Notícias

Análises

31 de outubro de 2012

Kingdom Hearts 3D [Dream Drop Distance]


Foi há 10 anos que surgiu o projeto que uniu a Square-Enix e a Disney, com o propósito de unir o universo de Final Fantasy com os mundos da Disney, criando assim a série Kingdom Hearts que rapidamente ganhou uma fanbase bastante forte, até mesmo em Portugal. Enquanto os fãs continuam a aguardar pelo 3º capítulo da série, foram lançados diversos spin-offs, mas ao contrário dos títulos da série na Nintendo DS, [Dream Drop Distance] é um jogo que merece o máximo de atenção pelos fãs, e um bom ponto de entrada para os que não conhecem a série. A Nintendo 3DS foi escolhida como principal plataforma para celebrar estes 10 anos, e é uma festa cheia de nostalgia e inovação.

Neste jogo Sora e Riku iniciam o mais importante teste que enfrentaram até hoje, o Mark of Mastery, que no seu caso consiste em entrar no universo dos sonhos, e explorar mundos da Disney e Square-Enix que estão presos num sonho. A fantasia continua a ser um ponto forte e consegue ligar a história às personagens, mas este jogo foge à fórmula muito devido à sua jogabilidade.

Nele somos obrigados a utilizar ambas as personagens, não só porque a história incentiva, mas porque sem concluir os mundos com ambos os personagens, não conseguimos prosseguir no jogo. O contador de Drop está quase sempre presente, e funciona como um cronómetro, que terminando o tempo mudamos imediatamente de personagem. Torna-se apenas inconveniente quando estamos numa batalha importante e somos obrigados a recomeçar depois. Também por vezes a narrativa está construída de modo a terminar primeiro com uma personagem, mas como a escolha é livre, isso torna-se confuso para aquele ponto da história.

Trocar de personagem é uma boa experiência porque, mesmo partilhando o mesmo mundo, as histórias são paralelas e explora pontos diferentes dos diversos mundos. Os próprios cenários têm zonas exclusivas para cada um dos personagens e não se tornam enfadonhos, resolvendo o problema de repetição presente no título Kingdom Hearts: Birth By Sleep.

Mas a maior revolução está na jogabilidade, que por si só é um forte motivo para ficar agarrado ao jogo. O sistema de Flowmotion permite-nos utilizar os cenários e os próprios inimigos para nossa vantagem, e combinar a velocidade com estratégia, para que possamos derrotar os inimigos rapidamente pois o tempo está "contra nós". Temos ainda o sistema de Reality Shift que surge como um mini-jogo no ecrã táctil, que muda consoante o mundo onde estamos, e serve como um ataque devastador ou para prosseguir no cenário.

Toda esta ação é acompanhada por visuais bastante bons, mas que poderiam estar mais polidos. O efeito 3D resulta muito bem em todo o jogo (e não sofre de problemas de ghosting como vistos noutros jogos), mas em 2D pouco altera, não usando quaisquer filtros de anti-aliasing que seriam bem vindos.

Neste jogo somos também acompanhados por Dream Eaters, criaturas que nos assistem e lutam connosco, permitindo até ataques conjuntos, que embora diversas vezes semelhantes entre monstros, é diferente quando usamos Sora ou Riku. São extremamente importantes para o jogo pois é com o seu uso que desbloqueamos ataques, magias e habilidades. Com o decorrer do jogo vamos tendo receitas que servem para criar novos Dream Eaters, ou podemos até usar cartões de realidade aumentada para adquirir alguns monstros especiais!

Existe também uma forte componente de Pokémon, onde podemos usar os nossos personagens num sistema de batalhas que utiliza cartas que nos lembra Kingdom Hearts: Chain of Memories, e mini jogos com realidade aumentada que nos remete a NintenDogs. Tudo isto ajuda-nos a treinar e a desbloquear ataques novos, tal como criaturas mais fortes, desenvolvendo as nossas criaturas, onde para além do nome podemos mudar-lhes a cor.

