Notícias

Análises

30 de abril de 2014

Mario Kart 8 Direct: Novidades

Como esperado cada Nintendo Direct é motivo para ter os olhos e ouvidos bem atentos pois significam novidades que nos deixam bastante entusiasmados. Sem qualquer aviso prévio foi lançado um Nintendo Direct especial dedicado apenas a Mario Kart 8 e, como resultado, o nosso entusiasmo escalou a um novo nível.

As novidades foram várias, no entanto esta apresentação serviu também para falar um pouco mais dos aspetos já anunciados, como logo no início o sistema Antigravidade e todos os seus truques, como andar aos encontrões com os adversários ou alguns elementos na pista para garantir um pequeno boost. Ficamos também a conhecer como funciona o modo de Personalização dos veículos, bastante semelhante a Mario Kart 7 onde escolhemos a carroçaria, rodas e planador, permitindo inúmeras combinações onde devemos encontrar pelo menos uma que vá de encontro à nossa maneira de jogar.

Depois de uma feroz introdução dos Lacaios de Bowser surge a primeira das novas personagens deste direct, Rosalina Bebé, também conhecida como a "Pequena Demolidora", que tal como os restantes personagens bebés é bastante leve. Outra novidade é a Peach Rosa Metálico, a "Profissional Graciosa", uma condutora de bastante equilíbio e potência, e tal como Mario Metálico deversá ser uma condutora de peso. Pela terceira vez consecutiva junta-se o personagem Mii, uma adição bastante esperada mas também bastante interessante. São no total 30 personagens, o maior número de condutores até hoje na série Mario Kart.

Ficamos também a conhecer melhor os dois últimos itens, estes que já tinham aparecido brevemente nos últimos videos do jogo. Em primeiro lugar a evolução do Sete da Sorte de Mario Kart 7, o Super 8, que coloca 8 itens de uma só vez em nosso redor, para usar desenfreadamente. Por último ficamos a conhecer a Superbuzina, que ao usar causa uma onda de choque em nosso redor que causa dano a todos os adversários que estiverem próximos, mas pode também ser usada defensivamente, conseguindo até proteger-nos da fatídica Carapaça de Espinhos! Este item poderá muito bem mudar a série Mario Kart como a conhecemos até hoje.

Houve também espaço para falar de algumas das funcionalidades online, onde até 12 jogadores podem participar em frenéticas corridas contra condutores aleatórios de todo o mundo, ou se preferirmos contra jogadores da mesma região, criar rivalidades entre os nossos amigos ou ainda participar em torneios. Nestes torneios os utilizadores poderão não só decidir as regras dos torneios feitos por si, como a sua data e horas, sendo um excelente modo de planear eventos com os nossos amigos e, no fim do torneio, os resultados serão apresentados numa tabela. De regresso estão também os dados fantasma, um modo de competir contra os melhores tempos dos nossos amigos, ou os melhores 10 tempos de todo o mundo. Os jogadores que conseguirem bater os tempos de elementos da equipa de desenvolvimento do jogo, receberão um carimbo para poder usar no Miiverse.

Outra das novas funcionalidades é o Mario Kart TV, um sistema de video onde podemos voltar a assistir aos nossos melhores momentos, partilhar esses momentos com o mundo e também assistir e descarregar os melhores videos. Talvez dos pontos mais interessantes é a partilha de vídeos através do YouTube, onde poderemos depois colocar nas nossas redes sociais para todo o mundo ver!

Se ainda restassem dúvidas quanto a adquirir este jogo, a Nintendo preparou uma promoção especial onde, ao comprar Mario Kart 8 quer nas lojas de retalho ou através da eShop, recebemos outro jogo completamente gratuito!

Foi com uma sessão de música, uma corrida narrada por um locutor e um novo trailer do jogo que terminou este Nintendo Direct. Daqui por um mês estaremos nas corridas e autênticos campos de batalha que só Mario Kart consegue obter, mas até lá vamo-nos deliciando com os vídeos e imagens que nos vão sendo partilhadas. Por último fica aqui a apresentação na sua totalidade:


Ler Mais >

Promoção Mario Kart 8 — Recebe um jogo Wii U!


