Notícias

Análises

3 de outubro de 2011

Professor Layton and Pandora's Box


Professor Layton and the Curious Village foi um marco incontornável nos jogos da Nintendo DS e teve uma aceitação extraordinária, tanto da parte da crítica, como do público. O seu conceito inovador, a qualidade dos puzzles e o argumento surpreendente foram apenas alguns dos ingredientes para o sucesso do jogo. As expectativas para uma sequela eram elevadas, mas conseguiria Professor Layton and Pandora's Box superá-las?


Tudo começa quando o mentor de Layton lhe envia uma carta a falar de uma caixa misteriosa conhecida como Elysian Box, acerca da qual existem rumores de que todos os que a abrirem estão condenados a morrer. O professor não consegue deixar um mistério por resolver e parte à procura de respostas, numa aventura que o levará até uma cidade misteriosa onde se diz morar um vampiro. Contar mais do que isto, seria desvendar alguns mistérios, mas a história é tão interessante como a do jogo anterior, ou até mais.

Tal como no jogo anterior, existe um puzzle ao virar de cada esquina. Mesmo tendo aumentado a quantidade de puzzles para resolver em relação a Curious Village, a variedade é impressionante e nunca se tornam repetitivos. Num momento-chave da aventura, há até um mistério que pode (e deve) ser resolvido com uma versão em papel do bilhete de comboio, incluída no manual de intruções.


De um certo ponto de vista, pode dizer-se que Pandora's Box é mais do mesmo: mais puzzles, mais mistérios, mais personagens e sequências de animação. No entanto, quando a quantidade vem de mãos dadas com a qualidade, é difícil criticar esta sequela por se basear muito na fórmula do original. A jogabilidade é essencialmente a mesma, com os enunciados dos puzzles no ecrã superior e a introdução das respostas no ecrã tátil da consola. O enredo, sendo mais complexo e melhor construído, pode não ter o mesmo impacto do primeiro, mas consegue ser igualmente surpreendente. Como a aventura é independente, não é necessário ter jogado o anterior (embora seja recomendado por ser também um jogo fantástico). Escusado será falar na banda sonora e qualidade das animações, tudo executado de uma forma exemplar.


A segunda aventura de Layton é mais uma razão para se perder horas a fio na Nintendo DS. Um jogo excelente, tanto para miúdos como graúdos (desde que saibam inglês), desde que gostem de uma boa história e de pensar um bocadinho.