Notícias

Análises

5 de novembro de 2013

Professor Layton and the Azran Legacy

Qual é o momento certo para uma série bem sucedida se retirar? Para a Level-5, este é o momento: Professor Layton é uma das sagas mais populares das consolas portáteis da Nintendo, que chega agora ao sexto videojogo, depois de uma passagem pelo mundo do cinema e ainda um crossover com a série de culto Ace Attorney (que só chegará à Europa em 2014).

Professor Layton and the Azran Legacy é o último jogo de uma trilogia-prequela da série Professor Layton (ao estilo de Star Wars: Episode III) e tem em mãos uma grande missão: resolver o grande mistério de que se vem falando desde Spectre's Call e estabelecer uma ligação com Curious Village. É também a última aventura do famoso arqueólogo, pelo que tem a responsabilidade de se despedir devidamente dos fãs que acompanharam esta épica saga.


Tudo começa quando Layton recebe de um arqueólogo, conhecido como Professor Sycamore, uma carta misteriosa. Na cidade gelada de Froenborg, foi descoberta uma "múmia viva", uma pista importante para desvendar o segredo e o legado dos Azran, um povo ancestral acerca do qual pouco se sabe, além de que possuía tecnologia extremamente avançada. Atrás da mesma pista, está uma organização chamada Targent, que não parece olhar a meios para atingir os fins. As pistas dos Azran irão levar Layton e Sycamore a explorar diversas localidades espalhadas pelo mundo, acompanhados pelo inseparável aprendiz Luke e a assistente Emmy.

A história tem algumas referências aos títulos anteriores, como Spectre's Call, o filme Eternal Diva e ainda Miracle Mask que, embora não sejam cruciais para compreender o que se passa, serão mais envolventes para quem já investiu tempo na série. E embora uma das principais revelações não tenha qualquer efeito surpresa para os fãs de Layton, não fiquem dúvidas de que o jogo está recheado dos plot twists surpreendentes que se tornaram característicos da franchise.

 

O que torna este jogo diferente dos restantes é mesmo a sua estrutura, com uma larga parte da aventura a ocorrer em diferentes localidades, cada uma com a sua pequena história. Apesar de isto ser motivo para menor investimento nos personagens que se vai conhecendo, é um desvio refrescante da fórmula e que traz muito mais diversidade aos cenários. Escusado será dizer que os gráficos estão fantásticos, desde os ambientes criados aos modelos 3D dos personagens, sem esquecer as excelentes sequências de animação. O detalhe dos cenários, agora com muito mais animações e elementos interactivos, é uma prova de que a Level-5 se empenhou em subir um pouco mais a fasquia de qualidade naquele que é um jogo de despedida.

Ao fim de 6 jogos, fica no ar a questão se Professor Layton é um jogo de puzzles com uma boa história pelo meio, ou uma história fantástica que vai sendo interrompida por puzzles. Em Azran Legacy, parece existir a percepção de que muitos fãs estão mais ansiosos por saber como termina a história, com um menor número de puzzles exigidos para a concluir, em relação aos outros jogos, permitindo explorar livremente depois do final. Mesmo assim, o conjunto de puzzles disponíveis para resolver é bastante diverso e interessante, com alguns quebra-cabeças capazes de desafiar até os mais experientes.

 

O jogo inclui um modo StreetPass pouco interessante, que envolve coleccionar alguns marcos das localidades visitadas e criar um desafio, para outras pessoas procurarem 3 desses marcos. O esforço de viajar pelos diferentes cenários à procura desses marcos é muito superior à recompensa. Bem mais interessante é a possibilidade de descarregar 365 puzzles diários após o lançamento do jogo. Muitos deles são uma continuação ou novas versões dos já existentes em Miracle Mask, mas não deixam de ser um óptimo bónus para quem já tiver terminado todos os desafios oferecidos neste título.

Para quem nunca jogou Professor Layton, este é provavelmente o pior ponto de partida. Mesmo que apenas tenham interesse em resolver puzzles, é garantido que a história envolvente acabe por prender os jogadores, pelo que será uma melhor escolha começar por Professor Layton and the Spectre's Call ou até mesmo pelo original Curious Village. Os fãs da série que já jogaram todos os outros, irão finalmente descobrir o que acontece a personagens como a assistente Emmy Altava ou o vilão Descole, ou de onde aparecem personagens como o Inspector Chelmey.


Como a última season de uma boa série, é reunido todo o elenco para um acto final. Embora o resultado não seja tão poderoso como o de Professor Layton and the Lost Future, o verdadeiro final da série, Azran Legacy repete o efeito de ser o melhor jogo desta trilogia de prequelas, aguentando firme ao desgaste de 6 jogos com a mesma mecânica. A série despede-se com uma nota positiva, lembrando-nos que talvez seja uma boa altura para recordar a trilogia original.