A nostalgia é palavra chave deste jogo, e durante o jogo vamos recebendo algumas notas relativas a jogos passados. Isto permite-nos relembrar pontos chaves dos jogos da série, ou apresentar o mais importante da história a todos aqueles que nunca jogaram Kingdom Hearts. Temos ainda diversas notas sobre as personagens que nos vão aparecendo, ideal para que todos percebam quem é quem e a sua importância na série.

Mas a nostalgia não fica pela série. Enquanto que nos jogos anteriores as personagens de Final Fantasy surgem como personagens importantes na história, aqui surgem Neku, Shiki e companhia, de The World Ends With You, e a sua história é representada em Traverse Town, o primeiro mundo importante que visitamos, que se encontra bastante diferente das vezes anteriores que apareceu na série. Ficamos a querer mais, e a pensar que mais poderia ter sido feito, mas talvez desse modo não seriam os 10 anos a ser festejados.


Por último aponto a banda sonora deste jogo, que embora estejamos bastante habituados ao muito bom trabalho de Yoko Shimomura na série, ou até observar a sua qualidade em séries como Mario & Luigi, e em jogos mais recentes como Radiant Historia e Xenoblade Chronicles, aqui a banda sonora é excelente, com diversos momentos que nos arrepiam e nos fazem querer ouvir mais. A quase totalidade das músicas foi bem trabalhadas, e não se prendeu em demasia aos mundos Disney, sabendo recriar o clima desses universos mas torna-los ainda mais interessantes.

Aponto em especial, como muitos que já jogaram puderam observar, ao mundo de Fantasia. Mal entramos neste universo Disney e somos transportados para os sonhos de Mickey, notamos que o jogo se torna um jogo mudo, ouvindo apenas a banda sonora do filme animado, e até mesmo os ataques são trocados por sons instrumentais. É de um detalhe incrível que nos faz querer visitar vezes sem conta esse mundo. O voice acting continua a ter bastante qualidade, agora com alguma maturidade, mesmo surgindo uma ou outra personagem que esteja mais estranha.



Kingdom Hearts fica assim preparado para o 3º capítulo, que embora seja certo que não tenha o seu lançamento na 3DS, os seus fãs poderão ver na consola um bom formato para jogar RPG, e Dream Drop Distance comprova que podemos ter um bom jogo de ação, fluído, e que nos deixa bastante satisfeitos com o resultado final.



Ler Mais >

Shigeru Miyamoto recebe prémio Príncipe das Astúrias

Shigeru Miyamoto, autor de videojogos como Donkey Kong, Mario Bros. e The Legend Of Zelda, deslocou-se a Espanha para receber pessoalmente o Prémio Príncipe das Astúrias de Comunicação e Humanidades.
Foi um sorridente Shigeru Miyamoto que se apresentou perante o Príncipe Filipe de Espanha para receber uma das mais altas condecorações atribuídas pelo nosso país vizinho: o prémio Príncipe das Astúrias, neste caso relativo à área de Comunicação e Humanidades. Atribuído anualmente pela Fundação Príncipe das Astúrias, este galardão já distinguiu ilustres personalidades portuguesas como Mário Soares e António Damásio em áreas tão distintas como a Cooperação Internacional e a Investigação Científica e Técnica, respetivamente.

Trata-se de uma distinção importante para aquele que é considerado pelos seus pares como o “pai dos videojogos modernos”. Responsável por titulos tão populares e intemporais como as séries Mario Bros., Donkey Kong e The Legend Of Zelda, Shigeru Miyamoto transformou a face dos videojogos ao longo das últimas três décadas, convencendo pessoas de todas as idades, credos e raças a partilhar a diversão proporcionada por obras tão distintas como Wii Sports, Wii Fit ou Nintendogs, só para citar alguns exemplos.

