Notícias

Análises

30 de agosto de 2013

Lançamentos 3DS e Wii U até ao final de 2013


Setembro está mesmo aí à porta, e com ele chegam bastantes jogos como é bem habitual desta época do ano. O Verão está prestes a terminar e vimos bons lançamentos como Animal Crossing: New Leaf e Mario & Luigi: Dream Team Bros. que acompanharam as nossas consolas durante as férias, e vimos recentemente jogos como Pikmin 3 e The Wonderful 101 a serem lançados na Wii U. Ainda nestas últimas semanas vimos Rayman Legends a ser finalmente lançado (após uma muito longa espera) e Disney Infinity, onde os vários personagem do universo Disney estão disponível à nossa mercê.

A Nintendo lançou duas imagens com os títulos a serem lançados este ano (alguns deles já que já foram, no entanto):


As datas de lançamento para os jogos da 3DS, e lançamento da nova Nintendo 2DS:
  • Nintendo 2DS (Branco - Vermelho e Preto - Azul) - 12 de outubro
    (as bolsas de transporte estarão à venda no dia de lançamento)
  • Etrian Odyssey IV: Legends of the Titan - 30 de agosto (já disponível!)
  • Shin Megami Tensei: Devil Summoner: Soul Hackers - 20 de setembro
  • Inazuma Eleven 3: Lightning Bolt e Bomb Blast - 27 de setembro
  • Harvest Moon: A New Beginning - Setembro
  • Moshi Monsters Katsuma Unleashed - 11 de outubro
  • Pokémon X e Y - 12 de outubro
  • Sonic Lost World - 18 de outubro
  • Skylanders SWAP Force - 18 de outubro
  • Teenage Mutant Ninja Turtles - 25 de outubro
  • Beyblade: Evolution - 25 de outubro
  • Batman: Arkham Origins Blackgate - 25 de outubro
  • Angry Birds Star Wars - 1 de novembro
  • Professor Layton and the Azran Legacy - 8 de novembro
  • LEGO Marvel Super Heroes - 15 de novembro
  • Mario Party: Island Tour - Novembro
  • Ben 10 Omniverse 2 - Novembro
  • The Legend of Zelda: A Link Between Worlds - Novembro
  • Scribblenauts Unlimited - Dezembro
  • LEGO Friends - Último trimestre de 2013
  • Bravely Default: Where the Fairy Flies - Final de 2013


E os lançamentos dos jogos e pacotes especiais da Wii U:

  • The Legend of Zelda: The Wind Waker HD Premium Pack (stock limitado) - 4 de outubro
  • LEGO City Undercover Premium Pack (stock limitado) - Novembro
  • Rayman Legends - 29 de agosto (já disponível!)
  • Just Dance 2014 - 1 de outubro
  • The Legend of Zelda: The Wind Waker HD - 4 de outubro
    (versão limitada com boneco do Ganondorf disponível também nesse dia)
  • Sonic Lost World Deadly Six Edition - 18 de outubro
    (a versão Deadly Six Edition tem stock limitado)
  • Skylanders SWAP Force - 18 de outubro
  • Batman: Arkham Origins - 25 de outubro
  • Wii Party U + Comando Wii Plus (branco ou preto) - 25 de outubro (stock limitado)
  • Assassin's Creed IV Black Flag - 31 de outubro
  • Angry Birds Star Wars - 1 de novembro
  • Call of Duty: Ghosts - 5 de novembro
  • LEGO Marvel Super Heroes - 15 de novembro
  • Watch_Dogs - 21 de novembro
  • Mario & Sonic at the Sochi 2014 Olympic Winter Games - Novembro
  • Super Mario 3D World - Novembro
  • Donkey Kong Country: Tropical Freeze - Dezembro
  • Scribblenauts Unlimited - Dezembro
  • Wii Fit U - 2013
  • Wii Karaoke U (Nintendo eShop) - 2013

A partir de hoje a 3DS conta com mais um RPG no seu catálogo pois Etrian Odyssey IV: Legends of the Titan acaba de chegar a território europeu (com demo disponível na eShop). Um jogo com um sentimento muito retro que nos lembra dos antigos RPGs, mas com um charme bastante atual devido aos visuais bastante bonitos e uma banda sonora a par. Da Atlus podemos ainda contar com Shin Megami Tensei: Devil Summoner: Soul Hackers, mas no entanto Shin Megami Tensei IV continua desaparecido.

Esta semana tivemos algumas notícias como o anúncio da Nintendo 2DS (que já tivemos oportunidade de experimentar pessoalmente) e os pacotes de The Legend of Zelda: Wind Waker HD, mas surgiram algumas novidades relativamente a alguns títulos que serão lançados ainda este ano.

