Notícias

Análises

29 de novembro de 2012

Pokémon Black 2 / White 2

Como já manda a tradição, a série de Pokémon sempre foi acompanhada por uma versão especial e definitiva de cada geração, mais evoluída e com mais conteúdo, que serve para re-lançar o "mesmo" jogo anos mais tarde e capturar mais fãs. Pela primeira vez quebra-se a tradição, e inova não só esta quinta geração como entrega o jogo mais completo da série, numa espécie de love-letter aos fãs de Pokémon. A série como um todo é celebrada no último grande jogo da Nintendo DS. Não há muito a introduzir a nível de jogabilidade e mecânicas, pois não houveram mudanças desde os jogos anteriores, e vamos apenas apontar as novidades.

Pela primeira vez temos novamente 2 versões, e não se tratam das re-edições de jogos já existentes, mas sim sequelas diretas de Pokémon Black e White, que por si foi um jogo que inovou bastante a série, entregando-nos uma narrativa sólida com uma forte mitologia, longe de todas as regiões de Pokémon passadas. Passaram-se 2 anos desde que o misterioso N se afastou da organização Team Plasma, e a deixou dividida entre os que continuam com o propósito de libertar os pokémon do controlo dos seus treinadores, e os que querem explorar a ligação entre eles.

A história, tal como as novas personagens, não é tão completa como os jogos anteriores (começando por uma introdução animada bastante mais simples que a anterior), mas a ligação que estabelecemos com o nosso cartucho de Black e White é o que torna esta versão especial. Encontrar velhos aliados e inimigos, e ver como eles se desenvolveram funciona um pouco como explorar a região de Kanto em Pokémon Heart Gold e Soul Silver, mas num jogo sólido e completo em vez de uma zona adicional. Unova está bastante desenvolvida, com novas áreas, novas cidades e um novo percurso até ao final, e tudo isto dá gozo descobrir, como os cantos escondidos Hidden Grottos, onde temos itens variados ou pokémon com habilidades especiais. Temos ainda novos líderes de ginásios, e mesmo os ginásios que já existiam mudaram completamente, e conseguem dar ênfase à presença de um novo treinador, sempre em espírito de festa!

Desta vez Kyurem é o principal pokémon e a estrela da capa, em ambas as suas formas que mudam consoante a versão que jogamos, mas é pena que seja apenas uma forma alternativa e uma fusão forçada com Reshiram ou Zekrom. No entanto outros pokémon lendários tiveram algum destaque, como o trio Cobalion, Terrakion e Virizion e a sua ligação com Keldeo mais a sua nova Forme (que foi distribuido previamente). Também a aplicação de 3DS de Pokémon Dream Radar entrega-nos ainda mais lendários antigos e novas formas para Tornadus, Thudurus e Landorus.

Este jogo é, de um certo modo, uma resposta aos pedidos de muitos fãs de ter um jogo novo, sem adicionar novas criaturas, e o modo como o jogo mistura pokémon de gerações passadas com esta comprova que todos eles funcionam em uniformidade, quando cada vez mais se vêm críticas que "os novos pokémon são estranhos" sempre que é anunciado um novo jogo. Mas não se limitaram a despejar os pokémon antigos nesta região, e foram todos devidamente trabalhados, mudando os seus move-sets e adequando-os ao percurso do jogo. Capturar todos os pokémon torna-se ainda mais fácil devido ao Pokedex melhorado, que nos apresenta os diferentes pokémon de cada zona e nos avisa quando capturamos todos as diferentes criaturas.

Nota-se ainda uma dedicação extra aos jogadores mais experientes e aos que acompanham a série desde o seu início, através de elementos como o modo Challenge, que aumenta a dificuldade do jogo (ou o modo Easy que faz o oposto). Surgem ainda novidades como o Pokémon World Tournament, que entre tradicionais modo podemos lutar contra líderes de ginásio ou até membros da Elite Four de gerações passadas, ou até jogar contra os melhores treinadores de pokémon do mundo, através de download.

Outras duas grandes novidades são o PokéStar Studios, onde assumimos o papel de um realizador de cinema e podemos tornar os nossos pokémon em estrelas, as Medals que funcionam como façanhas (achievements) e a Join Avenue, que funciona como um StreetPass, em que à medida que nos vamos cruzando com outros jogadores, quer através do C-Gear ou via ligações à internet, como o Pokémon Global Link, eles juntam-se neste grande corredor e podem abrir lojas (onde podemos encontrar diversos itens raros, e até ganhar Master Balls!) ou visitar as já existentes, aumentando assim os níveis de cada loja.


Pokémon triunfa novamente naquilo que sabe melhor fazer: coleccionar, treinar e estabelecer uma forte ligação entre os jogadores e as criaturas, mesmo que digitais. A jogabilidade continua viciante, e o jogo tanto pode ser uma aventura simples e sem grandes dificuldades, ou um RPG sério com batalhas e personagens exploradas ao pormenor, criando ferozes competições. Encontrar outros jogadores online para algumas batalhas não demonstra quaisquer problemas, e incentiva-nos a criar "a melhor equipa" e lutar assim pela vitória.