Notícias

Análises

20 de abril de 2013

The Legend of Zelda 3DS – Primeiras Impressões


A grande surpresa do Nintendo Direct desta semana foi, sem dúvida, o anúncio que um novo jogo da série The Legend of Zelda está a ser desenvolvido para a Nintendo 3DS, baseado no clássico A Link to the Past (ALttP), da Super Nintendo. O jogo irá passar-se no mesmo mundo e conta com um estilo gráfico fantástico que recria em 3D os cenários desse universo, mas é uma aventura completamente original com novas masmorras para explorar. A convite da Nintendo, tive a honra de experimentar uma demo jogável do novo Zelda para a 3DS e posso já avançar que adorei!


A demo consiste numa masmorra completa, que foi construída de forma a mostrar algumas das novidades que o jogo irá introduzir, mas também permite identificar a dose de nostalgia que está a ser injectada neste “A Link to the Past 2”. Esta masmorra é uma torre inspirada no 3º nível do ALttP e conta com vários inimigos desse jogo, recriados em 3D mas perfeitamente fiéis aos sprites da SNES. No entanto, esta ilusão de que tudo é igual começa assim que se tenta passar o primeiro piso desta torre: este jogo tem novos truques e o que parecia familiar oferece novos desafios.

A principal novidade apresentada é a capacidade de Link se transformar num graffiti nas paredes, e que muda a perspectiva de câmara clássica para um ponto de vista 3D. Link consegue deslocar-se ao longo das paredes e até contornar esquinas, o que dá toda uma nova dinâmica à forma de resolver puzzles no jogo. A demo dá alguns exemplos, como fazer subir blocos e utilizá-los como plataforma para chegar à altura de uma janela, que funciona como saída da sala. Muitas vezes, esta mecânica é explorada sob a forma de puzzle-plataforma que exige um pensamento rápido para ultrapassar obstáculos, ou então como maneira de aceder a outros locais bem escondidos.


A segunda novidade é a barra de energia. A barra vertical verde que surge no trailer do jogo não é um indicador do nível de magia, como em ALttP, mas sim um indicador do esforço do Link. Ao transformá-lo em desenho, a barra desce progressivamente e, quando chega ao fim, Link regressa à sua forma normal. O mesmo acontece quando se utiliza items como o martelo ou o arco e flecha, cuja utilização baixa a energia do herói. Esta barra volta a encher gradualmente quando Link não está a utilizar nenhuma destas habilidades.

O ecrã tátil permite visualizar o mapa da masmorra ou gerir o inventário, com um menu que permite escolher o item a atribuir a cada botão. Na demo, apenas estão disponíveis um martelo, arco e flecha e um frasco com uma poção para curar, mas há muito espaço de sobra no inventário. Além disso, havia uma opção do menu chamada "Collect", indicando alguma vertente de coleccionismo neste jogo, mas a funcionalidade estava bloqueada. Encontrei um piso onde havia algumas fadas, mas não é possível capturá-las com um frasco (estilo Ocarina of Time), pelo que não será de espantar se a rede de apanhar insectos regressar neste jogo! A meio da masmorra, é criado um portal que permite regressar à entrada, algo que também tem estado presente nos Zeldas portáteis mais recentes, e no final um boss bastante familiar dos jogadores de ALttP.

Tirando partido do efeito 3D da consola, a torre tem vários pisos com chão transparente ou com buracos que permitem ver em profundidade os que se encontram abaixo, permitindo algumas situações em que o caminho passa por subir e descer entre pisos para poder avançar. Os visuais destacam-se bastante graças ao efeito 3D e são extremamente fluidos, correndo a 60fps. Nota-se imenso cuidado em fazer deste jogo o mais parecido possível com o da SNES, apesar de todos os modelos serem tridimensionais, sendo notável a forma como o modelo do Link parece mesmo saído do início dos anos 90, em termos artísticos.

Finalmente, o ponto alto de toda a nostalgia que rodeia este jogo é a sua banda sonora. Tanto as músicas dos níveis, como os efeitos sonoros, são recriados a partir do jogo da Super Nintendo, embora com melhor qualidade. Outro aspecto interessante é a forma como a música de fundo da masmorra vai ficando mais intensa à medida que se progride em direcção ao boss, ao estilo do que acontece em Skyward Sword.

Versão do trailer em 3D disponível na Nintendo eShop da Nintendo 3DS!

Infelizmente, derrotando o boss, chega-se ao fim desta demo, que não permite explorar o mundo exterior apresentado no trailer. Apesar de ainda estar numa fase bastante inicial e muita coisa poder mudar até ao lançamento do jogo, a demo apresenta uma mistura muito interessante de coisas novas e retro, fazendo-nos acreditar que estamos de volta ao mundo de A Link to the Past, só para depois nos confrontar com novas formas de olhar para os puzzles graças às novas mecânicas. O novo Zelda, ainda sem um título oficial, promete arrasar completamente na Nintendo 3DS durante o próximo Natal!