O muito aguardado Bravely Default: Where the Fairy Flies teve finalmente o seu subtítulo anunciado para o mercado ocidental e continua anunciado para 2013 mas sem data certa (quem sabe se não será este um título para o Natal?). Outro jogo com o seu subtítulo anunciado foi Mario Party: Island Tour, também para a 3DS.

Wii Party U será lançado acompanhado por um Wii Remote branco ou preto (à escolha), um pouco à semelhança com o jogo original da Wii. Este título poderá proporcionar grandes festas à volta da Wii U com um grupo de amigos, por isso é conveniente estar preparado com Wii Remote com Wii Motion Plus. Por último foi também anunciada uma edição da Wii U que inclui LEGO City Undercover.

Este foi e continua a ser um ano muito forte para a 3DS, com imensos títulos de peso que saíram na consola e outros que estão por sair, como o muito aguardado Pokémon X/Y. Já na Wii U contamos com o regresso de figuras icónicas como Link, Mario, Donkey Kong e até mesmo Sonic, todos muito bem acompanhados!
Ler Mais >

29 de agosto de 2013

Primeiras impressões: Nintendo 2DS nas mãos

Depois do anúncio feito ontem do mais recente membro da família 3DS, muito se tem discutido acerca desta nova Nintendo 2DS. A mudança radical em termos de design e algumas decisões a nível de hardware tornaram-se o centro das atenções e alvo de muitas críticas. Mas a questão mais importante de todas é como a consola se comporta nas mãos dos jogadores. A convite da Nintendo, o Meus Jogos DS foi hoje experimentar o "brinquedo novo", pelo que aqui ficam as primeiras impressões da consola.

O primeiro impacto, naturalmente, é o de olhar para o design da consola e estranhar o facto desta não se fechar. A Nintendo 2DS é a primeira consola desde a Nintendo DS a abdicar da dobradiça, o que lhe dá um aspecto algo alienígena. Outro aspecto que estranhei até ao momento em que peguei na 2DS, foi o facto da sua volumetria fazer lembrar uma fina fatia de bolo, mas é precisamente esta forma que faz com que a consola seja bastante agradável de segurar nas mãos, mais confortável do que os restantes modelos.


A consola é realmente muito confortável nas maõs, com o Botão Deslizante situado numa posição natural ao pegar, tal como os botões A/B/X/Y, e com facilidade de acesso aos botões laterais L/R, que são bastante grandes e, por isso, se adaptam a mãos de diferentes tamanhos. A largura da 2DS é pouco maior que a da 3DS standard, pelo que continua a ser fácil aceder ao ecrã tátil sem ter de largar a consola. Uma agradável surpresa é que, graças ao posicionamento dos botões e inexistência de dobradiça, é mais confortável pegar na 2DS para os jogos que requerem o uso da stylus do nos outros modelos.

Os ecrãs são do mesmo tamanho da 3DS standard, agora mais próximos verticalmente. De acordo com o site USGamer, estamos na realidade a falar de um só ecrã com plástico a tapar as partes não utilizadas, técnica que permitiu reduzir bastante o preço da consola e forçou o design em uma só parte. Fica para outro dia a questão existencial se esta consola ainda é ou não uma DS (dual screen) ou apenas uma imitadora. Na prática, é impossível notar se a consola tem realmente dois ecrãs ou não, pelo que esta questão não tem impacto para o jogador.

Tal como a 3DS, a nova 2DS também tem uma cara :|
Outro ponto forte é a robustez da consola. Desde o primeiro toque que se percebe que é uma consola resistente e, mesmo com uma tentativa forte de a partir para dobrar ao meio, em jeito de piada, o plástico reagiu como se nada fosse. Aqui temos o modelo ideal para os miúdos... e para os  graúdos mais desastrados que já perderam a conta ao número de smartphones que já destruíram sem querer também.

Mas nem tudo são vantagens e, num modelo construído para ser vendido a baixo custo, muitas coisas foram sacrificadas além do efeito 3D e do design com dobradiças que os fãs das consolas DS e 3DS tanto gostam. Além do slider 3D característico das outras consolas 3DS, a 2DS perde ainda o interruptor de wireless (cuja funcionalidade se encontra agora no menu Home, juntamente com o brilho) e as excelentes colunas stereo, agora substituídas por uma monaural (ainda é possível ouvir em stereo com headphones). Uma vez que a consola já não fecha, o modo de descanso passa a ser ativado com um interruptor, o que poderá arruinar a experiência de jogos que utilizem essa funcionalidade para efeitos de jogabilidade – algo muito raro de se ver, mas que foi utilizado de forma brilhante em The Legend of Zelda: Phantom Hourglass.