O entusiasmo por Mario Kart 8 sobe a cada semana que passa até o seu lançamento, sendo cada vez mais as pessoas que querem correr nas pistas fisicamente impossíveis que o jogo tem para oferecer. Como se não chegasse a Nintendo decidiu aproveitar o lançamento do jogo para lançar uma excelente promoção que certamente irá interessar a todos os futuros comprados de Mario Kart 8.


Na compra deste jogo, quer numa loja de retalho ou através da eShop poderão receber gratuitamente um jogo extra para a Wii U (à vossa escolha). Esta promoção abrange ainda quem decidir comprar o Pacote Especial Wii U de Mario Kart 8 ou a versão limitada do mesmo. Os jogos que poderão receber são:
Esta promoção é válida na Europa, e para tal basta registar o vosso Mario Kart 8 desde as 10h00 do dia 30 de maio até às 23h59 do dia 31 de julho e receberão o vosso código de download do vosso jogo escolhido. Para mais informações poderão aceder ao site oficial da promoção.
Ler Mais >

Nintendo Direct: Mario Kart 8


Falta praticamente um mês para o lançamento de Mario Kart 8 e, de surpresa, a Nintendo lançou um Nintendo Direct especial dedicado ao jogo, uma apresentação repleta de novidades! Ficamos a conhecer novos itens, novas pistas, novas personagens e ainda novos modos de jogar, juntamente com algumas mecânicas de jogo já anunciadas.

Poderão ver tudo no vídeo que se segue, por isso, liguem os motores!



Caso não tenham 35 minutos disponíveis para ver já a apresentação, a Nintendo deixou ainda este empolgante trailer das novidades!

Ler Mais >

28 de abril de 2014

Kirby Triple Deluxe


Kirby, o herói cor-de-rosa da Nintendo, é um dos personagens mais carismáticos da companhia, mas também um dos mais ignorados por muitos jogadores devido ao seu aspecto "demasiado adorável". Tanto que é muitas vezes retratado no Ocidente com cara de chateado, numa tentativa falhada de o fazer parecer menos fofinho: uma bola rosa que apenas tem uma cara, braços e pernas, será sempre adorável por mais que franza o sobrolho. Mesmo assim, a série Kirby conta com um grande número de fãs que o acompanham desde a sua primeira aventura há mais de 20 anos no GameBoy. O pequeno herói regressa agora em Triple Deluxe com novas habilidades e truques que tiram partido dos gráficos 3D.


Desta vez, o Rei Dedede foi raptado por uma adorável criatura em forma de escaravelho e compete ao nosso herói salvá-lo. Como é tradição da série, Kirby tem ao seu alcance uma série de transformações obtidas ao absorver o poder dos seus inimigos. Assim, o herói cor-de-rosa pode adquirir o poder de usar uma espada, transformar-se num escaravelho ou até usar a nova transformação circense. Geralmente, qualquer transformação lhe permite avançar pelos níveis, com maior ou menor dificuldade, mas algumas são necessárias para aceder a certas áreas especiais.

Os níveis são simples, mas divertidos e bastante criativos, tirando partido do efeito 3D da Nintendo 3DS para realçar a jogabilidade em profundidade, com sequências de plataformas mais afastadas do ecrã do que o normal a criar algumas situações de jogo bem interessantes. Além disso, há alguns momentos em que inimigos que se encontram num plano mais ao fundo podem lançar ataques em direção ao ecrã, dando literalmente uma dimensão extra ao jogo. Em todos os níveis, estão escondidas algumas pedras do Sol que devem ser colecionadas, já que em todos os mundos é necessário um número destas pedras para se poder avançar para a batalha contra o boss e abrir caminho para o mundo seguinte.


Uma novidade deste Kirby é o poder Hypernova, uma semente especial que se encontra em apenas alguns níveis e dá ao herói um poder de sucção extra-forte capaz de absorver elementos do cenário. Este poder altera a mecânica de jogo e é normalmente usado em níveis com uma maior componente de puzzle, como ter de puxar blocos na ordem correta para abrir certos caminhos, por exemplo. Estas sequências terminam habitualmente com um mini-boss e contribuem bastante para a diversidade de experiências dentro do jogo. Há ainda uma série de porta-chaves colecionáveis espalhados pelos níveis e que, mesmo sendo opcionais, são interessantes para os fãs da série pois representam personagens e poderes do Kirby em jogos anteriores.