Na conferência de imprensa organizada pela Fundação Príncipe das Astúrias, Shigeru Miyamoto conquistou a plateia com a sua desconcertante humildade. “Trabalhei com muitas pessoas, em muitos videojogos, e sinto-me envergonhado de receber este prémio sozinho” confessou o diretor geral da Nintendo Entertainment, Analysis & Development para logo de seguida acrescentar que “não me sinto um super-herói, sou uma pessoa absolutamente normal”.

Mas aquele que a revista Time um dia apelidou de “O Spielberg dos Videojogos” não é, definitivamente, um comum mortal. A Fundação Príncipe das Astúrias salienta o papel fulcral que as obras criadas por Shigeru Miyamoto desempenharam para “fazer dos videojogos uma revolução social, acessíveis a segmentos da sociedade que nunca tinham tomado contato com esta forma de entretenimento, sendo ao mesmo tempo capazes de unir as pessoas sem distinção de sexo, idade ou condição sócio-cultural”. A distinção do criador japonês é igualmente justificada pela sua capacidade em “promover os videojogos como um elemento de integração familiar e social, uma experiência que pode ser partilhada por todas as pessoas, que ajuda a expressar emoções e que consegue comover os jogadores”.

Depois de ter ajudado a Nintendo a vender mais de 275 milhões de unidades só dos jogos Super Mario, Shigeru Miyamoto conserva aos 60 anos de idade o mesmo brilhozinho nos olhos que, na sua infância, o levou a imaginar mundos e personagens que podiam colocar um sorriso na cara das pessoas. Nos seus tempos de meninice, passados numa idílica vila japonesa a noroeste de Quioto, Miyamoto recriava na sua mente aventuras fantásticas por entre rios e montanhas. “Adorava interagir com a Natureza, enfiar-me rio abaixo, pescar, passear pelas montanhas, e tenho imensa pena que as crianças hoje em dia não desfrutem dessas oportunidades”, confessa o criador da Nintendo.

Desenvolver jogos “cada vez mais divertidos para todo o mundo” é o objetivo imediato de Shigeru Miyamoto que vê na Wii U, a nova consola doméstica da Nintendo que será comercializada em Portugal a partir do próximo dia 30 de novembro, uma ferramenta para “melhorar a experiência dos videojogos, quer se jogue sozinho, quer se partilhe a diversão com a família na sala de estar”.
Biografia de um autor


Shigeru Miyamoto juntou-se à Nintendo em 1977 como desenhador e rapidamente criou uma reputação dentro da empresa, tornando-se uma das personalidades mais respeitadas da indústria. Embora fora da indústria dos videojogos o seu nome possa não ser universalmente conhecido como Steven Spielberg ou Martin Scorcese, as suas criações são-no, e têm servido de inspiração a outros criadores de jogos e a milhões de pessoas em todo o mundo.

Foi este desejo de criar entretenimento interativo para todas as pessoas, independentemente da sua idade, sexo ou experiência de jogo, que se tornou o motivo da sua enorme influência. Entre as suas maiores contribuições está a criação das plataformas Nintendo DS e da Wii e de títulos como Nintendogs, Wii Sports ou Wii Fit, que ajudaram a expandir a população de jogadores, tornando-os a acessíveis a crianças e adultos, homens e mulheres.

Em 1998, Miyamoto teve a honra de ser a primeira personalidade eleita para o Panteão da Fama da Academia de Artes e Ciências Interactivas norte-americana. Em 2006 tornou-se um dos primeiros criadores de videojogos a ser nomeado Cavaleiro da Ordem das Artes e Letras de França e em 2007 foi distinguido com o Prémio de Carreira pela International Game Developers Association e foi nomeado pela revista Time como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo. Em 2010, Miyamoto recebeu o prémio Fellowship da Academia Britânica de Artes Cinematográficas e Televisivas (BAFTA na sigla inglesa), sucedendo a personalidades como Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock.

