Notícias

Análises

10 de abril de 2014

Especial de Corrida: Mario Kart Super Circuit


Hoje, vamos direccionar as nossas atenções para aquela que seria a primeira incursão da série Mario Kart em consolas portáteis. Desenvolvido pela Intelligent Systems para o GBA, corria o ano de 2001, Super Circuit era uma amálgama dos dois primeiros títulos da série. Sem a existência, mais uma vez, de uma estória propriamente dita, este jogo de corridas possui as mesmas personagens do anterior da N64 e as mesmas diferenças de classes ("heavy", "middle" e "feather"), que ajudam a ditar, muitas vezes, o sucesso do jogador.


A variação em relacão aos títulos anteriores da série vai ocorrer nos modos de jogo que são apresentados. Dividindo em duas partes, temos os modos Single Player e Multiplayer. Em Single, encontramos à nossa disposição a Quick Run, que permite ao jogador experimentar diferentes pistas e velocidades desbloqueáveis, como forma de praticar para a prova “real”. Para além da Quick Run, temos a já conhecida Time Trial, na qual o jogador, na sua busca pelo melhor tempo, tem direito a usar três cogumelos (para lhe conceder velocidade). Por último, mas não menos importante, existe a Mario Cup. Este é o verdadeiro modo competitivo, e é através dele que se irão desbloquear as diferentes pistas e modos de dificuldade. Mais uma vez, o jogador deve fazer uso dos diferentes items que encontra na pista e, ao fim das três voltas, ocupar um lugar que lhe permita manter-se na luta pelo título, sob pena de ter que reiniciar a partida.

No entanto, não apenas de Single Player vive este jogo de karts. O Multiplayer é deveras importante, sendo que é possível disputar o Mario Cup, a dois, ou enfrentar até quatro jogadores em simples corridas VS, ou mini-jogos elaborados em modo Battle. Ao usar o Single-Pak do GBA, Super Circuit era um dos poucos jogos da consola a suportar até quatro jogadores, através do uso de um único cartucho com a utilização dos cabos de ligação.


Muito inovador e considerado um dos melhores títulos desta portátil, este era um jogo no qual era possível, ainda, a partilha de “karts fantasmas” que, ao serem introduzidos no Time Trail, possibilitavam ao jogador a tentativa de conseguir bater o recorde do amigo. Com uma jogabilidade muito mais fluída e precisa, Super Circuit vai introduzir, juntamente com a Mushroom, Flower, Star e Special Cups, a Lightning Cup. Além disso, Super Circuit não esqueceu as suas raízes, nomeadamente, o original da SNES: todas as pistas de Super Mario Kart estão disponíveis, via as chamadas Extra Cups, através da obtenção de uma medalha de ouro no modo normal de jogo.

Super Circuit mantém uma dificuldade elevada, embora seja um dos jogos mais acessíveis e aconselhado a novatos da série. Embora possua belas pistas, com gráficos bastante detalhados para uma portátil da época e a música, como seria de esperar, é fantástica. Por algum motivo este foi um dos jogos seleccionados para fazer parte do programa embaixador da 3DS. Original e retro. Difícil, embora acessível. Super Circuit é um dos títulos mais bem cotados da série e, para muitos, o melhor. Um jogo que merece uma nova olhadela e uma oportunidade na Virtual Console da Wii U.