Notícias

Análises

28 de abril de 2014

Kirby Triple Deluxe


Kirby, o herói cor-de-rosa da Nintendo, é um dos personagens mais carismáticos da companhia, mas também um dos mais ignorados por muitos jogadores devido ao seu aspecto "demasiado adorável". Tanto que é muitas vezes retratado no Ocidente com cara de chateado, numa tentativa falhada de o fazer parecer menos fofinho: uma bola rosa que apenas tem uma cara, braços e pernas, será sempre adorável por mais que franza o sobrolho. Mesmo assim, a série Kirby conta com um grande número de fãs que o acompanham desde a sua primeira aventura há mais de 20 anos no GameBoy. O pequeno herói regressa agora em Triple Deluxe com novas habilidades e truques que tiram partido dos gráficos 3D.


Desta vez, o Rei Dedede foi raptado por uma adorável criatura em forma de escaravelho e compete ao nosso herói salvá-lo. Como é tradição da série, Kirby tem ao seu alcance uma série de transformações obtidas ao absorver o poder dos seus inimigos. Assim, o herói cor-de-rosa pode adquirir o poder de usar uma espada, transformar-se num escaravelho ou até usar a nova transformação circense. Geralmente, qualquer transformação lhe permite avançar pelos níveis, com maior ou menor dificuldade, mas algumas são necessárias para aceder a certas áreas especiais.

Os níveis são simples, mas divertidos e bastante criativos, tirando partido do efeito 3D da Nintendo 3DS para realçar a jogabilidade em profundidade, com sequências de plataformas mais afastadas do ecrã do que o normal a criar algumas situações de jogo bem interessantes. Além disso, há alguns momentos em que inimigos que se encontram num plano mais ao fundo podem lançar ataques em direção ao ecrã, dando literalmente uma dimensão extra ao jogo. Em todos os níveis, estão escondidas algumas pedras do Sol que devem ser colecionadas, já que em todos os mundos é necessário um número destas pedras para se poder avançar para a batalha contra o boss e abrir caminho para o mundo seguinte.


Uma novidade deste Kirby é o poder Hypernova, uma semente especial que se encontra em apenas alguns níveis e dá ao herói um poder de sucção extra-forte capaz de absorver elementos do cenário. Este poder altera a mecânica de jogo e é normalmente usado em níveis com uma maior componente de puzzle, como ter de puxar blocos na ordem correta para abrir certos caminhos, por exemplo. Estas sequências terminam habitualmente com um mini-boss e contribuem bastante para a diversidade de experiências dentro do jogo. Há ainda uma série de porta-chaves colecionáveis espalhados pelos níveis e que, mesmo sendo opcionais, são interessantes para os fãs da série pois representam personagens e poderes do Kirby em jogos anteriores.

Infelizmente, a fase final do jogo é um pouco inferior ao conteúdo que lhe precede. Durante os níveis finais, repete-se muito do conteúdo já visto, com pequenas alterações. Depois de todo um jogo com uma história mínima, acrescentaram no final uma sequência de história desnecessária que explica tudo o que aconteceu. No entanto, a mesma acaba por soar um pouco forçada, comparando com jogos anteriores da série em que esta era praticamente inexistente, mas auto-explicativa. Afinal de contas, é a própria Nintendo que sucessivamente tem demonstrado que os jogos de plataformas não precisam de ter uma narrativa para serem divertidos.


Mas Kirby Triple Deluxe não se fica pela aventura principal. O modo Kirby Fighters é um pequeno jogo inspirado em Super Smash Bros. onde o jogador escolhe um poder do Kirby e utiliza-o para derrotar personagens com outros poderes. Este modo tem ainda uma componente multijogador com Download Play, mas não é suficientemente substancial para se tornar mais do que uma curiosidade. O outro modo disponível desde o início é um jogo de ritmo chamado Dedede's Drum Dash. Este tem uma mecânica simples, mas bastante desafiante para quem não for perito em jogos musicais. Infelizmente, tal como no caso de Kirby Fighters, não é suficientemente desenvolvido para que seja jogado vezes sem conta, mas ainda assim é uma distração interessante.

Terminada a aventura principal, o jogador é premiado com um modo Boss Rush onde se pode lutar contra todos os bosses do jogo de seguida, e ainda um modo alternativo à história principal onde se pode jogar com o Rei Dedede. Este tem uma jogabilidade interessante e muito diferente da de Kirby, sendo um personagem muito mais forte e, por isso, com direito a menos recuperações de energia. No entanto, este modo permite saltar vários níveis e defrontar bosses exclusivos, sendo uma excelente forma de acrescentar replay value a quem terminou Triple Deluxe com vontade de jogar mais um bocadinho.


Se os fãs de Kirby já sabem o que esperar deste Triple Deluxe, os restantes irão gostar de saber que este é um jogo bastante simples e acessível, mas suficientemente envolvente para ser jogado até ao fim. Graças aos diferentes power-ups, cada um pode jogar da forma que achar mais divertido. O charme dos personagens confere um aspeto infantil ao jogo, mas não deve ser desculpa para se deixar de jogar um bom jogo de plataformas que foi concebido para deixar miúdos e graúdos com um sorriso.