Notícias

Análises

24 de junho de 2011

The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D


Há jogos que marcam uma geração. Alguns desses, marcam para sempre a história do próprio mundo dos videojogos, tendo um impacto tão grande que se tornam um ponto de referência para todos os jogos lançados depois. São jogos que desbravaram terreno, exploraram possibilidades nunca antes vistas e definiram standards que ainda hoje se mantêm. Ocarina of Time, lançado para a Nintendo 64, foi o primeiro jogo da série The Legend of Zelda criado em 3 dimensões. Ainda hoje, é considerado pela crítica (e por muitos fãs) como o melhor videojogo de sempre. Naturalmente, são ainda mais os que o consideram o melhor da série.


O que faz de Ocarina of Time tão especial é praticamente o mesmo que faz de qualquer Zelda um jogo especial: uma aventura épica, rica em exploração, com masmorras e puzzles extremamente bem construídos. A história deste jogo é simples e bastante linear, mas é bastante enriquecida pelos personagens que Link vai encontrando ao longo da aventura. A estrutura do jogo é tão flexível que permite ao jogador seguir directamente de uma masmorra para a seguinte, como perder-se durante horas a fio a explorar o mundo de Hyrule. Neste sentido, poucos Zeldas o conseguiram fazer tão bem, talvez o preço a pagar por narrativas mais elaboradas. E há, realmente, imenso para explorar: há coisas diferentes para fazer nas diversas localidades quer seja dia ou noite, quer Link seja uma criança ou, sete anos depois, um jovem adulto. A mecânica das viagens no tempo não foge muito ao conceito de "dois mundos paralelos" muito popular em Zelda, mas foi muito bem explorada em termos de história e jogabilidade.


Como fazer um remake de um jogo extremamente popular, que todos recordam de forma especial? A resposta está nesta edição de Ocarina of Time para a Nintendo 3DS. Em poucas palavras, pode dizer-se que este é exactamente o mesmo jogo de 1998. Na realidade, é uma versão ainda melhor. O aspecto gráfico mantém-se completamente fiel ao do jogo original, mas com muito melhores texturas nos cenários e modelos 3D bastante mais detalhados para os personagens. Como se fosse este o aspecto do jogo original caso tivesse saído numa consola mais poderosa que a Nintendo 64. Acrescente-se a isto o efeito 3D do ecrã da Nintendo 3DS e o resultado é uma renovação do fascínio dado a um jogo que, dadas as limitações da sua época, estava já um pouco datado.


Em termos de jogabilidade, a principal melhoria foi a utilização do ecrã táctil para gestão do menu. É agora muito mais fácil ver o mapa ou trocar de equipamento, consultar as pautas musicais enquanto Link toca Ocarina ou até equipar as botas no Water Temple (o que, aliado a algumas melhorias visuais, faz com que este seja agora muito menos frustrante). Há ainda alguns controlos por movimento opcionais, que permitem mover a consola para mudar o ponto de vista quando se está na primeira pessoa. Estes controlos são excelentes para usar a fisga ou o arco e flecha, por exemplo, mas são pouco compatíveis com a visualização do jogo em 3D para movimentos rápidos.


Esta edição do jogo inclui ainda a Master Quest, um modo mais difícil que se pode desbloquear ao completar o jogo principal. Aqui, os inimigos são mais fortes, as masmorras mais complexas (talvez seja mais correcto dizer que fazem pouco sentido, daí serem mais difíceis de explorar) e o mundo completamente espelhado. Além disso, há ainda um modo que permite enfrentar todos os bosses seguidos. Mas se estes modos foram acrescentados para os mais experientes, os novatos recebem uma pequena ajuda a avançar quando ficam encravados: através de uma pedra que dá "visões", o jogo permite aceder a pequenos vídeos que revelam qual o caminho a seguir, sem dar por completo a solução.


The Legend of Zelda: Ocarina of Time 3D não só é um jogo obrigatório para todos os donos de uma Nintendo 3DS, mas também um motivo muito forte para comprar a consola. Para todos os que já jogaram Ocarina of Time, porque este remake melhorou o jogo em quase todos os aspectos possíveis. Para os que nunca jogaram, porque é a oportunidade perfeita para descobrir a razão de todo o fascínio em torno deste jogo. Um dos melhores jogos de sempre, mas ainda melhor.