   

A experiência de jogo, em geral, é inferior à de jogar numa Nintendo 3DS XL, que pode ser vista como o modelo premium da 3DS. No entanto, sendo a 2DS o modelo económico e por uma diferença de preço bem significativa em relação à XL, esta será a escolha ideal para uma grande fatia do mercado, desde que não tenham interesse no efeito 3D estereoscópio. Pessoalmente, achei o modelo branco e vermelho muito mais apelativo do que o preto e azul, mas isso será sempre uma questão de gosto do consumidor – e não será coincidência que esta consola seja lançada no dia 12 de outubro nestas cores, já que os jogos Pokémon X e Y chegam às lojas no mesmo dia e com cores correspondentes.

A Nintendo 2DS é confortável e resistente, compatível com todas as funcionalidades dos outros modelos, com exceção do efeito 3D (embora inclua a câmara fotográfica 3D) e feita especialmente para ter em casa ou levar na mochila para a escola. E todos sabemos que o recreio da escola é o sítio ideal para os miúdos fazerem trocas de pokémon!
Ler Mais >

The Wind Waker HD chega dia 4 de Outubro em 3 pacotes diferentes


Os fãs da série Legend of Zelda aguardam impacientemente a chegada à Wii U do remake em HD do grande clássico Wind Waker, 10 anos depois do seu lançamento na GameCube (podem ver uma retrospetiva do jogo aqui). E se há coisas de que os fãs de Zelda costumam gostar, é de edições especiais e objetos de coleção. A Nintendo sabe disso e, por esse motivo, anunciou ontem o lançamento de 3 pacotes diferentes com o jogo, que chegarão às lojas já no dia 4 de Outubro!
Carrega na imagem para ampliar
A principal novidade é esta edição especial da consola Wii U, o The Legend of Zelda: The Wind Waker HD Premium Pack, que inclui uma consola preta com 32GB de memória interna e restantes acessórios do modelo Premium, juntamente com um GamePad exclusivo decorado com letras e símbolos do jogo em tons dourados. Este pack não inclui a versão física do jogo, mas sim um código de download para o descarregar a partir da eShop.

A outra grande novidade é que haverá uma edição muito limitada do jogo, o pacote The Legend of Zelda: The Wind Waker HD Special Edition, que contém uma cópia do jogo em disco, acompanhado por uma folha com material gráfico de Zelda exclusivo, para além de uma figura de alta qualidade do vilão Ganondorf a empunhar duas espadas em ataque. Uma figura tão espetacular, que foi mesmo digna de um trailer verdadeiramente épico para ver em HD:


Esta edição estará disponível em quantidades muito limitadas, pelo que convém reservarem rapidamente o jogo numa loja da vossa confiança para garantirem uma cópia do jogo. Ultimamente, tem sido difícil encontrar lançamentos recentes da Wii U nas lojas portuguesas, o que inclui jogos como Pikmin 3 e The Wonderful 101, pelo que será de esperar uma dificuldade idêntica (se não maior) para encontrar esta edição especial!

Finalmente, o pack "Solus" é a edição base do jogo e que será também a mais fácil de obter. De lembrar ainda que o jogo estará também disponível em formato diginal na eShop. Fiquem com o trailer de apresentação destes pacotes, que inclui várias sequências de imagens do jogo.

Ler Mais >

28 de agosto de 2013

Nintendo 2DS anunciada


Apanhando todos de surpresa e sem a existência de um habitual Nintendo Direct, a Nintendo anunciou hoje o novo membro da família 3DS, a Nintendo 2DS, que tal como nome indica irá correr todos os títulos e aplicações da consola em 2D. Esta consola estará disponível já no dia 12 de outubro!

Os ecrãs da consola são iguais aos da Nintendo 3DS original, bastante mais reduzidos ao que muitos já se habituaram com a 3DS XL, mas o que se destaca mais nesta consola é não fechar, algo que nos habituamos desde a primeira versão da Nintendo DS em 2005 (2004 no Japão e Estados Unidos). O modo Sleep é agora disponível a partir de um botão (no canto inferior da consola) e será ainda lançada uma bolsa, vendida em separado, para transportar a consola connosco e ter também StreetPass.

Esta consola é orientada aos mais novos e famílias com um menor poder de compra, pois é uma consola de baixo custo em comparação com as restantes 3DS. Embora ainda não existam preços para a Europa, nos Estados Unidos será lançada a $130, e possivelmente esta consola cá será 70€ mais barata que uma 3DS XL. Para reduzir mais o custo, para além do ecrã sempre 2D a consola tem apenas uma coluna de som (mono), mas basta ligar os nossos headphones para ouvir os jogos em stereo, como nas restantes consolas.