Infelizmente, a fase final do jogo é um pouco inferior ao conteúdo que lhe precede. Durante os níveis finais, repete-se muito do conteúdo já visto, com pequenas alterações. Depois de todo um jogo com uma história mínima, acrescentaram no final uma sequência de história desnecessária que explica tudo o que aconteceu. No entanto, a mesma acaba por soar um pouco forçada, comparando com jogos anteriores da série em que esta era praticamente inexistente, mas auto-explicativa. Afinal de contas, é a própria Nintendo que sucessivamente tem demonstrado que os jogos de plataformas não precisam de ter uma narrativa para serem divertidos.


Mas Kirby Triple Deluxe não se fica pela aventura principal. O modo Kirby Fighters é um pequeno jogo inspirado em Super Smash Bros. onde o jogador escolhe um poder do Kirby e utiliza-o para derrotar personagens com outros poderes. Este modo tem ainda uma componente multijogador com Download Play, mas não é suficientemente substancial para se tornar mais do que uma curiosidade. O outro modo disponível desde o início é um jogo de ritmo chamado Dedede's Drum Dash. Este tem uma mecânica simples, mas bastante desafiante para quem não for perito em jogos musicais. Infelizmente, tal como no caso de Kirby Fighters, não é suficientemente desenvolvido para que seja jogado vezes sem conta, mas ainda assim é uma distração interessante.

Terminada a aventura principal, o jogador é premiado com um modo Boss Rush onde se pode lutar contra todos os bosses do jogo de seguida, e ainda um modo alternativo à história principal onde se pode jogar com o Rei Dedede. Este tem uma jogabilidade interessante e muito diferente da de Kirby, sendo um personagem muito mais forte e, por isso, com direito a menos recuperações de energia. No entanto, este modo permite saltar vários níveis e defrontar bosses exclusivos, sendo uma excelente forma de acrescentar replay value a quem terminou Triple Deluxe com vontade de jogar mais um bocadinho.


Se os fãs de Kirby já sabem o que esperar deste Triple Deluxe, os restantes irão gostar de saber que este é um jogo bastante simples e acessível, mas suficientemente envolvente para ser jogado até ao fim. Graças aos diferentes power-ups, cada um pode jogar da forma que achar mais divertido. O charme dos personagens confere um aspeto infantil ao jogo, mas não deve ser desculpa para se deixar de jogar um bom jogo de plataformas que foi concebido para deixar miúdos e graúdos com um sorriso.
Ler Mais >

24 de abril de 2014

Mario Golf: World Tour


Por vezes as visitas ao Reino Cogumelo são bastante pacíficas e velhos inimigos como Bowser são recebidos a convite pela própria Princesa Peach, que prefere colocar os velhos problemas para trás e simplesmente aproveitar uma bela tarde de descanso. Agora com a chegada do bom tempo, porque não aproveitar com umas partidas de um (não tão) pacífico golfe?

Um pouco à semelhança de Mario Kart e Tennis, World Tour pega no golfe tradicional como o conhecemos e dá uns toques especiais para se tornar uma experiência que difere de um simulador. Tal como na realidade temos diante nós um vasto campo de golfe onde temos de acertar com a bola no buraco no menor número de tacadas possíveis. Para tal temos à nossa disposição um conjunto de tacos para permitir uma ampla quantidade de tacadas possíveis, de modo a colocar a bola no green ou enfrentar várias adversidades.

A jogabilidade é bastante simples, acessível e todas as jogadas contam com bastante feedback para perceber bem o trajeto e provável destino da nossa bola. Podemos efetuar as nossas tacadas no modo Automático, este que é bastante simples e ótimo para quem não se quer preocupar muito com questões técnicas, e o modo Manual onde temos perfeito controlo sobre a nossa bola e um conjunto de combinações para controlar melhor a direção da bola. Todas as tacadas contam com um jogo de precisão e timing, que ao acertar no tempo certo resulta numa boa pancada cheia de estilo. É um jogo com uma curva de aprendizagem que se pode alongar, quando comparado com outros jogos de desporto de Mario e companhia, mas é gratificante quando conseguimos ter um maior controlo sobre a nossa jogada.

