Notícias

Análises

24 de outubro de 2014

Disney Magical World


O mais recente título da Disney para a Nintendo 3DS é um jogo que apela diretamente aos fãs do imaginário da empresa, convidando-os a entrar num mundo mágico habitado pelo Mickey e dezenas de outros personagens que ao longo das últimas décadas têm cativado as pessoas em todo o mundo. Aqui, o jogador pode criar o seu avatar ou utilizar um personagem Mii e realizar um conjunto de atividades, desde pescar a gerir um café, dedicar-se à costura ou perseguir fantasmas. 


Neste jogo acaba-se por fazer um pouco de tudo sem que realmente se faça alguma coisa. A progressão na história é dependente de um sistema de "stickers" que são obtidos ao ajudar personagens e completar diversas missões, que poderão variar entre costurar uma peça de vestuário, criar alguma mobília, ou encontrar um certo objeto, por exemplo. Na prática, tudo se resume a uma lista de objetos que têm de ser recolhidos do cenário e que, de seguida, serão utilizados por um personagem Disney para criar o que se pretende, pelo que não existe qualquer desafio além da recolha de “ingredientes”. Se uma personagem quer um chapéu do Mickey, basta ir à loja de costura, verificar a lista de materiais necessários e partir em busca dos mesmos, para depois oferecer à costureira que os troca pelo chapéu pretendido.


Além da recolha incessante de objetos, é possível combater com uma varinha mágica contra fantasmas, a vertente deste jogo mais próxima de um RPG e que fica disponível após uma longa fase introdutória que apresenta as diversas lojas e atividades disponíveis na cidade central. É a partir desta que existem vários portais que vão sendo desbloqueados ao avançar na história, completando missões e colecionando os autocolantes da felicidade. São estes portais que dão acesso aos universos Disney que estão para além do Mickey e seus amigos, permitindo explorar o imaginário de clássicos como a Cinderella ou o Aladino, por exemplo. Embora também aqui existam personagens a pedir coisas triviais, nestes universos existem várias missões que consistem em explorar uma pequena área a derrotar inimigos. O sistema de combate é muito simples e a dificuldade não é muito exigente, mas é possível melhorar as caraterísticas do personagem ao equipá-lo com certas roupas, dando uma certa introdução a conceitos gerais dos RPGs sem se tornar demasiado técnico.

De certa forma, é um jogo semelhante ao Fantasy Life, também lançado este ano, mas sem o que faz desse título um jogo tão especial. Há, realmente, muitas atividades para “fazer”, mas todas consistem em obter materiais. O sistema de combate é igualmente simples, mas sem as opções de classes ou melhorias que o tornam um pouco mais técnico. É ainda possível gerir um café e até ter o próprio quarto, que podem ser personalizados e partilhados através da internet, algo que aqui se torna mais interessante pelas temáticas Disney que estão disponíveis. A “magia” deste jogo está mesmo na força dos personagens e cenários que puxam pela nostalgia dos grandes filmes de animação, sendo bastante apelativo especialmente aos mais novos que começam a descobrir filmes memoráveis como A Bela e o Monstro.


Do ponto de vista de um adulto, o jogo é demasiado repetitivo e enfadonho, mas é importante ter em conta que as crianças costumam ter mais paciência para o tipo de tarefas que aqui são propostas. É também um jogo que parte do princípio que irá apelar principalmente às raparigas, com um grande foco na criação de roupas e onde os ícones correspondem todos a acessórios femininos. O jogo pode perfeitamente ser jogado por rapazes e tanto podem optar por um avatar masculino como feminino, mas o conteúdo existente é maioritariamente dedicado às meninas, sem qualquer adaptação ao género do personagem. Por outro lado, existe total liberdade para vestir o personagem com qualquer peça de roupa ou acessório existente no jogo, pelo que se um rapaz utilizar um fato completo da Minnie, não será julgado por isso.

Graficamente, é um jogo com visuais interessantes, que peca apenas pela falta de fluidez. Em alguns cenários, a imagem arrasta-se com o simples movimento do personagem, apesar dos gráficos bonitos e que retratam bem os mundos representados. O jogo utiliza o relógio da consola para funcionar em tempo real, mostrando o dia e a noite e até a altura do ano corretamente, com diferentes atividades a acontecer e elementos do cenário a surgir conforme o momento em que se está a jogar.



Disney Magical World é um jogo pouco ambicioso, mas que ainda assim oferece bastante conteúdo e uma grande longevidade. Repetitivo e enfadonho para a maioria dos jogadores, tem um público-alvo bastante definido que não se importará com as suas falhas, sendo uma boa recomendação para quem tiver filhos em idade de descobrir o universo da Disney. Infelizmente, não está localizado em Português, pelo que poderá em certas partes exigir o acompanhamento dos pais.