Notícias

Análises

5 de agosto de 2011

Super Mario Land


Qual é o jogo mais estranho de sempre do Super Mario? Talvez não seja este, mas encontra-se certamente na lista das 5 aventuras mais estranhas deste canalizador. Super Mario Land foi o primeiro jogo de plataformas do Super Mario para a GameBoy e, ao contrário dos jogos da série principal, não se passa no Mushroom Kingdom nem conta com a princesa Peach. Desta vez, quem se encontra em perigo é Daisy, a princesa de Sarasaland — e que ainda hoje é uma personagem recorrente em jogos do Mario.

 

A mecânica de jogo é essencialmente a mesma do Super Mario Bros. para a NES: correr, saltar em cima dos inimigos, apanhando moedas e power-ups até chegar ao final do nível. No entanto, há mais diferenças do que semelhanças. As bolas de fogo são disparadas num ângulo de 45º para o chão e fazem ricochete em direcção ao espaço, a não ser em níveis que tenham um tecto. Saltar em cima de uma tartaruga faz com que esta se recolha numa carapaça e acabe por explodir - o que irá desapontar quem pense já estar seguro. Há ainda um nível num avião e outro num submarino, em que o jogo muda completamente de género para um shooter lateral. Os próprios níveis são estranhos em termos de estilo visual, especialmente quando se vê estátuas Moai em toda a parte.


Infelizmente, o jogo tem poucos níveis para explorar, o que faz com que acabe muito depressa: afinal, a Daisy não estava noutro castelo. É possível escolher um modo mais difícil depois de o terminar, mas a verdade é que o jogo oferece poucos incentivos para repetir. É divertido, mas não tão viciante como os outros jogos da série — mesmo sendo um jogo de 1989, é muito difícil evitar comparações numa série com um historial de excelência. Vale pela experiência e pelo baixo preço na Nintendo eShop, mas não estamos a olhar para um dos melhores jogos de plataformas de sempre.