Notícias

Análises

30 de novembro de 2011

Super Mario 3D Land


Super Mario 3D Land é a primeira aventura do popular canalizador da Nintendo a chegar à 3DS e, por isso mesmo, a sua primeira aventura apresentada em 3D. Mas não é um mero exercício de adaptar à consola uma fórmula garantida de sucesso, nem uma mera sequela: é um misto do melhor de vários jogos da série e, ao mesmo tempo, algo completamente novo. Desenvolvido de raiz com as características da consola em mente, tornou-se no primeiro jogo a explorar genuinamente as capacidades 3D da Nintendo 3DS e ainda o primeiro a provar que o efeito 3D não precisa de ser apenas uma questão estética, pode ser também algo essencial para uma melhor experiência de jogo.


Para os conhecedores da série, pode dizer-se que 3D Land é um misto de Super Mario Bros 3 com Super Mario Galaxy 2: a jogabilidade é tão simples como a de qualquer jogo 2D, mas com liberdade de movimentos em cenários 3D. O botão analógico controla as direcções do Mario, há um botão para correr e outro para saltar. A única novidade é haver ainda um botão para agachar, que permite fazer movimentos como o pupular "butt stomp". A construção dos níveis, por sua vez, acaba por ser também um misto dos dois géneros, trazendo muita influência dos grandes clássicos 2D para o universo criativo dos jogos 3D mais recentes. Os níveis são pequenos e compactos, com um tempo médio de 2 a 3 minutos de jogo, o que se mostra ideal para as características portáteis da consola. É muito fácil simplesmente ligar a 3DS, jogar alguns níveis e voltar a desligar, sem perder a sensação de grande diversão que se espera de um jogo do Super Mario. É muito fácil, também, cair repetidamente na tentação de jogar "só mais um nível".


Sendo este jogo desenvolvido pela mesma equipa de Super Mario Galaxy, torna-se impossível evitar as comparações. Super Mario 3D não faz por menos, recheado de elementos dos épicos da Wii que vão desde pequenos detalhes nos cenários até aos conceitos por trás de alguns níveis. A verdade é que, durante os primeiros mundos, os vários níveis mostram algumas ideias bastante interessantes para explorar tanto a nova mecânica de jogo como o efeito 3D da consola. Conforme se avança no jogo, no entanto, os níveis vão ficando cada vez mais criativos, melhor construídos, atingindo (ou até superando, no caso do nível final!) a genialidade que impressionou toda a gente nos mundos de Mario Galaxy. É precisamente esta evolução, no entanto, que faz perceber como este jogo teria beneficiado com mais alguns meses de desenvolvimento, ao abrilhantar os níveis iniciais com a qualidade que se encontra mais à frente no jogo.


O aspecto mais surpreendente do jogo é mesmo a utilização do 3D da consola. Ao contrário dos restantes jogos já lançados para a 3DS, este foi construído de raiz com a tridimensionalidade em mente e brinca constantemente com esse aspecto. Sejam níveis em que se tem de correr em profundidade, ou situações em que objectos ou até o próprio Mario parecem saltar fora do ecrã, o efeito 3D é utilizado ao máximo para momentos espectaculares de jogo, incluindo algumas sequências de plataformas que mostram as vantagens da visão em profundidade para este estilo de jogos. Há até quem já lhe chame o "Avatar" dos videojogos, por ser o primeiro que realmente utiliza o 3D de forma a melhorar a jogabilidade e não apenas como uma opção estética. A verdade é que não se falha um salto por erro de cálculo, enquanto se joga em 3D – o ecrã da consola permite que este jogo seja o primeiro 3D tão fácil de jogar como qualquer jogo Mario 2D.


À primeira vista, este jogo parece ser bastante pequeno, bastando cerca de 7h de jogo para ver os créditos finais. Felizmente, os créditos finais não correspondem sequer a metade do que há para fazer no jogo, com 8 novos mundos para explorar, incluindo cenários completamente novos e versões mais difíceis de alguns níveis dos primeiros mundos. Além disso, em todos os níveis existem três moedas especiais para apanhar, algumas bem escondidas e que vão dar algum trabalho a encontrar. Finalmente, é guardado o registo do tempo que se demora a completar cada nível, para mais tarde se tentar bater o tempo e partilhar os recordes via StreetPass, juntamente com algumas surpresas.


Super Mario 3D Land é precisamente o jogo de que a Nintendo 3DS estava a precisar. Com um 3D fantástico, uma jogabilidade afinada à perfeição e um conjunto de níveis extremamente criativos, é também um jogo perfeito para pegar sempre que apetece, sem exigências de tempo para atingir a gratificação de o jogar. É extraordinário que um jogo portátil possa ser tão facilmente comparado aos melhores jogos da série alguma vez feitos e, ainda assim, estabelecer as suas próprias regras. O primeiro jogo verdadeiramente obrigatório para todos os possuidores de uma 3DS, e até mesmo um forte motivo para se desejar a consola.