Existem dois modos de jogo principais: o primeiro é o tradicional Mario Golf, ideal para partidas rápidas quer individuais ou em grupo. Para um jogador podemos competir por um menor número de possível de pancadas; enfrentar um rival e ganhar o maior número de buracos; completar rondas em contra-relógio ou ainda competir num modo onde todas nossas jogadas dão pontos. Por último existe também o modo de Desafios, onde testamos as nossas capacidades através de missões como apanhar moedas, passar a bola por anéis, entre outros. Concluir estes desafios desbloqueia-nos novos campos de golfe bastante interessantes, como o Lago do Yoshi onde quase tudo é feito de tecido e podemos usar as plataformas flutuantes para fazer a nossa bola saltar mais alto, ou a Lagoa de Cheep Cheep onde jogamos golfe debaixo de água, o que muda relativamente as nossas tacadas pois aqui a bola flutua.

São níveis com bastantes elementos que nos obrigam a pensar bem nas jogadas e onde as tacadas nunca são as mesmas, pois o vento influencia bastante a direção da bola, mas para nos ajudar a enviar a bola mais longe temos um número de tacadas limitadas que usam energia ou até mesmo itens, como o Cogumelo que nos envia a bola mais longe quando esta aterra, a Bill-Bala que transforma a bola numa bala que viaja rapidamente em linha reta, ou a Flor-Bumerangue que envia a bola numa trajetória curva. Jogar nestes campos com itens e moedas tornam o jogo mais interessante, muito por haver uma boa quantidade de itens a usar e imensas moedas para apanhar (que nos dão imenso jeito para comprar equipamento para o nosso Mii).

São partidas onde jogamos com os personagens do universo Mario a que já estamos habituados, todos eles com características e modos de jogo próprios que os representam bem, que vão desde as tacadas diretas e certeiras de Mario às fortes jogadas de Bowser, que têm menor controlo e direção. Podemos também jogar com o nosso Mii, devidamente preparado para a ocasião com equipamento adquirido no outro principal modo de jogo, o Clube do Castelo.

Neste modo jogamos apenas com o nosso Mii e temos um Castelo da Peach bastante diferente ao que estamos acostumados a ver, um grande clube de golfe cheio de vida e repleto de personagens bastante familiares. Embora o instinto nos faça querer saltar em cima dos diversos lacaios de Bowser, estes estão aqui para se divertirem e ainda acompanharem as nossas partidas, ou até mesmo ver a nossa reputação a subir enquanto derrotamos os restantes membros do clube. É aqui em que a excelente localização em português se faz notar, onde entre os termos técnicos de golfe surgem diálogos devidamente localizados e com piadas onde nada se perde na tradução.

À medida que vamos avançando vamos desbloqueando novas peças de roupa e acessórios que funcionam como equipamento para o nosso Mii, que melhora a performance do nosso personagem e as suas jogadas, muito à semelhança ao que estamos habituados a ver em jogos do género RPG (o que não é de estranhar pois este é um jogo feito pela Camelot, conhecida pela sua série Golden Sun). É fundamental ter um bom equipamento pois o jogo vai-se tornando cada vez mais difícil e os nossos adversários mais fortes, existindo para tal imensas peças para desbloquear e comprar com as moedas que vamos adquirindo em qualquer modo de jogo.

Na banda sonora também vemos bastante o toque da Camelot, que soube usar músicas bastante energéticas para tornar as partidas mais interessantes, onde algumas músicas parecem derradeiras batalhas contra fortes inimigos (quando simplesmente temos de acertar com a bola no buraco). Esta vivacidade conta também com visuais bastante detalhados, quer nos cenários cheios de pormenores ou nas animações das personagens, cada uma delas com uma maneira própria de jogar e com várias reações às jogadas.