No lançamento vão estar 2 cores disponíveis, uma Azul e Preta e outra Vermelha e Branca, e com o lançamento de Pokémon X/Y também a 12 de outubro as cores coincidem com os novos jogos de uma das séries mais importantes para as consolas da Nintendo (se não a mais importante).

Numa última nota, o MeusJogosDS foi convidado pela Nintendo para experimentar a nova Nintendo 2DS já amanhã, por isso iremos ter brevemente uma primeira impressão da consola. Até lá, fiquem com o trailer de apresentação da nova Nintendo 2DS.

Ler Mais >

24 de agosto de 2013

Sonic Lost World: Multijogador, Miiverse e edição especial


Durante a convenção Gamescom foram reveladas mais informações sobre Sonic Lost World, principalmente os modos de multijogador e as funcionalidades com o Miiverse. Por surpresa também foi revelada uma edição especial do jogo com conteúdo exclusivo.

Na Wii U podemos contar com modos multijogador para 2 pessoas em corridas frenéticas em níveis feitos para estas provas, onde um jogador utiliza o GamePad para ver o seu jogo enquanto o seu adversário tem toda a ação na TV. Já a versão 3DS conta também com modos competitivos até 4 jogadores, quer localmente ou online. Ambas as versões têm power ups especiais feitos para nos dar vantagem, e outros para dificultar a vida aos nossos adversários.

Tivemos também mais detalhes sobre o modo co-operativo na Wii U, onde podemos usar aparelhos por controlo remoto controlados por um segundo jogador para nos ajudar na nossa aventura, mudando a velocidade do jogo ou até transportar Sonic para locais impossíveis de chegar, e até aparelhos como helocópteros que apanham anéis, ou naves e aviões que destroem os nossos inimigos. Como anteriormente revelado temos objetos que podemos partilhar da versão 3DS para a Wii U, e podemos ainda partilhar estas engenhocas através do Miiverse, quer com amigos ou os restantes membros da comunidade.

Para além destas engenhocas podemos ainda encontrar power ups mais clássicos, como escudos elétricos, invencibilidade e até as clássicas Power Sneakers que oferecem a Sonic uma velocidade ainda superior. Temos ainda o Black Bomb Colour Power, uma habilidade exclusiva através do Miiverse.

Foi também anunciada a edição especial Deadly Six Edition que pode ser obtida reservando o jogo ou enquanto o stock durar. Nesta versão os novos inimigos Seis Mortíferos invocam gigantescas criaturas inspiradas no universo de NiGHTS Into Dreams.

Sonic Lost World estará disponível em ambas as versões no dia 18 de outubro na europa, mas até lá ficamos com mais um trailer!

Ler Mais >

22 de agosto de 2013

Street Fighter II a triplicar!


Os fãs de Street Fighter, em particular a saga Street Fighter II, têm agora disponíveis na Wii U os três títulos lançados para a Super Nintendo, através do serviço Virtual Console da eShop! São eles Street Fighter II: The World WarriorStreet Fighter II Turbo: Hyper FightingSuper Street Fighter II: The New Challengers. Cada um destes títulos custa €7,99 na eShop mas, até ao dia 29 de agosto, está disponível uma promoção que oferece um destes três jogos da Capcom, na compra dos outros dois!

Seguem-se os trailers dos jogos em questão!



Ler Mais >

18 de agosto de 2013

The Wonderful 101


O planeta está em perigo! Depois de uma invasão alienígena que ocorreu no passado, o mundo encontra-se em paz quando os GEATHJERK voltam a atacar! Mas durante este tempo que passou, uma equipa de 100 maravilhosos agentes secretos foi treinada para defender a Terra – eles são os The Wonderful 100! Mas não esquecer o membro número 101, que é o mais importante: o jogador!


A primeira coisa que salta à vista neste jogo é a sua interessante mistura de influências, como se resultasse de um cruzamento entre Bayonetta e Pikmin em cosplay de Viewtiful Joe. Controlar até 100 personagens de uma só vez em combate, numa mecânica em que o todo é superior à soma das suas partes e o grupo se transforma em diferentes armas para uma acção bastante frenética, pode parecer complexo à primeira vista, mas TW101 não é muito diferente de outros grandes jogos de ação como Bayonetta e Devil May Cry: a equipa como um todo é o personagem, a sua formação é a arma a utilizar.


