Notícias

Análises

9 de abril de 2010

Kirby: Power Paintbrush


Kirby: Power Paintbrush é um dos jogos mais antigos para a Nintendo DS e o primeiro da série Kirby na consola. A novidade do ecrã táctil inspirou os criadores do jogo a fazer algo verdadeiramente original, especialmente numa série cujos jogos costumam seguir sempre a mesma fórmula.


O jogo é controlado exclusivamente através da stylus, que serve para desenhar uma linha ao longo da qual Kirby (transformado em bola) se irá deslocar. Um toque no Kirby fá-lo correr em frente, ou na direcção da linha desenhada, um toque num inimigo irá atordoá-lo para que Kirby o derrote ao correr na sua direcção. É o desenho de linhas que lhe permite subir plataformas, atravessar precipícios ou correr em loopings por mera diversão. O jogo contém vários mundos diferentes para explorar, cada um inspirado numa mistura de mundos clássicos da série com diferentes estilos artísticos de pintura – a stylus é assim o pincel mágico que permite desenhar nesses quadros que Kirby terá de atravessar durante a sua aventura. 


Os níveis são bem construídos, embora só se tornem verdadeiramente desafiantes mais para o final. Há ainda uma série de power-ups que trazem alguma diversidade ao jogo e bastantes coisas para desbloquear, desde novas cores para a linha desenhada pela stylus a personagens secretos com características diferentes do Kirby. Power Paintbrush é certamente um jogo original e bem construído que, mesmo sendo orientado especialmente ao público mais jovem, é recomendado aos maiores fãs do género de plataformas. Infelizmente, há uma certa falta de substância que impede este jogo de se tornar excelente ou memorável, sendo apenas um bom jogo.