Notícias

Análises

1 de julho de 2013

E3 2013: Primeiras impressões dos novos jogos para a Wii U (2)

THE LEGEND OF ZELDA: THE WIND WAKER HD
Não há muito a dizer acerca deste jogo, remake de um clássico da GameCube que este ano celebra o seu 10º aniversário. Jogar esta demo foi receber uma valente dose de nostalgia e constatar aquilo que já tinha sentido ao ver o trailer da E3: o novo grafismo de Wind Waker recria na perfeição o feeling do jogo original. Na minha mente, é como se estivesse exatamente igual, apesar de ser notória a diferença a nível da luminosidade e saturação das cores, bem como o detalhe adicional dos personagens e cenários.

SONIC LOST WORLD
Depois das primeiras imagens e notícias acerca do novo Sonic Lost World, assim como reacções de outros jornalistas na E3, criei algumas expectativas em relação a este jogo. Infelizmente, a demo do jogo não estava à altura das mesmas. O maior problema que senti foi em relação à jogabilidade, com controlos muito "soltos" para níveis que exigem alguma precisão quando se anda a alta velocidade. Os cenários são bastante bonitos, mas a construção dos níveis podia ser mais adequada aos controlos, o que evitaria bastantes frustrações aos jogadores. Felizmente, o jogo ainda tem tempo para ser melhorado até ao seu lançamento.

THE WONDERFUL 101
Desde que foi anunciado, que este jogo tem todo o ar de ser o primeiro grande jogo de culto da Wii U, sensação que confirmei ao experimentar a demo. Não será um jogo para qualquer um, nem é muito intuitivo ao início, mas torna-se irresistível assim que nos habituamos aos controlos. A utilização do GamePad é muito boa, ao estilo de jogos "DS" que envolvem desenhar coisas no ecrã para mudar a formação do batalhão. Um bocadinho de Pikmin, um bocadinho de Viewtiful Joe, muito estilo e super heróis, é um jogo divertido e também bastante cool! Chega às lojas dia 23 de agosto!

BAYONETTA 2
Quem já tiver jogado Bayonetta, já sabe com o que pode contar neste jogo. Bayonetta 2 não estragou nada daquilo a que os fãs já estavam habituados, acrescentando novos poderes, combos e ataques especiais a toda a acção frenética. Com o entusiasmo, não experimentei o modo de controlo tátil, mas joguei a demo do princípio ao fim e fiquei com vontade de continuar, ou voltar a jogar o anterior para aguentar a espera até 2014. O jogo aproveita muito bem as capacidades gráficas da Wii U e agora apresenta cenários mais expansivos e melhores técnicas de iluminação, que são aproveitadas para fazer tudo ainda mais "over-the-top" durante as sequências de animação. Um verdadeiro must!

DONKEY KONG COUNTRY: TROPICAL FREEZE
Talvez por saturação do lançamento recente para a Nintendo 3DS de Donkey Kong Country Returns 3D, não tinha muitas expectativas com este que é o primeiro título da Retro Studios para a Wii U. No entanto, quando comecei a jogar, com um comando Wii + Nunchuck, percebi que não estamos perante apenas "mais do mesmo", mas sim "melhor do mesmo".

O jogo está fantástico em HD, para começar, a jogabilidade continua sem falhas e a demo mostrou uma grande diversidade de mecânicas dentro do jogo. O nível que joguei não era propriamente difícil e pareceu bastante introdutório, mas era realmente muito extenso! Depois de o ter jogado, sinto que há um grande salto qualitativo em termos técnicos que realmente justificou esta sequela. Basta que os cenários estejam ao nível do jogo anterior e temos um sério candidato a jogo de plataformas do ano!

PIKMIN 3
Este foi um dos primeiros jogos anunciados para a Wii U, esperado para o lançamento da consola. No ano passado, experimentei uma versão de demonstração que considerei ser uma desilusão. Passados 12 meses, o jogo ainda não chegou às lojas (mas está quase, é já dia 26 de julho), mas está com um aspecto muito melhor! Os gráficos estão bastante polidos e detalhados, tanto a nível de personagens como de cenários.

A jogabilidade com o comando Wii + Nunchuck é excelente, simples e intuitiva, mas o mesmo não se pode dizer dos controlos com o GamePad. Os interessados no jogo devem mesmo investir nestes acessórios, caso não os tenham já da consola anterior, senão ficarão bastante frustrados em ter de controlar a mira e o personagem com o mesmo stick analógico. Nada como apontar diretamente para o ecrã!

Ao jogar a demo mais do que uma vez, fui testando novas estratégias e melhorando o desempenho, o que mostra desde já que este poderá ser um jogo com grande longevidade à custa da repetição voluntária de níveis a que simplesmente voltamos para tentar fazer melhor.