É esta a base da jogabilidade, mas o sistema torna-se bastante mais complexo à medida que se vai avançando na história e adquirindo novas habilidades. O elemento central de jogo é a chamada Wonder Liner, uma linha controlada pelo jogador (usando o analógico direito ou o ecrã do GamePad) para desenhar uma forma ao longo da qual se deslocam os personagens. Embora a Wonder Liner tenha várias utilidades, desde recrutar personagens para a equipa até abrir novos caminhos, a sua principal função é ativar os Unite Morphs, os poderes dos heróis que são utilizados para atacar. Assim, desenhando um círculo, ativa-se o poder do soco do Wonder-Red, ou então, com uma linha reta, o poder da espada do Wonder-Blue, por exemplo. Conforme são introduzidos novos protagonistas, novos poderes são acrescentados à lista. Ativado um poder, passa-se diretamente à ação para combater as hordes de inimigos no terreno.
O combate, como em Bayonetta, baseia-se muito no estudo dos movimentos dos adversários para se conseguir desviar dos seus ataques ou contra-atacar no momento certo. Certos inimigos requerem a utilização de poderes específicos, tais como os monstros cobertos de espinhos que podem ser desarmados com o chicote, por exemplo. Mas o Unite Morph não é a única forma de ataque, existe ainda o Team Attack que envia todos os personagens na direção dos inimigos. Ao estilo de Pikmin, alguns destes ficarão agarrados ao adversário e, se forem suficientes, poderão paralisá-lo, dando abertura para outros ataques. Outra habilidade bastante útil é a de criar Unite Morphs independentes, até um máximo de 5 em simultâneo, que permite libertar uma dose de caos bastante gratificante!


Para um sistema que se revela tão complexo, o jogo tem uma excelente curva de aprendizagem, introduzindo novos poderes e funcionalidades de forma bastante gradual. A forma natural como o jogo ensina as suas mecânicas é ainda mais evidente quando se experimenta o modo multijogador e se tenta explicar tudo em pouco tempo a alguém que nunca pegou no jogo, mesmo sendo um jogador experiente. Este modo, chamado "Wonderful Missions" consiste num conjunto de missões para 1 a 5 jogadores (1 GamePad + 4 Pro Controllers) com uma dificuldade que se ajusta automaticamente ao número de jogadores em questão. É um modo bastante divertido, com cerca de 2h de conteúdo, mas construído de forma a ser jogado muitas vezes, e que só peca por deixar a desejar a existência de opção multijogador no modo de história.


A dificuldade é um factor importante num jogo de ação, e The Wonderful 101 oferece à partida 3 graus de dificuldade para diferentes perfis de jogadores, que vão do "muito fácil" ao "normal". Mesmo assim, este é o género de jogo que fica mais fácil ao ser jogado várias vezes, sendo natural que se tenha um melhor desempenho ao repetir uma missão do que quando se jogou pela primeira vez. O modo principal está dividido num conjunto de "operações" com três fases (A, B e C) que são constituídas por um número variável de missões. De um modo geral, cada uma destas fases tem uma duração entre os 20 e 30 minutos, pelo que este é um daqueles títulos mais adequados para longas sessões de jogo. Embora a longevidade varie um pouco com o grau de dificuldade e a experiência do jogador, este é um jogo com imenso conteúdo e que ultrapassa facilmente a barreira das 15h, sem contar com o modo multijogador ou aquelas vezes em que se repete uma operação já feita só pela diversão.


Mais importante que a quantidade de conteúdo, é a sua diversidade e, nesse aspeto, The Wonderful 101 é um enorme parque de diversões! O grupo de heróis enfrenta uma grande variedade de cenários e obstáculos, tendo muitas vezes que se adaptar de forma criativa, o que resulta em missões que fogem completamente à norma para surpreender o jogador. Alguns cenários, por exemplo, mudam a ação para o ecrã do GamePad, enquanto se resolve um puzzle visível a partir da TV. As batalhas contra os bosses são verdadeiramente impressionantes, com múltiplas fases e uma grande duração, o que faz com que seja ainda mais gratificante derrotá-los.


The Wonderful 101 tem todos os ingredientes para ser um daqueles jogos de culto que serão lembrados após o ciclo de vida da Wii U, um jogo original e inovador que se mantém fiel às raízes do género e que irá agradar particularmente aos que anseiam pela sequela de Bayonetta, mas com uma mistura de ingredientes capaz de agradar e surpreender todos os que procuram um excelente jogo de ação. Por vezes, a ação torna-se realmente caótica, mas é sempre emocionante. Aliada a tudo isto, está uma apresentação divertida com gráficos polidos, cores vivas e brilhantes e ainda personagens caricatos com personalidades bastante distintas, reforçadas pelo excelente voice-acting em inglês e que torna tudo mais divertido. Um jogador de Wii U que se preze terá obrigatoriamente de o experimentar!

Ler Mais >

13 de agosto de 2013

1UP Gaming Lounge

Já há muito tempo que acompanhamos a página do 1UP Gaming Lounge, sempre com vontade de visitar e ficar a conhecer o espaço. Ontem, a curiosidade superou finalmente a preguiça de sair de Lisboa para ir ao primeiro bar de videojogos em Portugal (situado na Ramada, em Odivelas).

