Notícias

Análises

23 de dezembro de 2013

3D Super Hang-On


Um dos grandes clássicos da SEGA está de regresso, desta vez em formato portátil através da eShop da 3DS. Esta não é a versão que muitos de nós jogamos na Mega Drive, mas sim a versão que podíamos ver em diversas arcadas décadas atrás.

Para quem não conhecer, Super Hang-On é um jogo de corridas onde conduzimos uma mota, e uma mota apenas, sem seleção de marca ou "personagem". À escolha temos quatro pistas disponíveis e a banda sonora que nos vai acompanhar nesta luta contra o tempo, pois precisamos de chegar a checkpoints para conseguir terminar a volta. Nesta nova versão podemos ainda definir a dificuldade do jogo e o tempo que temos disponível, oferecendo assim um desafio extra para os mais corajosos.

Durante o percurso vamos encontrando outros pilotos que nos barram o caminho, tendo de nos desviar deles se não quisermos perder tempo. Encontramos ainda outros obstáculos de lado nas pistas, que ao bater-mos contra elas despistamo-nos, perdendo assim imenso tempo que poderá terminar a nossa volta. Por isso aquilo que aparenta ser um jogo de andar "sempre em frente" rapidamente nos faz querer controlar a nossa velocidade para evitar problemas.

À esquerda uma imagem do jogo na 3DS, à direita a arcada original.

Os fãs do género de corrida podem encontrar aqui um título que mostra o que era feito no passado antes de existirem as capacidades técnicas possíveis hoje, onde o nosso rival é apenas o tempo e os diversos condutores rivais servem para nos garantir pontos extra quando os ultrapassa-mos, e não tínhamos muita escolha a nível técnico por parte da máquina que escolhemos, contando apenas a nossa perícia para obter uma melhor pontuação. Não existe uma pista desenhada e temos de estar sempre atentos para ver quando é que surge uma curva na pista.

É um jogo que nos lembra dos diversos jogos de arcada que a SEGA nos habituou, e esta versão vem trazer um pouco dessa magia em formato portátil, numa versão que teve bastante atenção ao detalhe para se manter bastante fiel ao jogo original. Um dos pontos que transmite isso é os diversos modos de ecrã, que muda o aspecto da cabine onde jogamos (caso disponível), e se quisermos podemos ainda recriar a inclinação como se estivéssemos mesmo a andar em cima da moto. Para um efeito ainda mais real podemos usar o giroscópio para controlar o jogo, controlos que estão bem implementados, mas tornam-se complexos de usar em situações de pânico.


A M2 e a SEGA trazem assim uma experiência para a 3DS bastante interessante, um dos jogos da vaga de clássicos remasterizados em 3D da antiga rival da Nintendo. O efeito 3D está bastante bom e dá uma nova vida a um jogo de 16 bits, oferecendo assim uma experiência que, de um certo modo, faz um ponto de ligação entre o que era feito antigamente com o que é possível obter hoje.