Notícias

Análises

23 de setembro de 2013

Inazuma Eleven 3: Bomb Blast / Lightning Bolt


Mark Evans e a sua equipa estão de volta para o terceiro capítulo da série da LEVEL-5 onde o futebol e o género RPG se misturam numa combinação única. Este é o terceiro jogo e por sua vez o último que nos faz acompanhar as aventuras do guarda-redes entusiasta que fez renascer o gosto pelo velho desporto na sua escola de Raimon, liderando uma equipa de novatos que inicialmente tinha pouco interesse em futebol, mas eventualmente se apaixonaram e conseguiram vencer a Football Frontier.

Para quem não conhece a série, que para além dos video-jogos conta com uma série de animação infantil com bastantes fãs em todo o mundo, é um RPG de Futebol onde as batalhas são trocadas por partidas de futebol, onde cada personagem tem várias habilidades, técnicas especiais de ataque, defesa, roubar a bola ou até mesmo desviar. Durante a exploração no jogo lidamos com Random Battles que são curtas partidas de futebol onde 4 membros enfrentam outros 4, enquanto que as partidas de futebol "a sério" e mais intensas de 11 contra 11, onde demonstramos todas as habilidades dos nossos personagens, funcionam como pontos chave da história, ou como quests alternativas.

Inazuma Eleven 3 começa pouco tempo depois dos eventos contra a Alius Academy, uma misteriosa escola de jogadores alienígenas que aterrorizaram as diversas escolas do país, derrotados por Mark e companhia. Quando os alunos de Raimon são chamados à escola lá deparam-se com alguns desconhecidos mas também rostos familiares das suas aventuras anteriores, quer velhos companheiros de equipa ou antigos inimigos, e lhes é apresentado um novo desafio: serem os melhores do mundo!

Agora têm a Football Frontier International (FFI) pela frente, um torneio mundial onde jovens com menos de 15 anos participam para se tornarem os melhores. Após uma escolha de que elementos iriam acompanhar Mark Evans na sua nova equipa, a Inazuma Japan, o primeiro desafio é o de enfrentar países da Ásia e Oceania, a primeira grande equipa que enfrentamos no jogo. Só depois uns capítulos mais tarde enfrentamos outros países do mundo, como a Inglaterra, a Grécia, os Estados Unidos da América e claro, o Brasil. Temos o mundo pela frente e cerca de 2000 personagens para coleccionar, obtendo-as através de diversos modos e este novo jogo introduz um novo sistema, onde usamos medalhas em pequenas máquinas de cápsulas. O jogo utiliza ainda um sistema de password para obter mais personagens, que serão divulgados mais tarde através de campanhas ou respondendo a questionários dentro do jogo.

A maioria dos personagens são bastante genéricos e acabamos por escolher a nossa equipa devido à sua aparência, mas habitualmente usamos os personagens principais devido à sua participação na história e por muitas vezes terem ataques únicos que desbloqueamos em partidas principais da história, que nos garantem uma vitória mais segura. Para além destes Special Moves que já estamos habituados uma novidade são as Special Tactics, movimentos especiais feitos em grupo que usam um barra de energia partilhada pela equipa toda, que nos dão uma forte vantagem.

Tal como os anteriores jogos continuamos a usar o ecrã táctil para as nossas jogadas e também a exploração, pois afinal este foi originalmente um jogo lançado para a Nintendo DS no Japão, mas durante a sua demora a Nintendo 3DS já está mais que inserida no mercado, e aproveitar o 3º capítulo da compilação "Inazuma Eleven 1 · 2 · 3" (lançada no Japão) foi uma boa jogada. Infelizmente não se nota muito melhoramento e embora use o efeito 3D da consola para ver os movimentos dos personagens, o jogo tem alguma incoerência, como usar o ecrã táctil quando surge uma animação, vídeos esses que estão em ecrã largo que podia perfeitamente usar na totalidade o ecrã 3D, mesmo que fosse sem o efeito. O jogo tira partido de elementos como o StreetPass onde partilhamos informação sobre a nossa equipa e lançamos desafios aos jogadores por quem cruzamos, e podemos também desafiá-los para partidas de futebol. Conteúdos adicionais como personagens serão também oferecidos via SpotPass mas durante o tempo desta análise nenhum conteúdo foi disponibilizado.

Muito inspirado em pokémon e à semelhança de Inazuma Eleven 2 este jogo surge em 2 títulos, Inazuma Eleven 3: Bomb Blast e Lightning Bolt que contém algumas diferenças. Cada versão tem alguns personagens exclusivos e para os ter todos precisamos de efetuar trocas com a outra versão, mas para além das personagens existem movimentos exclusivos a algumas personagens que não são possíveis obter na outra. Cada versão dá também destaque a uma das personagens principais: em Bomb Blast acompanhamos a história de Hector Felio o misterioso guarda-redes da equipa Little Gigantes do país africano (fictício) Côte-Victoire. Já Lightning Bolt segue a história de Paolo Bianchi, o capitão da equipa italiana Orpheus e um jogador prodígio, que rapidamente se torna amigo e rival de Mark Evans. Cada versão conta ainda com equipas rivais exclusivas, algumas delas importantes para a história, como por exemplo as equipas Team Daystar e Team Nightstar, presentes nas versões Lightning Bolt e Bomb Blast, respectivamente.

Até quatro jogadores podem participar em partidas locais mas infelizmente não existe a mesma componente multijogador através da internet, nem por download play, limitando bastante a possibilidade de jogar com outros jogadores. Para distinguir a nossa equipa das restantes podemos usar equipamentos de todos os clubes e países que enfrentamos, dar o nome à nossa equipa e até desenhar o emblema da mesma.

A sensação com que ficamos a jogar este jogo é que estamos a assistir a uma série de animação, dividido em capítulos onde no final de cada um temos uma pequena sequência de imagens narradas que são cenas do "próximo episódio", e como pormenor extra assistimos ainda a um separador típico das séries de animação quando surge um intervalo. Infelizmente mesmo quando a série de animação é transmitida em Portugal há bastante tempo e tem bastantes fãs entre os mais novos, o jogo não tem localização para português, um ponto chave pois é um jogo rico em texto e com vários pontos que pode bloquear devido à incompreensão da língua.


É um jogo feito a pensar nos fãs da série e para quem procura um jogo de futebol mais diferente, um pouco ao estilo da série de animação de Captain Tsubasa, conhecido em Portugal como "Campeões: Oliver e Benji" mas com muita fantasia e até um bom exagero relativo aos movimentos dos personagens. O jogo é também uma despedida das aventuras de Mark e a antiga escola de Raimon, pois serão substituídos por novos personagens na sequela desta série, já lançada para a 3DS no Japão. Para quem acompanhou a série há uma forte vontade de vencer antigos rivais, de voltar a ver velhos inimigos que colocaram as suas diferenças à parte em prol de um bom jogo de futebol, e no final, usar todos os nossos personagens favoritos naquela que é a nossa mais forte equipa do mundo!