii.


O maior desafio para os jogadores a solo está no modo Contrarrelógio, onde se corre a sós pelo melhor tempo possível e se compete contra um tempo inicialmente estabelecido pela Nintendo ou contra os melhores tempos de jogadores de todo o mundo. Para cada pista, é possível enviar um fantasma do nosso melhor tempo ou descarregar o fantasma de outro jogador que se queira desafiar, sendo que cada publicação pode ser acompanhada de uma mensagem no Miiverse se o jogador assim o desejar.

Já o modo Batalha, embora disponível para jogar a solo, é muito mais interessante contra outros jogadores. Aqui, cada personagem tem 3 balões e tenta utilizar os itens que vão surgindo para rebentar o maior número possível de balões dos adversários. Este modo, que sempre esteve presente desde o primeiro jogo da série, sofreu agora uma grande transformação: acabaram-se as arenas de combate onde imperava o caos, agora as batalhas ocorrem em pistas normais de corrida, com 8 do jogo principal disponíveis. Embora seja interessante e divertido em alguns dos percursos, há outros em que se fica bastante tempo sem encontrar um adversário para atacar, sendo que a forma como desenvolveram este modo acabou por se revelar uma decisão infeliz. A ausência de arenas não é má por si só, mas a falta de circuitos específicos para o modo Batalha faz com que este seja menos divertido do que as corridas normais nas mesmas pistas.

As Corridas VS funcionam como um Grande Prémio onde o jogador define as regras de jogo, desde a disponibilidade dos itens ao número de pistas e o método de seleção. Ao todo, existem 8 campeonatos Grande Prémio para um total de 32 pistas, das quais 16 correspondem aos campeonatos clássicos. No modo VS, é possível definir um único campeonato que percorra os 32 circuitos para determinar o melhor jogador do grupo, por exemplo. Este é o modo que será mais jogado quando 3 ou 4 pessoas quiserem jogar em simultâneo, graças à opção de escolha livre de regras e pistas para percorrer. No entanto, a 2 jogadores será mais interessante partir para o modo online.


O jogo online permite que uma ou duas pessoas se juntem na mesma consola para correr contra outros jogadores de todo o mundo. No caso de haver um segundo jogador, a experiência em split-screen será idêntica ao multijogador local e com a mesma fluidez oferecida pelos 60fps. Caso o segundo jogador esteja registado na consola e também tiver dados de gravação de jogo, poderá utilizá-los para jogar em vez de aparecer como um simples "convidado". As opções de jogo Mundial ou Continental tentam criar partidas com outros jogadores já ligados entre si: basta aguardar que todos estejam prontos, escolham uma pista onde querem jogar e assistir ao sorteio das pistas para a corrida começar.

Depois de algumas experiências ao nível do online, a Nintendo terá reparado que muitos jogadores escolhiam sempre as mesmas pistas, fazendo com que alguns ficassem frustrados por correr vezes seguidas o mesmo circuito. Desta vez, o jogo sugere apenas 3 pistas para escolha, ou a opção de escolha aleatória, impondo assim a variedade de experiências. Mario Kart 8 incui ainda a opção de criar torneios, que podem ser públicos ou privados, onde é possível definir as regras de jogo e as datas ou periodicidade dos torneios. Estes são acompanhados por uma comunidade do Miiverse onde os jogadores se poderão organizar ou desafiar.

O jogo oferece ainda a possibilidade de jogar online apenas com amigos, onde existe a funcionalidade de conversação por voz enquanto se está no lobby entre corridas. Aqui, é possível ver a lista de amigos e rivais (pessoas que não são amigos mas com quem se jogou recentemente online) e entrar nas suas corridas, embora a conversação por voz só esteja disponível para amigos. Neste modo, a definição de regras é semelhante ao modo Corrida VS, onde se podem escolher as pistas e os itens, assim como decidir se a corrida irá incluir CPUs no caso de não existirem 12 jogadores disponíveis. Para organizar a corrida, é possível enviar mensagens aos amigos através do Miiverse, mas o jogo não notifica a sua receção, pelo que será aconselhável recorrer a métodos tradicionais como o telemóvel para convidar os amigos. É uma falha lamentável que mostra as limitações do serviço online da Nintendo, já que é possível ver na consola que alguns amigos também estão no jogo, mas não há uma forma eficiente de lhes dizer para se juntar a uma corrida online.


