Notícias

Análises

2 de março de 2012

Antevisão: Kid Icarus: Uprising

Tive ontem a oportunidade de testar a última versão de antevisão de Kid Icarus: Uprising, o jogo que é a grande aposta da Nintendo para a 3DS neste trimestre e, se tivesse de resumir a experiência numa só palavra, esta seria... Comprem!


Kid Icarus: Uprising foi o primeiro jogo anunciado para a Nintendo 3DS, inicialmente esperado para o lançamento da consola, e será lançado a 23 de março, por altura do 1º aniversário da 3DS na Europa. Durante este ano extra de desenvolvimento, a equipa por trás do jogo esmerou-se por criar uma experiência de jogo bastante simples e divertida, algo que transparece ao fim de poucos minutos com o jogo.

O jogo consiste em guiar Pit, o herói angelical, ao longo de diferentes percursos recheados de inimigos, disparando contra eles enquanto se desvia dos seus ataques. Cada nível do jogo consiste numa parte aérea ao estilo de Sin & Punishment, série de culto na Nintendo 64 e Wii, onde a câmara se desloca automaticamente e o controlo do personagem tem como único objectivo desviar-se dos ataques adversários e outros obstáculos no caminho. A segunda parte dos níveis é feita a pé, onde existe já liberdade de movimento. Aqui, os controlos requerem alguma habituação mas, ao fim de alguns minutos, funcionam praticamente sem problemas: a mecânica foi construída à base do combate e não da exploração como num jogo de aventura, e isso sente-se nas partes calmas dos cenários que, felizmente, são muito raras. Finalmente, o nível termina com uma batalha contra um boss épico, seguindo a mesma mecânica da parte anterior.

Enquanto o personagem é controlado com o Circle Pad, o ecrã tátil é utilizado para controlar a mira com a stylus da consola. Pit tem 2 tipos de ataque possíveis, a curta ou longa distância. No entanto, basta premir o botão L para disparar, pois o personagem irá sempre utilizar o ataque mais adequado. O tipo de ataque varia conforme o tipo de arma utilizada: por exemplo, um Fortune Bow dispara flechas a longa distância e ataca com um slash rotativo em curtas distâncias, mas uma Shock Orbitar ataca com bolas de energia. Não é só o efeito visual que varia, todas as armas têm efeitos diferentes nos inimigos. E estamos a falar de muitas armas...

Antes de começar um nível, é possível escolher a arma de uma vasta selecção de espadas, arcos, garras, etc. disponíveis. Cada arma tem as suas próprias características e diferentes estatísticas, que podem ser experimentadas imediatamente num modo de treino que apresenta o dano causado por cada tipo de ataque. A verdade é que trocar de arma pode mudar completamente a experiência de jogo, sendo por si só um motivo suficiente para repetir os níveis "só mais uma vez". Durante o jogo podem ser obtidas novas armas, assim como numa loja que vende armas em troca de corações, também estes obtidos durante o jogo.

Os corações obtidos ao longo de um nível são determinados em função da dificuldade de jogo, escolhida pelo jogador no início. Este sistema, conhecido como "Fiend's Cauldron", permite ajustar a dificuldade numa escala de 0 a 9, sendo que o nível máximo oferece a maior quantidade e dificuldade de inimigos, mas também os melhores e mais raros tesouros como recompensa. Ao perder durante um nível, é dada a opção de tentar novamente a partir do último checkpoint com um nível de dificuldade mais moderado.

Graficamente, o jogo está entre os mais impressionantes da Nintendo 3DS, apesar de vídeos e screenshots não lhes fazerem qualquer justiça. Há sempre imensa coisa no ecrã ao mesmo tempo e um grafismo bastante polido, para não falar no excelente efeito de profundidade 3D, tudo isto sem estragar a fluidez. As partes aéreas são particularmente deslumbrantes. A nível sonoro, o jogo é complementado pelos excelentes diálogos entre Pit e a deusa Palutena, que o guia. Esta característica poderia ser a ruína do jogo, mas a verdade é que existe um sentido de humor por vezes fácil, mas sempre hilariante, e que consegue arrancar algumas gargalhadas mesmo durante um intenso combate contra um boss. É uma questão de estilo que faz com que Kid Icarus: Uprising, sendo intenso e desafiante, não seja apenas mais um jogo sério, mas algo bastante divertido e acessível a todos os jogadores.


Em jeito de conclusão, os aspectos mais impressionantes de Kid Icarus: Uprising são mesmo a variedade de armas e o replay value existente em cada nível. Mas além de tudo isto, há ainda o modo multiplayer anunciado na última conferência Nintendo Direct, ou o modo de Realidade Aumentada ao qual estará associada uma nova vertente de coleccionismo de cartas. Se esta experiência foi indicador de alguma coisa, é de que o conteúdo deste jogo irá parecer interminável, mas nada disto importaria se o jogo não fosse divertido. E Kid Icarus: Uprising promete ser extremamente divertido.