Se quisermos testar as nossas capacidades contra outros jogadores, e também exibir o equipamento do nosso Mii, podemos enfrentar até 3 pessoas quer localmente ou através da internet. Um dos pontos interessantes neste modo é que podemos jogar em simultâneo sem ter de esperar pela nossa vez para dar uma tacada, o que acelera bastante o ritmo do jogo. Infelizmente não existe download play neste jogo, sendo obrigatório a cada jogador ter uma cópia do jogo para as partidas locais, perdendo-se aqui uma boa oportunidade de repetir as sessões de jogo locais como em Mario Kart 7.

Contudo não é um jogo de competição direta, os itens que podemos usar melhoram as nossas tacadas em vez de atacar os nossos adversários, fugindo um pouco às batalhas a que estamos habituados a ter. Tal como em Mario Kart 7 existem comunidades que juntam vários jogadores de todos os pontos do mundo, sendo uma boa maneira de juntar todos os nossos amigos num Clube mais privado.

Para além das tradicionais partidas de competição direta podemos participar em Torneios Mundiais cujo prémio para o vencedor é uma excelente quantia de moedas, e mesmo só pela participação adquirimos peças de equipamento. Podemos ainda criar Torneios Privados onde definimos todas as regras, tais como a data de conclusão do torneio, as personagens e itens disponíveis, entre outras regras dos restantes modos de jogo. Estes torneios podem ser públicos ou privados, e para facilitar podemos partilhar o código do nosso torneio com os nossos amigos.


É um jogo repleto de conteúdo para explorar, com muito para desbloquear e ainda conteúdo adicional disponível por DLC já confirmado. São vários os personagens que podemos escolher e facilmente encontramos um que tenha um estilo de jogo que gostamos mais (e em todo o caso podemos alterar o nosso Mii para o estilo de jogo adequado). Mario Golf: World Tour podia afugentar muitos por ser um desporto que muitas vezes não é procurado, mas o modo como a jogabilidade funciona ajuda a aproximar muitos para este desporto.

Ler Mais >

Pacote especial Wii U de Mario Kart 8 anunciado


Aproxima-se cada vez mais o lançamento de Mario Kart 8, o fãs estão cada vez mais ansiosos (e impacientes) e muitos outros têm ganho interesse e curiosidade com este novo título. De modo a ter um lançamento realmente em grande a Nintendo anunciou hoje um pacote especial da Wii U especial de Mario Kart 8 que estará disponível nas lojas dia 30 de maio!

No pacote temos a edição Premium da Wii U e uma cópia física do jogo, juntamente com todos os acessórios da consola, uma edição que irá incentivar todos os que querem comprar a consola precisamente para jogar Mario Kart 8 e humilhar enfrentar os seus amigos em partidas locais ou online. Sobem para 3 o número de edições disponíveis nas lojas de retalho no lançamento, juntamente com a edição digital através da eShop.

Juntamente com o lançamento do jogo estarão disponíveis mais dois Wii Remotes especiais dedicados a veteranos de Mario que nos têm vindo a acompanhar deste o clássico Super Mario Kart. Desta vez é Peach e Yoshi a terem o seu merecido destaque, e como são sempre precisos comandos extra para as partidas de Mario Kart locais este é um bom incentivo para boas sessões de jogo em nossas casas.

Já falta muito pouco para poder correr a todo o gás e em qualquer direção em Mario Kart 8, e para os futuros compradores que estão à espera deste lançamento para adquirir uma Wii U esta é uma excelente oportunidade!

Ler Mais >

22 de abril de 2014

Conteúdo adicional para Mario Golf: World Tour aunciado


Mario Golf: World Tour chega à Nintendo 3DS no dia 2 de maio e a Nintendo anuncia hoje que para além das horas de entretenimento que o jogo oferece já, haverá muitos mais conteúdos disponíveis para download.

Com dez campos, 126 buracos e extensos modos multijogadores, a que se juntam torneios regionais e mundiais, o novo jogo da série Mario Golf oferece aos fãs de golfe bastante entretenimento. Mas para quem não se cansa desta modalidade e pretende expandir a sua experiência com o jogo, a Nintendo disponibilizará para download* não só novos buracos (até 108 no total!) como também mais personagens do Reino Cogumelo.

