Notícias

Análises

11 de dezembro de 2012

New Super Mario Bros. U


Desde o lançamento da Nintendo 64 que uma consola doméstica não chegava às lojas com um jogo do Super Mario para a acompanhar. Se estivermos a falar de um jogo "à antiga" em 2D, então, teremos de olhar para o lançamento da Super Nintendo há mais de 20 anos, com o jogo Super Mario World... uma referência bem merecida, pois é precisamente este clássico da SNES que este New Super Mario Bros. U tenta evocar com a mais recente aventura do famoso canalizador.


Muitos anos passaram desde então até ao lançamento do primeiro New Super Mario Bros., jogo muito bem sucedido em trazer de volta à ribalta os jogos de plataformas 2D e que deu início à série agora conhecida pelo mesmo nome. Embora extremamente popular, a série tem sido alvo de críticas por inovar pouco a cada iteração e trazer pouco de "novo", especialmente no que diz respeito ao recente New Super Mario Bros. 2 para a 3DS. A boa notícia é que este New Super Mario Bros. U é um pouco "mais novo" que os anteriores e, sem se afastar da fórmula tradicional, consegue oferecer uma experiência refrescante.


A principal novidade do jogo está no seu aspeto gráfico e estilo artístico. Sendo o primeiro jogo do Mario em alta definição, houve um cuidado muito especial na criação dos cenários com bastantes camadas de profundidade e ricos em detalhes que, em alguns casos pontuais, justificam parar o que se está a fazer no jogo para os contemplar (e partilhar no Miiverse!). Infelizmente, esses momentos acabam por se destacar tanto que deixam a desejar que o jogo tivesse explorado mais essa liberdade artística. Por outro lado, a nostalgia do Super Mario World e outros clássicos permeia a construção dos níveis e até mesmo a forma como os níveis estão distribuídos num mapa unificado.

A integração com o Miiverse é mais um ponto positivo deste jogo, apesar de o fazer de forma algo intrusiva. No final de alguns níveis, onde o jogador se destacou por alguma façanha ou sentiu particulares dificuldades e morreu muitas vezes, o jogo pergunta-lhe se deseja publicar uma mensagem no Miiverse. Os criadores quiseram mesmo ter a certeza que as pessoas reparavam na funcionalidade, em vez de fazer algo mais natural como aconteceu em Nintendo Land, com um simples botão associado ao final dos níveis. O mapa do mundo é preenchido com mensagens do Miiverse (opcional), deixando ver o que o resto do mundo pensa do jogo e criando uma sensação bem integrada de comunidade. No entanto, esqueceram-se de adicionar o botão "yeah!" para se poder dar feedback a essas opiniões.

Como jogo que se preze da Wii U, este pode ser jogado inteiramente apenas no GamePad, sem necessidade da televisão. No entanto, ao jogar com outro comando o da Wii, o GamePad fica livre para que outra pessoa se possa juntar no Modo Assistido e ajudar (ou prejudicar) na aventura, colocando blocos no ecrã em posições estratégicas. A qualquer momento do jogo, é possível adicionar um novo comando e acrescentar um jogador até um máximo de 4 em jogo, mantendo a possibilidade de um 5º jogador participar no modo assistido. Se o anterior na Wii a 4  jogadores conseguia ser divertidamente caótico, imagine-se então com uma pessoa extra a adicionar blocos!

O jogo oferece ainda alguns modos extra, seja um modo multijogador para ver quem apanha mais moedas, ou um conjunto de desafios de intensidade crescente para um só jogador, nos quais é possível escolher os personagens Mii. Aqui existe ainda a possibilidade de expansão do jogo via SpotPass, algo que atualmente permanece um mistério. Estes modos acabam por ser os mais interessantes de partilhar no Miiverse, apesar da funcionalidade não ter sido diretamente integrada nestes modos. É aqui que os jogadores mais experientes se irão sentir mais desafiados e, por isso mesmo, sentir maior necessidade de partilhar com a comunidade – felizmente, é tão simples como aceder ao menu Home da consola e aceder ao Miiverse, pondendo até incluir-se um screenshot como comprovativo!


A aventura principal tem uma boa duração, com uma longevidade de 10 a 12 horas para terminar e muitas mais para completar com todos os segredos. Os modos adicionais prolongam bastante a vida do jogo e as sessões multijogador hão-de se repetir durante toda a vida da consola, basta haver amigos ou familiares por perto! Embora haja momentos em que o jogo fique aquém de todo o seu potencial, é sem qualquer dúvida o melhor jogo do Mario em 2D dos últimos 20 anos e totalmente merecedor de acompanhar o lançamento da Wii U, sendo um título obrigatório não só para os grandes fãs de Mario, mas também para qualquer possuidor da consola.