Falta mencionar uma das maiores funcionalidades deste jogo, conhecida por Mario Kart TV ou MKTV. Em todo o jogo, no final de uma corrida, é possível visualizar os melhores momentos em planos de câmara dinâmicos. Estas sequências de vídeo são geradas automaticamente, mas podem ser configuradas de forma a focar-se mais em certos jogadores ou certos momentos como a utilização de itens. A visualização do MKTV é interativa e permite puxar atrás ou avançar rapidamente, assim como ver em câmara lenta. É aqui que o cuidado com a apresentação do jogo mais salta à vista, realçando todos os detalhes das pistas, dos veículos e até dos modelos 3D dos personagens, onde se pode ver por exemplo a forma como até a bigodaça do Mario abana ao vento com a velocidade.

Os vídeos do MKTV proporcionam excelentes momentos depois das corridas, especialmente quando se está em multijogador local e alguém fez uma daquelas jogadas que estragam a partida a alguém. Com novos itens como o bumerangue e a planta piranha, há agora mais formas de irritar os outros jogadores, mas com outros como a super buzina, também é possível defender-se de ataques devastadores como o da carapaça de espinhos que ataca o jogador em 1º lugar na corrida. Tudo isto são momentos belíssimos de se ver nos "melhores momentos", especialmente em câmara lenta na hora certa. É uma funcionalidade que vai proporcionar tantas gargalhadas como as amizades que irá "arruinar" ao revelar quem é que deixou aquela casca de banana mesmo antes da meta, entre outras coisas.

Há ainda uma opção do menu principal para consultar os vídeos da MKTV, onde estão automaticamente guardados os vídeos mais recentes, incluindo das corridas online onde os melhores momentos não são apresentados no final. É possível fazer upload dos vídeos para a Nintendo Network, acompanhando com uma publicação e screenshot no Miiverse, e até mesmo para o Youtube (não disponível a tempo desta análise), para mostrar ao mundo as corridas favoritas. Da mesma forma, o jogo permite ver vídeos carregados por outros jogadores, incluindo da lista de amigos e das comunidades criadas para os torneios, sendo necessário para isso ir percorrendo a lista de vídeos, num menu que merecia ter sido feito de forma mais prática e intuitiva, mesmo que isso sacrificasse o seu visual impressionante onde uma plateia assiste aos vídeos num ecrã gigante.


Ao fim de muitas horas com Mario Kart 8, é impossível não reparar nas suas falhas já referidas. Talvez incomodem mais por serem pequenas nódoas num manto imaculado, onde tudo roça o limiar da perfeição. O jogo foi cuidado e polido ao mais ínfimo detalhe, algo que se percebe quando até os veículos levam pormenores desenhados na parte de baixo, que só poderão ser visíveis quando se vê  em câmara lenta no MKTV um acidente que provoque uma cambalhota no ar. Todo este cuidado para que o jogador não se aperceba sequer durante a corrida dos pormenores e se deixe simplesmente envolver numa experiência imersiva e divertida. Em comparação com outros títulos da série, fica a sensação de que o jogo poderia ter um pouco mais de conteúdo, como as missões/desafios online, personagens ou percursos específicos para o modo de Batalha. No entanto, não são essas omissões que vão retirar o brilho a este jogo.

Mario Kart 8 é tudo o que se pode esperar de um novo Mario Kart, com corridas divertidas e viciantes carregadas de itens. Continua a ser o jogo onde uma corrida em primeiro lugar pode ser arruinada a uns meros passos da meta final, ou onde um jogador em último lugar consegue recuperar até ao topo da tabela. É um título excelente para jogar a solo de forma competitiva, mas também casualmente com os amigos, prometendo várias gargalhadas e discussões saudáveis em multijogador. É também o jogo mais impressionante da Wii U até ao momento em termos visuais e não só um dos mais divertidos da consola, mas também um dos mais divertidos da série: após jogar Mario Kart 8, os outros jogos de corridas parecem todos mais enfadonhos.

Ler Mais >

7 de maio de 2014

Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire anunciados


Os fãs de Pokémon Ruby e Sapphire podem finalmente celebrar pois foi hoje anunciado o remake de ambas as versões! Pokémon Omega Ruby e Alpha Sapphire, à semelhança de Pokémon X e Y, serão lançados em simultâneo em todo o mundo em novembro de 2014 para a Nintendo 3DS (e 2DS)!


Pouco se sabe mais sobre estas versões atualizadas, sendo apenas lançada a dica de "uma dramática história num espetacular novo mundo", um novo desenho de Groudon e Kyogre e, para matar um pouco mais a nostalgia destes títulos, a versão Omega Ruby será lançada numa caixa vermelha, enquanto que a versão Alpha Sapphire será lançada numa caixa azul. Por enquanto temos apenas um breve video a anunciar o jogo, mas aguardamos impacientemente por mais informações ou, quem sabe, outro Nintendo Direct especial dedicado a Pokémon!

Ler Mais >