Os conteúdos adicionais para o jogo serão lançados em três conjuntos individuais: o Conjunto Cogumelo, já no próprio dia do lançamento; o Conjunto Flor, ainda antes do final de maio e, finalmente, em junho, o Conjunto Estrela. Cada um deles incluirá dois novos campos de 18 buracos e uma nova personagem jogável: Toadette, Coelharápio e Rosalina, respetivamente.

Para adquirir estes conjuntos só terá de dirigir-se ao Balcão do Toad, que encontrará no menu principal do jogo. Cada um deles custará €5,99, mas se quiser adquirir os três de uma só vez terá a oportunidade de comprar um pacote triplo por apenas €11,99 já a partir do dia 2 de maio**, com acesso a cada conjunto novo à medida que for disponibilizado. Na altura da aquisição deste pacote triplo receberá um bónus especial: a personagem jogável Mario Dourado, que disparará a sua Flor Dourada para arrecadar Moedas consoante a distância percorrida. Se, pelo contrário, adquirir os conjuntos individualmente, o Mario Dourado estará igualmente disponível, mas apenas após o lançamento de todos os conjuntos.

A Nintendo oferecerá ainda torneios experimentais a todos os interessados em jogar uma amostra destes campos adicionais antes de os adquirirem. Se tiver o jogo e descarregar o conjunto experimental terá a possibilidade de participar nestes torneios online.

Seja o primeiro a dar uma tacada de mestre em Mario Golf: World Tour, disponível no dia 2 de maio, em exclusivo para a família de consolas Nintendo 3DS e totalmente localizado em português.

* Requer o acesso à Internet de banda larga.
** O pacote triplo estará disponível por €11,99 apenas até às 23h59 do dia 31 de maio, data após a qual passará a custar €14,99.


E não se esqueça que já é possível estar sempre online com a Nintendo 3DS graças à ZON@Fon. Com mais de 500.000 hotspots, a maior rede WiFi em Portugal permite aos utilizadores da consola fazer download de vídeos e jogos, trocar mensagens multimédia com amigos e familiares e jogar com utilizadores de todo o mundo, onde quer que vá e de forma totalmente gratuita.

Para mais informações sobre o jogo Mario Golf: World Tour, visite o respetivo site oficial.

[Nota: o texto apresentado neste artigo foi retirado de um comunicado oficial da Nintendo Ibérica.]
Ler Mais >

NES REMIX 2


Depois da boa recepção dada a NES REMIX, era de se esperar que a Nintendo regressasse à fórmula, especialmente contando que o título original deixou de fora muitos dos grandes clássicos da NES e que agora são aproveitados para uma sequela.

NES REMIX 2 consiste numa colectânea de minijogos baseados em antigos jogos da NES como Super Mario Bros. 3, Zelda II: The Adventure of Link, Kirby's Adventure, Metroid e Punch-Out!!, entre outros. Os minijogos funcionam como pequenos excertos da jogabilidade dos jogos originais, aqui apresentados como desafios e que têm associada uma classificação. Ao todo há 12 jogos representados, embora no início apenas 5 tenham desafios disponíveis. Conforme se vai ultrapassando desafios e ganhando estrelas, o jogo vai desbloqueando novos níveis e secções relativas a outros clássicos.


Adicionalmente, tal como acontecia no jogo anterior, existem as categorias "Remix", com novos desafios que não eram possíveis nos jogos originais. Esta é a secção mais interessante do jogo, incluindo níveis que misturam características de títulos diferentes, como o Toad de Super Mario Bros. 2 ter de derrotar inimigos no mundo de Kirby's Adventure, ou a Samus de Metroid explorar as grutas de Super Mario Bros para colecionar moedas. Esta ideia de juntar universos, embora estreada já em NES REMIX, é muito melhor aproveitada nesta sequela para desafios mais criativos e divertidos. Ainda assim, o jogo mantém como prioritário o foco nos desafios tradicionais.