[Nota: o texto apresentado neste artigo foi retirado de um comunicado oficial da Nintendo Ibérica.]
Ler Mais >

30 de outubro de 2012

Dragon Quest VII para 3DS anunciado


Foi hoje anunciado no Japão o remake de Dragon Quest VII para a 3DS, um jogo que saiu originalmente na PlayStation em 2001 nos Estados Unidos mas nunca foi vendido em território europeu. Este vem continuar a linha de remakes da série que, já na Nintendo DS, nos trouxe os capítulos IV, V e VI, saindo pela primeira vez na Europa. O seu lançamento está previsto para o Japão em fevereiro de 2013, mas ainda não existe qualquer informação sobre o lançamento na Europa.


Como podemos observar, o jogo surge em 3D, não utilizando os sprites presentes na versão original. Podemos ver ainda que as batalhas terão as personagens no cenário, perdendo então a vista de "primeira pessoa" presente no original e nos remakes anteriores. Com isto, surgem ainda as personagens vestidas a rigor, provavelmente de acordo com as classes que utilizamos. Tal como em Dragon Quest IX, temos várias classes para as personagens, existindo 10 iniciais, e muitas outras desbloqueáveis com o decorrer do jogo. Quem sabe, não teremos novas classes exclusivas deste remake!

O mistério relativo ao lançamento do 7º capítulo de uma franchise popular da Square-Enix termina assim, embora fosse bastante claro que se tratava de Dragon Quest VII (a outra hipótese, um remake de Final Fantasy VII, foi colocada de parte por muitos). É mais um peso forte do universo dos RPG na 3DS, consola onde já temos disponíveis títulos como Tales of the Abyss, Kingdom Hearts 3D [Dream Drop Distance], com Shin Megami Tensei: Devil Survivor Overclocked já confirmado para a Europa, e ainda aguardamos por um possível anúncio do lançamento de Bravely Default: Flying Fairy, o sucessor espiritual de Final Fantasy: The Four Heroes of Light.

Perfeito seria também o lançamento da edição de aniversário de Dragon Quest I, II e III da Wii, que teve o seu lançamento no ano passado no Japão, ou ver Dragon Quest: The Journey of the Cursed King na Wii U (que mesmo sendo um simples port, seria o ideal!).
Ler Mais >

Wii U: Os pacotes de lançamento

Falta precisamente um mês para o lançamento em Portugal da nova consola doméstica da Nintendo, Wii U. Para facilitar a escolha, a Nintendo disponibilizou as seguintes infografias onde é apresentado o conteúdo de cada pacote disponível no dia de lançamento:




Apesar de não haver um preçário oficial anunciado, os preços praticados pela maioria das lojas são os seguintes:
  • Wii U Basic Pack – 299,99€
  • Wii U Premium Pack – 349,99€
  • Wii U ZombiU Premium Pack – 399,99€
Ainda assim, é sempre uma boa ideia passar por várias lojas e espreitar as promoções de lançamento que estas possam ter para vos oferecer!
Ler Mais >

27 de outubro de 2012

Vencedor do passatempo Liberation Maiden

Já é conhecido o vencedor do nosso passatempo onde oferecemos uma cópia do jogo Liberation Maiden para a Nintendo 3DS:

Rafael Ferreira

Muitos parabéns ao vencedor e um sincero agradecimento a todos os participantes, que provaram ser merecedores deste jogo e nos deram um trabalho árduo na escolha da melhor resposta!
Ler Mais >

24 de outubro de 2012

O urso cego!! Penélope Cruz está obcecada com Professor Layton!


Está explicado o mistério desta semana, e era mesmo um caso para o Professor Layton! Penélope Cruz é novamente a estrela da Nintendo, desta vez no anúncio para o novo jogo Professor Layton and the Miracle Mask para a Nintendo 3DS.