O conceito é uma espécie de fusão entre loja de videojogos e bar temático, onde é possível comer os cachorros quentes do Sonic ou os hamburguers do Super Mario (com cogumelos, claro), ou até mesmo tostas em forma de Triforce! Existem ainda diversos cocktails inspirados em videojogos, para beber ao som de uma banda sonora bastante geek. Além de incluir uma pequena loja onde é possível encontrar vários jogos retro, o 1UP oferece ainda um grande espaço para jogar diversas consolas, tanto antigas como as mais recentes.

A minha parede favorita foi esta dedicada ao mundo Nintendo!
O espaço é bastante simples e agradável, com uma decoração temática e um excelente ambiente para os jogadores poderem divertir-se ou simplesmente relaxar um pouco enquanto verificam o StreetPass na Nintendo 3DS (que foi o nosso caso). Apesar da localização e de ser uma segunda-feira, foi bom ver que ainda apareceram alguns grupos de jogadores, que ajudaram a compor o espaço. Desde os jogos de cartas às guitarradas, passando pelos jogos retro, é bom encontrar um espaço onde jogadores dos mais variados espectros se possam encontrar.

Se muitas vezes era difícil encontrar um bom sítio para juntar um grupo de gamers, o 1UP Gaming Lounge parece-nos agora o local ideal. Aberto todos os dias das 14h às 02h, só lhes falta mesmo ter uma Nintendo 3DS à espera do nosso StreetPass!
Ler Mais >

12 de agosto de 2013

Dillon's Rolling Western


Dillon é um verdadeiro ranger do oeste, um armadilho justiceiro cheio de coragem e energia para defender os que estão em apuros. A seu lado está sempre o seu fiel companheiro Russ, um jovem esquilo com uma queda por engenhocas que fala em vez de Dillon, pois este é um tradicional herói silencioso. 

Nas vastas planícies que este duo atravessa surge a ameaça dos Grocks, criaturas que se parecem com grandes rochas malévolas, que andam a devorar os Scrogs (que se parecem com porcos) das pequenas aldeias onde habitam toda uma variedade de personagens. É num ataque a uma aldeia em que Dillon entra em ação, munido das suas botas vermelhas, chapéu de cowboy, a sua habilidade de rebolar a grande velocidade e as suas garras.

A mecânica deste jogo tem por base o género Defesa da Torre onde o objetivo é de defender uma base, neste caso uma aldeia, de grupos de inimigos. Em cada ataque temos duas fases, uma primeira mais relaxada à luz do dia e outra quando cai a noite, repleta de inimigos traiçoeiros prontos a invadir a aldeia. Na primeira fase podemos explorar livremente a área que nos rodeia, descobrir grutas com tesouros e inimigos, adquirir materiais e apanhar Scruffles (o principal alimento dos scrogs). Esta fase é vital para melhorar as defesas da aldeia, cujos portões podem ser fortificados através dos minérios que encontramos, e ainda descobrir grutas escondidas que contêm tesouros, um elemento que nos lembra um pouco de The Legend of Zelda mas que podia ter sido muito melhor aproveitado.

Tão ou mais importante que a defesa é o ataque, e espalhadas nas planícies estão torres que servem como postos de vigia ou que podemos munir com armas, que se torna numa ajuda vital pois Dillon não consegue estar em todo o lado, pois quando cai a noite vêm os grocks e estes não são poucos! À medida que vamos avançando no jogo surgem mais inimigos e também novas criaturas para enfrentar, sempre mais difíceis e colocam a teste a nossa preparação prévia através das torres de defesa e vigilia, que são alvos dos grocks também. Quando um inimigo chega aos portões da aldeia, ferozmente atacam essas entradas e destroem as barreiras, invadindo a aldeia para comer os preciosos scrogs. Estes funcionam como os nossos pontos de vida que aumenta quando apanhamos (e oferecemos) os scruffles que encontramos na planície.

Para vencer temos de atacar os inimigos espalhados no mapa, que ao atacar entramos num modo de batalha (existindo apenas algumas excepções), onde as habilidades de rodar e atacar de Dillon destroem os grocks. Este modo é bastante interessante mesmo que simples, e para derrotar mais fácil e rapidamente os inimigos podemos comprar equipamento, melhorando o nosso desempenho para enfrentar os vários inimigos presentes, evitando que a missão se torne complicada.

