Notícias

Análises

10 de julho de 2012

Kingdom Hearts: 358/2 Days


Ao longo de 10 anos da série Kingdom Hearts temos assistido a diversos jogos que não têm um número "3" estampado na capa, sendo assim vistos como spin-offs e tratados como tais, mas que acabam sempre por revelar muito da série e das suas personagens. Este título, de nome confuso, mostra-nos a vida de Roxas (uma das personagens da série com mais fãs) durante os seus tempos na Organization XIII, os "maus" da série.


Este jogo situa-se então entre o 1º e o 2º jogo da série, funcionando em paralelo com o jogo de GameBoy Advance, Kingdom Hearts: Chain of Memories, retratando o aparecimento de Roxas e o seu desenvolvimento com as diversas personagens, principalmente com Axel e a uma personagem Xion, criada de propósito para este jogo. O mais interessante acaba por ser as personagens, e não a história do jogo e da série, colocada geralmente em segundo plano.


O jogo em si funciona por missões: cada dia de Roxas é uma nova missão, repetindo vezes sem conta as mesmas áreas até à exaustão (tornando-se assim extremamente repetitivo), mudando algumas vezes as personagens que nos acompanham. Estas personagens são todas diferentes, exepto Xion que é uma cópia de Roxas, e podem ser todas usadas no modo multi-jogador (até 4 jogadores), surgindo ainda personagens desbloqueáveis neste modo, que vamos tendo à medida que avançamos no modo de história.


À semelhança dos restantes jogos, viajamos entre diversos universos da Disney, como o castelo da Bela e o Monstro, a cidade de Halloween do Estranho Mundo de Jack, e universos criados para a série como a Twilight Town. Estas estão bastante bem retratadas e adaptadas para a DS, principalmente depois destes universos serem importados da PlayStation 2. E tal como os modelos das personagens, estão bastante bonitos, visualmente. Não tão bem aproveitado é o ecrã táctil, mostrando apenas um mapa e o objectivo da missão.


Não fosse a repetição constante em todo o jogo, e ser todo ele construído com base em missões, tornar-se-ia um jogo bastante mais apelativo. É um jogo para os fãs da série, e por muito que possa ser jogado sem conhecimento prévio da história dos restantes jogos, pode tornar-se confuso na compreensão das personagens e das suas relações.