O anúncio retrata o que acontece a muitos jogadores, quando ficam obcecados por algum puzzle que deixaram a meio. Penélope tem o seu momento "eureka!" durante as gravações de uma cena e interrompe tudo para dar a resposta à irmã Mónica Cruz: é o urso cego com chapéu azul!


Infelizmente para nós, já ficamos a saber a resposta deste puzzle… felizmente o jogo terá muitos outros para resolver! Professor Layton and the Miracle Mask chega às lojas já no dia 26 de outubro!
Ler Mais >

23 de outubro de 2012

Um urso cego?

Depois do anúncio do bigode misterioso, Penélope Cruz regressa às campanhas publicitárias da Nintendo, com um novo mistério:


Um urso cego com um chapéu azul? De que estará ela a falar?
Resta-nos seguir para o Twitter e acompanhar a hashtag #blindbear!
Ler Mais >

18 de outubro de 2012

Passatempo eShop: Liberation Maiden


Liberation Maiden é um dos grandes exclusivos da loja digital da Nintendo 3DS para 2012, e deixou a equipa do Meus Jogos DS completamente apaixonada (e a querer mais)! Graças a uma parceria com a Nintendo, temos agora a oportunidade de oferecer a um dos nossos leitores esta grande pérola, através de um código de download da eShop.

Para seres o vencedor, basta responder corretamente às perguntas do formulário em baixo e dar-nos uma resposta bem original à última pergunta! Tens até dia 25 de outubro para participar! Se achares as perguntas difíceis, podes encontrar todas as respostas na nossa análise ao jogo aqui.

Nota: O prémio é um código de download da Nintendo eShop, pelo que será preciso uma Nintendo 3DS ou uma Nintendo 3DS XL e acesso à internet para o poder descarregar! Não te esqueças de ler o nosso regulamento em baixo!


Regulamento:
  1. Este passatempo decorre até ao dia 25 de outubro de 2012, não sendo aceites participações após essa data.
  2. O passatempo destina-se exclusivamente a participantes residentes em Portugal.
  3. Apenas será aceite uma participação por pessoa. Os dados introduzidos no formulário deverão ser verdadeiros, sob pena de exclusão.
  4. O vencedor será escolhido tendo em conta as respostas corretas às questões de resposta curta e a originalidade da questão de resposta livre. A escolha será definitiva e inalterável a menos que se verifique caso de fraude.
  5. O resultado do passatempo será publicado no blog Meus Jogos DS. Apenas o vencedor será contactado diretamente através do e-mail inserido no formulário.
  6. Para que possa levantar o prémio, o vencedor deverá possuir uma consola Nintendo 3DS ou Nintendo 3DS XL (modelos europeus) e ter acesso à Nintendo eShop.

Ler Mais >

5 de outubro de 2012

Liberation Maiden

Shoko Ozora, Segunda Presidente do Novo Japão. É esta a nova heroína da Nintendo 3DS que, na sua "Liberator" Kamui, vem libertar o seu país dos invasores num fantástico shooter 3D exclusivo da eShop.

Liberation Maiden é fruto de uma colaboração da Level-5 com o aclamado game designer Goichi Suda (SUDA51) e faz parte de uma compilação lançada no Japão conhecida como Guild01 – jogos produzidos em parceria entre a Level-5 e diversas estrelas do mundo dos videojogos. No ocidente, cada jogo tem um lançamento independente em formato digital, sendo este o primeiro a chegar até nós. Mas será que se consegue impor como um título isolado?

A resposta é muito simples: sim! O jogo é um daqueles casos em que se sente uma adaptação perfeita à plataforma, percebendo-se que é um título dedicado à 3DS e feito para tirar partido do que esta tem para oferecer. A jogabilidade é muito simples, utilizando o Botão Deslizante para movimentar a personagem e o ecrã tátil para controlar a mira. Para atacar, mantém-se o cursor em cima do alvo ou desliza-se para selecionar vários inimigos, depois levanta-se a stylus do ecrã e assiste-se ao massacre! Mas há uma contrapartida: Shoko usa o seu próprio escudo para atacar, ficando vulnerável durante o tempo em que o ecrã é premido. Assim, o ponto fulcral da jogabilidade é o equilíbro entre a defesa e o ataque, decidir em cada situação se é melhor recorrer a ataques rápidos ou manter o ecrã premido mais tempo para um ataque mais forte.