O jogo é um pouco difícil, ou melhor, stressante, conseguindo oferecer um bom desafio que facilmente se pode tornar numa experiência frustrante. Dentro do modo de batalha o tempo não pára, tornando-se muito complicado em fases mais avançadas do jogo, permitindo que os inimigos invadam facilmente as aldeias, pois os recursos são poucos para construir os portões, deixando as portas quase que abertas para invasões. As torres também acabam de servir de muito pouco, e mesmo gerindo muito bem o nosso dinheiro estas tombam facilmente face aos inimigos, o que dá um pouco a sensação que "não vale a pena" investir nas torres. No entanto estas são uma ajuda vital, e atrasam muito os inimigos, mesmo que não consigamos ver pois estamos a lidar com várias coisas ao mesmo tempo.

Gestão de recursos à parte temos um jogo muito interessante, que não se torna repetitivo por oferecer cada vez mais desafio, acompanhado por um leque de personagens variadas, e Dillon juntamente com Russ têm a sua história revelada aos poucos à medida que vamos avançando no jogo. Os personagens, mesmo os secundários, são bastante carismáticos devido ao estilo artístico do jogo que conjuga bem os desenhos 2d com os modelos tridimensionais das personagens (quando aparecem). Infelizmente falta apenas uma banda sonora a condizer, que embora as músicas presentes façam um bom trabalho, são poucas e tornam-se facilmente repetitivas.


Este é um jogo para quem gosta de jogos de estratégia, mas também para quem procura géneros de jogos diferentes do habitual. Dillon's Rolling Western não requer muita tática, mas sim muita atenção, reflexos e por vezes nervos de aço. A jogabilidade simples é o suficiente para atrair qualquer um, mas cuidado pois o velho oeste está cheio de armadillhas!

Ler Mais >

9 de agosto de 2013

Pokémon X/Y: Mega Evoluções, novos pokémon e novas mecânicas


Como sempre a CoroCoro continua a ser a principal fonte de informação relativa a Pokémon X/Y, e após terem sido reveladas novidades da próxima edição da revista, hoje o site oficial de Pokémon X/Y lançou as novas informações.

Uma das novidades desta nova geração são as MegaEvolution, um novo tipo de evolução já considerado "uma evolução para além de todas as evoluções" que torna os pokémon mais fortes, melhorando os seus atributos, mudando as suas habilidades e até mesmo o seu tipo. Estas evoluções são também temporárias, só acontecem durante as batalhas e assim que terminadas o pokémon volta ao seu estado original.



Finalmente conhecemos o segredo da nova forma de Mewtwo, que afinal é MegaMewtwo. Esta nova evolução aumenta o seu Special Attack, permitindo que o seu ataque Psystrike dê ainda mais dano que no seu estado original. A sua habilidade muda também para Insomnia, evitando assim que MegaMewtwo e o seu adversário adormeçam em batalha.

Outra MegaEvolution revelada foi MegaBlaziken transformando assim um dos starters da 3ª geração, elevando o seu Ataque a níveis superiores melhorando bastante o dano do ataque seu Blaze Kick. A sua habilidade muda para para Speed Boost que aumenta o seu Speed no fim de cada turno, o que torna este velho pokémon novamente numa força a temer. Por último temos MegaLucario que ganha a habilidade Adaptabillity que aumenta o dano dos ataques do mesmo tipo do seu utilizador, como é o caso de Close Combat.

Para além das MegaEvolutions que foram reveladas no site oficial, a revista CoroCoro revelou ainda outras 3: MegaMawile é do tipo Steel/Fairy (ganhando assim o novo tipo) e tem a habilidade Huge Power que aumenta o seu Ataque; MegaAbsol ganha a habilidade Magic Bounce que reflecte os movimentos que baixam as estatísticas ou infligem estados especiais como Poison; e MegaAmpharos passa a ser Electric/Dragon, ganhando ainda a habilidade Mold Breaker que anula abilidades do adversário que previnem dano de certos ataques (por exemplo o ataque Earthquake passa a atingir pokémon com a habilidade Levitate).

Nem todos os pokémon podem têm estas MegaEvolutions e apenas em certas condições especiais é que os pokémon eleitos poderão evoluir. Uma das condições é ter equipado uma Mega Stone no pokémon, e cada pokémon tem o seu item específico, como por exemplo o item Lucarionite permite que Lucario evolua para MegaLucario, e estas pedras estão espalhadas pela região de Kalos. Existem ainda outras condições para que possamos usar as MegaEvolution, mas detalhes sobre isso serão lançados mais tarde.

De forma a introduzir esta nova mecânica será lançado o primeiro evento via SpotPass de Pokémon X/Y, que irá oferecer um Torchic com o item Blazikenite, pedra esta que não se encontra na região de Kalos e apenas a conseguimos obter através deste evento! Este Torchic também é especial e vem com a habilidade Speed Boost, a mesma que MegaBlaziken que por sua vez é a mesma que um Torchic do Dream World de Pokémon Black/White (e respectivas sequelas) possuía.