Completado um desafio, é possível fazer uma publicação no Miiverse e incluir "autocolantes" nos desenhos, que são também desbloqueados durante o jogo. Como acontecia no título anterior, será possível ver no jogo as publicações de outras pessoas, mas desta vez será ainda possível ver vídeos de algumas jogadas. Infelizmente, esta opção não estava disponível a tempo da análise, visto ainda não existir comunidade do jogo no Miiverse.


Como bónus ao jogo principal, NES REMIX 2 inclui um jogo chamado Super Luigi Bros., uma versão espelhada de Super Mario Bros. onde se controla o Luigi da direita para a esquerda, com a jogabilidade alterada para saltar mais alto do que o Mario, como acontecia em Super Mario Bros.: The Lost Levels. Quem tiver comprado também o primeiro NES REMIX desbloqueia o "Championship Mode", que consiste em superar um conjunto de desafios mais longos que o habitual e competir pelo ponto mais alto da tabela de classificações.


O maior problema de NES REMIX 2 é o mesmo do jogo anterior, enquanto alguns dos títulos são clássicos inquestionáveis da primeira consola da Nintendo, outros são bastante menos interessantes. Também a jogabilidade, que permanece inalterada, pode ser um factor negativo para os jogadores menos habituados a jogos retro. O jogo não disfarça a tentativa de promover os clássicos da Virtual Console na Wii U, mas desta vez oferece "remixes" mais interessantes, sendo este o melhor dos dois títulos. Está concluída uma boa colectânea de minijogos baseados na NES, fica a vontade de ver no futuro um título baseado nos clássicos da SNES ou até, quem sabe, da GBA!
Ler Mais >

17 de abril de 2014

Golden Sun


Durante o anúncio de lançamento da Game Boy Advance um jogo que chamou bastante à atenção foi Golden Sun, um RPG ao estilo tradicional que estaria disponível pouco tempo depois do lançamento da consola no Japão. Um jogo desenvolvido pela Camelot, responsáveis por Mario Tennis e Golf para a Nintendo 64, ou mais importante ainda Shining Force em consolas da SEGA.

O jogo começa nos eventos da infância de Isaac e Garet, dois rapazes da cidade de Vale que foi parcialmente destruída após o despertar do Mt. Aleph, um vulcão até então dormente onde existe um templo que esconde vários segredos sobre o mundo. Weyard é um mundo plano que se parece com uma ilha flutuante onde a água dos oceanos jorra pelas bordas da terra. De imediato vemos que estamos diante um jogo onde a fantasia reina sobre o que é fisicamente possível, tirando partido do imaginário para criar ambientes únicos e memoráveis.

A aventura dos nossos dois heróis é a de resgatar Jenna, amiga de infância de ambos, e Kraden, um velho sábio com bons conhecimentos sobre a Alchemy, uma força que governa o mundo, e Psynergy que funciona como uma espécie de magia. Para além do trio de inimigos bastante curiosos que os obriga a partir nesta aventura, surge também um pedido de Wise One, um estranho ser que nada mais é que uma pedra gigante falante com apenas um olho: evitar que as quatro Elemental Towers (torres colossais associadas aos quatro elementos que governam o mundo) sejam acessas, pois Wise One afirma que o seu despertar irá trazer ruína ao mundo.

Estes quatro elementos têm planetas associados: água (Mercúrio), terra (Vénus), fogo (Marte), vento (Júpiter), com um papel fundamental tanto na história da série tal como nas personagens. O que aparenta ser uma simples história de resgate rapidamente ganha toda uma grandiosidade que ainda hoje é bastante bem recordada pelos fãs. Depois de ter os pilares bem estabelecidos empurra o jogador para um mundo fantástico onde rapidamente passa a conhecer Ivan e Mia, os restantes personagens que formam a equipa, e juntos vão descobrindo mais sobre o mundo e o que é a Alchemy. Pelo percurso exploramos os mais distintos cenários, como cidades com histórias próprias a resolver, florestas falantes, templos repletos de armadilhas e até um longo mar.