O jogo é pequeno, contendo apenas cinco níveis diferentes, mas compensa-o com diferentes graus de dificuldade e a possibilidade de repetir qualquer nível à escolha, adicionando ainda um conjunto de objetivos que desbloqueiam uma galeria onde é possível descobrir mais sobre a história do jogo. E este é um daqueles jogos em que se quer saber sempre mais, pois criou um universo muito interessante, apesar de seguir alguns clichés que os fãs de animações japonesas já estão fartos de conhecer, mas continuam a adorar!


Mas não só ao nível da jogabilidade se nota a qualidade desta produção: os gráficos são excelentes e tiram partido do efeito 3D da consola ao máximo, a banda sonora adequa-se na perfeição e as animações são simplesmente fantásticas. Até mesmo as vozes utilizadas em inglês têm um bom desempenho, embora fosse preferível a opção de ouvir em japonês, já que o jogo tem legendas em inglês. O mais importante de tudo é que este é um jogo com enorme carisma, sentindo-se realmente o "toque" de SUDA51 – é um jogo cheio de estilo. É realmente difícil apontar defeitos a este jogo, a não ser o facto de ser demasiado pequeno e deixar-nos quase a desesperar por uma sequela. A Level-5 tem, aqui, tudo o que é preciso para estabelecer Liberation Maiden como uma franchise sólida e com uma legião de fãs. Resta-nos saber se tal irá alguma vez acontecer. Até lá, nada como desfrutar ao máximo desta verdadeira pérola da Nintendo 3DS.

Ler Mais >

4 de outubro de 2012

Grandes títulos para a eShop anunciados no Nintendo Direct

O Nintendo Direct de hoje foi inteiramente dedicado à Nintendo 3DS e trouxe bastantes novidades para a sua eShop, desde o lançamento digital de jogos já existentes em cartucho ao anúncio de jogos completamente novos, incluindo alguns até agora exclusivos do Japão!


As novidades têm efeito já hoje, com o lançamento de Liberation Maiden, o primeiro de uma compilação de jogos da Level-5 lançada no Japão com o título Guild 01. Este, desenvolvido em parceria com a Suda51, consiste num intenso e viciante shooter apresentado com um fantástico estilo artístico e excelentes animações. Os restantes jogos anunciados desta compilação, Aero Porter e Crimson Shroud, serão lançados em novembro e dezembro, respetivamente. Mais informações sobre estes títulos na página oficial.

Hoje é também o dia em que chegam à eShop grandes títulos da Nintendo já lançados anteriormente em cartucho. Super Mario 3D LandMario Kart 7The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3DStarfox 64 3D estão já disponíveis, mas outros títulos serão acrescentados em breve. Uma alternativa, especialmente para quem gosta de ter o Mario Kart sempre à mão!

A outra grande surpresa foi o anúncio de Fallblox, a sequela de Pullblox que oferece um novo tipo de puzzle, onde fazemos blocos cair para construir um caminho até ao topo. O estilo artístico leva agora um toque mais retro, mas os quebra-cabeças prometem ser ainda mais desafiantes! O jogo será lançado durante o mês de novembro.

De todos os jogos anunciados, o mais curioso é este The Denpa Men: They Came by Wave, que será lançado "em breve". Com as funções de Realidade Aumentada da consola, capturamos estes estranhos homens... que depois utilizamos numa estranha aventura... o melhor é mesmo ver o vídeo acima, para se perceber que este é um verdadeiro must-have!