Neste vídeo em cima podemos ver em ação estas novas evoluções, sendo curioso notar na presença do símbolo do ADN presente, não só no artwork de MegaBlaziken anteriormente, mas também sempre que um pokémon utiliza a MegaEvolution neste vídeo. Este símbolo já se encontrava presente nos logótipos das versões japonesas de Pokémon X/Y mas até agora pouco se soube do porquê da sua utilização. O mistério adensa-se agora com estas MegaEvolutions.

Nesta atualização ficamos também a conhecer 3 novos pokémon da região de Kalos e mais uma personagem, uma líder de ginásio que pudemos observar no trailer. Estes são:





Dadenne é um pokémon do tipo Electric/Fairy, conhecido como o "Antenna Pokémon", e tem a nova habilidade Pouch Cheek que, quando o utilizador come uma Berry que esteja equipada, para além do seu efeito principal recupera ainda o seu HP. Este pokémon pode ainda ligar a sua cauda a uma tomada para receber electricidade, e os seus bigodes funcionam como antenas para comunicar como outros pokémon da sua espécie!







Bunnelby é do tipo Normal e tem as habilidades Pickup ou Pouch Cheek. As orelhas deste pokémon são bastante fortes e podem cortar raízes grossas das árvores ou até mesmo serem usadas como uma pá para cavar buracos. Não é de estranhar que este pokémon consiga usar o ataque Dig, do tipo Ground, bastante eficaz em batalhas com múltiplos pokémon.





Por último temos Skiddo do tipo Grass, a pré evolução de Gogoat e tem a habilidade Sap Sipper, que faz com que Skiddo ao ser atingido por um ataque tipo Grass esse não faz qualquer dano e aumenta o seu ataque. Tal como Gogoat será possível montar Skiddo em certos locais, galopando a uma velocidade superior à que temos quando corremos, e até mesmo saltar por cima de penhascos para chegar a novos locais.


Korrina é uma nova líder de ginásio cujo tipo ainda é desconhecido, e o seu ginásio fica em Shalour City, uma bela cidade à beira mar. No entanto sabemos que ela gosta de andar de patins e procura utilizar a força dos seus pokémons e atingir níveis mais elevados.

Também em Shalour City está a Tower of Mastery, um local que nos é recomendado visitar assim que entramos na cidade e que se encontra envolvido no mistério das MegaEvolutions. Esta cidade fica numa península na zona mais a Oeste em Kalos, como podemos observar em cima.

Já há muito que a equipa de Pokémon X/Y indicou que nesta geração será mais fácil ter controlo das estatísticas dos nossos pokémon e ser mais acessível controlar o seu crescimento, algo que muitos jogadores veteranos fazem através de contas de elementos como os EV (Effort Values) e IV (Individual Values), contas estas bastante importantes para os jogadores mais competitivos que gostam de testar as suas equipas através de batalhas locais ou online. Este crescimento será mais visível desta vez e terá novas mecânicas de crescimento de atributos para além do já revelado Pokémon-Amie, que desenvolve os laços de amizade com os nossos pokémon, que quanto mais gostarem de nós mais fortes serão.

Super Training é uma nova funcionalidade e um método completamente novo de treinar os nossos pokémon, e este modo está sempre presente no nosso jogo excepto quando estamos numa batalha ou num evento, sempre acessível através do ecrã táctil. Ficamos também a conhecer os Super-Training Regimens, onde os nossos pokémon enfrentarão enormes balões com a forma de pokémon e o objetivo é marcar golos na baliza adversária. Podemos ainda ajudar os nossos pokémon a crescer de forma mais simples utilizando sacos de treino através do Core Training. Pra receber estes sacos de treino basta ter sucesso com os Super-Training Regimens!

Através do Super Training não é só o nível do nosso pokémon a melhorar, mas também as suas estatísticas. Anteriormente para aumentar estatísticas base como HP ou o Ataque seria através de itens equipáveis como o Power Bracer ou Power Lens, ou através do uso de itens como Calcium ou HP Up, mas agora poderemos aumentar essas mesmas características facilmente através destes modos.

O crescimento da nossa equipa será facilmente controlado através do Effort-o-Meter. No gráfico em cima podemos observar uma zona verde escura que representa as estatísticas relevantes da espécie do pokémon, e uma zona mais clara que apresenta as estatísticas base que desenvolvemos através do Super Training. Mas existe um limite do quanto podemos desenvolver o nosso pokémon, que é representado pela barra do lado direito do gráfico.

Estão ansiosos pelo lançamento de Pokémon X/Y a 12 de outubro? O que acham das MegaEvolutions e do novo sistema de Super Training? Falta pouco mais de 2 meses para explorar a região de Kalos e as novidades que traz, e desvendar assim os seus mistérios!
Ler Mais >