Notícias

Análises

29 de julho de 2014

Siesta Fiesta


Siesta Fiesta é o título deste jogo acabado de lançar para a eShop da Nintendo 3DS e do qual poucos terão ouvido falar. Sem manobras de marketing notáveis, divulgado apenas com a lista de lançamentos da semana, este jogo com ar inocente acabou por se revelar uma agradável surpresa!

O jogo é o mais recente clone de jogos como Breakout e Arkanoid a ser publicado, um aspeto que o fará ser imediatamente ignorado por muitos jogadores, antes de se aperceberem de uma grande diferença: em Siesta Fiesta não é necessário (salvo raras missões) limpar todos os blocos do ecrã, mas sim limpar o máximo possível enquanto o ecrã se desloca lateralmente. Embora pareça apenas uma ligeira diferença, esta caraterística torna o jogo bastante mais divertido do que seria de esperar, removendo algumas frustrações do conceito original e acrescentando algum replay value aos níveis: "Da próxima vez, não quero falhar aquela sequência".

   

O Siesta adormeceu e está a sonhar com Fiestaville, a terra dos Fiestas: aqui há muita festa, com sombreros, música mariachi e pinhatas. No sonho de Siesta, a sua cama vai deslizando pelo mundo, atravessando o mais variado tipo de cenários que se consiga associar minimamente ao México, enquanto o vai projetando em direção às pinhatas (que correspondem aos blocos do Arkanoid). Ao longo dos diferentes níveis, vão surgindo novos obstáculos e alguns power-ups, que mantêm a mecânica de jogo fresca ao longo dos 8 mundos existentes.

Embora não seja incrivelmente original, o jogo oferece uma experiência leve e refrescante, ótima para jogar casualmente nas férias do verão. O estilo artístico e a banda sonora dão uma boa ajuda, mas o que realmente vicia é mesmo a mecânica de jogo e a forma como incentiva a repetir os níveis para obter uma melhor pontuação. Houve um grande cuidado com os controlos, sendo possível utilizar botões e ecrã tátil em qualquer combinação desejada, sendo que é sempre muito fácil controlar a cama e o ângulo de projeção da bola com precisão, mostrando que este não foi um título apressado mas sim um produto desenvolvido com bastante qualidade.


Um dos problemas de muitos jogos de estúdios independentes é a gestão de expetativas, sendo que muitos acabam por desiludir os fãs e outros, como é o caso deste Siesta Fiesta, surpreendem quem lhes der uma oportunidade. Um título simples, divertido e viciante que é muito fácil de recomendar a qualquer pessoa que queira um jogo para passar o tempo mas que, em simultâneo, ofereça bom conteúdo.