Uma das mecânicas principais enquanto exploramos o mundo é toda uma componente de enigmas que temos de resolver para prosseguir, puzzles onde no geral usamos o poder da Psynergy para empurrar estátuas, apanhar objetos, ler mentes e revelar segredos, entre muitos outros. Durante todo o jogo somos recebidos por vários quebra-cabeças muitas vezes comparáveis aos da série Legend of Zelda, por raramente se repetir a mesma fórmula em demasia e por surpreender sempre com novos enigmas geralmente associados ao ambiente onde nos encontramos. Uma mecânica única, muito raramente usada em jogos ao estilo RPG e que trouxeram algo que diferenciasse a série Golden Sun.

Mas não é apenas na exploração que a magia acontece, pois durante as batalhas lidamos com um sistema que, embora aparente ser simples torna-se complexo em alguns aspetos, devido aos Djinn que atribuem classes aos personagens, cada uma delas com um conjunto de ataques e estatísticas. Numa fase inicial começamos por usar o Djinn que partilhe o mesmo elemento do personagem que o tem equipado, mas rapidamente nos encontramos a explorar combinações diversas que desbloqueiam ataques únicos, novas classes e até mesmo Psynergy para ser usada nos cenários do jogo para explorar cantos secretos. É interessante criar combinações e descobrir as que melhor se adaptam ao nosso estilo de jogo, e rapidamente nos vemos a não usar Djinns de Venus em Isaac, por exemplo, embora ambos partilhem o mesmo elemento.

Como se não bastasse todo um jogo de combinações temos uma forte dinâmica durante as batalhas que envolve invocar os Djinn, cada um deles com habilidades próprias quer de ataque ou suporte. Quando os invocamos tornam-se inativos, retirando os bónus de diversas estatísticas e ficamos também sem algumas Psynergy, ou até mesmo as combinações de ataques únicos conseguidos devido à mistura de Djinns de elementos diferentes. Claro que nem tudo se perde e para além da ajuda das diversas habilidades dos Djinn, um determinado número de invocações permite-nos utilizar divindades extremamente poderosas que nos dão alguma vantagem nas batalhas. Após o seu uso (e alguns turnos) os Djinn voltam a tornar-se ativos, trazendo consigo todas as estatísticas e ataques, prontos a serem usados novamente.

Existem muitos Djinn a procurar no mundo, uns mais fáceis de encontrar que outros, e vários são os que temos de derrotar para os poder usar, sendo recomendável encontrar todos se quisermos ter os nossos personagens o mais fortes possíveis. Existem ainda diversas armas que possuem ataques que são usados aleatoriamente durante um simples ataque e itens únicos que quando equipados nos dão classes únicas, associadas a eles. Tudo isto num sistema de batalha bastante rico e dinâmico, que pode ser bastante simples bastando apenas equipar os personagens com Djinns dos elementos correspondentes, evitando assim uma mudança constante de ataques.

É um mundo rico em detalhe, com visuais fantásticos e uma banda sonora de excelência, que em 2001 (2002 na Europa) deixaram muitos entusiasmados por mostrar o que a Game Boy Advance era capaz de fazer, um enorme salto da anterior consola portátil da Nintendo. Acima de tudo foi uma grande aventura em formato portátil capaz de rivalizar com muitos títulos lançados até então nas consolas domésticas, não só devido à sua história como a própria jogabilidade, quer durante as batalhas ou até mesmo na exploração do mundo.

Contudo foi apenas a primeira metade de uma grande aventura na GBA e podemos apenas ver a conclusão desta história em The Lost Age. Jogar Golden Sun quer na televisão ou no Game Pad podia implicar perder muita da riqueza dos visuais devido ao aumento dos pixeis, mas a emulação por parte da M2 encontra-se boa e, com cores vibrantes, dando uma nova camada a este clássico. Jogar Golden Sun numa televisão transmite a sensação que podia muito bem ter sido um clássico RPG da Super Nintendo.


É um jogo obrigatório para todos os amantes de RPGs no geral e que possuam uma Wii U, quer para matar saudades deste clássico ou para descobrir o início de uma série que, depois dos eventos de Golden Sun: Dark Dawn deixou muitos a pedir um quarto título. É bom re-descobrir este jogo e ver como as suas mecânicas ainda hoje são bastante únicas e, enquanto não chega The Lost Age, podemos já começar a aventura para nos preparar para a sua conclusão.

Ler Mais >