Para além dos títulos de Pokémon já anunciados, Pokémon Dream Radar (12 de outubro) e Pokédex 3D Pro (8 de novembro), foram ainda apresentados outros títulos relevantes como Hana Samurai: Art of the Sword (11 outubro), Hydroventure: Spin CycleNano Assault EX. Podem ver toda a apresentação no vídeo que se segue.



Informações sobre outros lançamentos previstos para o final de 2012 que já tinham sido anunciados podem ser consultadas aqui.
Ler Mais >

1 de outubro de 2012

Principais lançamentos – 4º trimestre 2012


No que diz respeito a lançamentos de videojogos, esta é sempre a altura mais excitante do ano, e 2012 não será exceção. Até ao final do ano, chegarão até nós vários títulos de topo para as diversas plataformas da Nintendo, começando com um novo Pokémon que encerrará em grande o catálogo da Nintendo DS. Já a Nintendo 3DS terá excelentes ofertas para os fãs de puzzles e aventuras, antecipando o lançamento de uma nova e promissora plataforma da Nintendo: a Wii U. Com tudo isto, o mais difícil será mesmo escolher!

Com data de lançamento prevista para 12 de outubro, estes novos Pokémon Black Version 2 e Pokémon White Version 2 vêm encerrar o catálogo da Nintendo DS com chave de ouro. Sendo a sequela de um dos jogos mais populares da consola, Pokémon Black/White 2 oferece um regresso à região de Unova para uma aventura completamente nova passada dois anos depois. Quem escolher jogar numa Nintendo 3DS, terá disponível na eShop o jogo Pokémon Dream Radar, que permite capturar novas criaturas através do giroscópio e depois transferir para o jogo da DS. Também na 3DS, será lançado na eShop o novo Pokédex 3D Pro no dia 8 de novembro. Podem ler mais sobre estes títulos aqui.

Há muito que se tornou um hábito dos jogadores de DS passar as noites frias de outono na companhia dos puzzles do Professor Layton. Este ano, o hábito passa para os jogadores da Nintendo 3DS, com Professor Layton and the Miracle Mask, que será lançado a 26 de outubro. Este título mantém-se fiel à formula de puzzle e aventura a que estamos habituados, mas inclui bastantes novidades que tiram partido das características próprias da nova consola, incluindo a possibilidade de fazer descarregar um novo puzzle por dia durante um ano!


Se há título que merece toda a nossa atenção, é este Virtue's Last Reward. Com data de lançamento prevista para 16 de novembro e uma classificação etária para maiores de 16 anos, este título é a sequela de 999: Nine Hours, Nine Persons, Nine Doors – um dos melhores jogos da Nintendo DS, mas que nunca foi editado na Europa. Virtue's Last Reward é uma aventura cerebral sobre confiança e traição num grupo de desconhecidos que acorda num jogo de vida ou morte. Especialmente recomendado a fãs de puzzles e de histórias surpreendentes ao estilo do filme "Saw".

Ainda sem data oficial, mas com lançamento previsto até ao final de 2012, Paper Mario: Sticker Star é o novo RPG da divertida série Paper Mario, que se estreia agora nas consolas portáteis. O visual estilizado tira o máximo partido do efeito 3D da consola, com resultados surpreendentes, e a jogabilidade promete ser tão divertida como sempre! Um jogo a manter debaixo de olho enquanto aguardamos novidades… [Atualização: o jogo será lançado na Europa a 7 de dezembro de 2012.]


Finalmente, mas não menos importante, é o lançamento da nova consola doméstica Wii U a 30 de novembro. Os principais títulos de lançamento, Nintendo Land e New Super Mario Bros. U, prometem experiências nunca antes vistas e incontáveis horas de diversão para até 5 jogadores. Mas há muito mais nesta consola do que aquilo que salta à vista: podem ler as nossas primeiras impressões da Wii U aqui e saber mais sobre o seu lançamento em Portugal aqui.
Ler Mais >